Doenças cardiovasculares são a principal causa de morte em todo o planeta

Com medo de pegar Covid-19, muitos estão deixando de cuidar do coração
sábado, 02 de outubro de 2021
por Christiane Coelho (Especial para a A VOZ DA SERRA)
(Foto: Freepik/Pexels)
(Foto: Freepik/Pexels)

Desde que começou a Pandemia de Covid-19, muitas pessoas estão se isolando em casa, com medo de ser infectado. A maioria delas já com algum tipo de comorbidade, com riscos de piorar, caso seja acometido pelo coronavirus. Mas, tratar as doenças cardiovasculares é tão importante quanto se proteger da Covid-19. 

“Está na hora das pessoas que deixaram de fazer check-up e exames com medo de pegar Covid-19 nos consultórios e clínicas, retornarem para se cuidar”, alerta o cardiologista Alexandre Ferro.

De acordo com o Ministério da Saúde, no Brasil, cerca de 14 mil pessoas morrem por ano em decorrência de doenças cardiovasculares. Isso corresponde a 30% de todas as mortes no país. Entre fatores de risco estão tabagismo, hipertensão, diabetes. Mas, em Nova Friburgo, há uma outra condição que também influencia. “O frio pode aumentar a pressão arterial e elevar também o risco do infarto agudo do miocárdio”, explica o cardiologista.

E, hoje, algumas pessoas que pegaram a Covid-19 têm entre as sequelas, doenças cardíacas como arritmias, miocardite, pericardite e o infarto agudo do miocárdio. “Tenho recebido muitos pacientes com essas sequelas. É importante fazer um acompanhamento pós Covid-19”, revela Alexandre Ferro.

O infarto do miocárdio está entre as principais causas de morte no país. “Alguns sintomas são dor e aperto no peito, com irradiação para os braços acompanhado ou não de sudorese e vômitos. Caso isso aconteça, deve-se dar dois comprimidos de AAS infantil e levar o mais rápido possível para o hospital,” alerta o cardiologista.

A prevenção às doenças cardíacas está principalmente na mudança de comportamento e rotina. “Fazer uma alimentação saudável, praticar exercícios frequentemente, não fumar, moderação no uso de bebidas alcóolicas, diminuir o sal e controlar o peso são medidas para manter o coração saudável”, orienta o cardiologista, acrescentando que, “nesse momento, é importante que todos se vacinem contra a Covid-19. As doenças cardíacas estão entre os fatores de risco para a piora dos quadros da Covid-19. E quem passou pela Covid-19 pode ter entre as sequelas, doenças cardíacas”, finalizou Alexandre Ferro.

* Alexandre Ferro, é médico cardiologista de Nova Friburgo

LEIA MAIS

Estudos recentes mostram associações da doença causada pelo novo coronavírus com processos inflamatórios que podem atingir o coração

Estudo com 15 mil pessoas no Brasil aponta associação entre problemas psiquiátricos e doenças vasculares

Reduzir o estresse, praticar atividades físicas e ir ao médico regularmente são algumas delas

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra