De volta à elite com os garotos, Frizão projeta retorno à vitrine

Juniores fizeram alguns testes antes da estreia no estadual: primeiro desafio é o Flamengo
sexta-feira, 13 de março de 2020
por Vinicius Gastin
Friburguense terá praticamente a comissão técnica profissional no comando dos juniores
Friburguense terá praticamente a comissão técnica profissional no comando dos juniores

O Friburguense, desde que passou a frequentar a primeira divisão do Rio de Janeiro e nela permanecer por várias temporadas, sempre se notabilizou pelo bom aproveitamento dos valores da base. Apesar da ideia equivocada sobre a falta de renovação do plantel, o Tricolor da Serra quase sempre foi o clube que mais garotos promoveu a cada ano, até mesmo pela histórica dificuldade financeira para competir no mercado de contratações.

Não foram poucos os nomes que surgiram ao longo dos anos, se firmaram no Friburguense e alçaram voos maiores no cenário do futebol nacional. Com a queda para a Série B1, entretanto, e a consequente escassez de receitas, os investimentos na base também ficaram limitados. 

O retorno à primeira divisão, ainda que na fase seletiva, volta a clarear um pouco o processo de formação de jogadores, e embora as finanças permaneçam combalidas, o Frizão volta a ter um caminho para percorrer.

O fato de ter jogado e permanecido na Seletiva trouxe conseqüências também para as divisões de base: o Friburguense volta a jogar a elite do futebol estadual em todas as suas categorias, não só este ano, como também na temporada de 2021. 

“Quando atingimos a Seletiva, voltamos a base para a primeira divisão de forma definitiva. E é legal a gente falar isso, porque com a permanência na Seletiva, nos já garantimos os garotos na primeira divisão também no ano que vem. Ou seja, conseguiremos criar um projeto de no mínino dois anos. Jogamos este ano, e também já está certo para 2021”, explica o gerente de futebol José Siqueira, o Siqueirinha.

A possibilidade de voltar a fortalecer o trabalho com os garotos é vista como fundamental para o futuro do Friburguense. A vitrine de voltar a enfrentar os grandes clubes da capital pode render parcerias importantes, e até mesmo capazes de, num futuro próximo, se tornarem fontes de receitas para o clube.

“Quando o clube cai para a segunda divisão, o recurso financeiro cai como um todo. E isso respinga na base. Agora, com os garotos na primeira divisão, começamos a ter novamente a vitrine contra os times grandes. O Friburguense é de falar pouco sobre os jogadores com os quais são feitas parcerias, mas mesmo na segunda divisão, colocamos o Daniel no Flamengo, para citar um caso mais recente. Lógico que é uma aposta, e não significa que já está numa parceria ou rende algo financeiro, mas numa venda futura, ajuda muito na manutenção do clube. Do contrário, ficamos só na dependência da cota, e quando acontece um problema como o deste ano, em que o Flamengo não assinou o contrato, as coisas complicam”, reitera o dirigente.

A primeira competição será o Campeonato Estadual de Futebol da Série A Sub-20. Ao todo são 16 clubes, divididos em dois grupos: o A conta com Botafogo, Flamengo, Bangu, Cabofriense, Boavista, Americano, Macaé e América, enquanto o B terá, além do Friburguense, Fluminense, Vasco, Volta Redonda, Resende, Madureira, Nova Iguaçu e Portuguesa.

De acordo com o regulamento, a competição é disputada em até três fases: Taça Guanabara, Taça Rio e turno final, em caso de campeões distintos dos turnos. No primeiro turno, as equipes de um grupo enfrentam as de outro, pontuando dentro da própria chave. 

Já na Taça Rio, os times jogam dentro do próprio, em ambas as fases, os quatro melhores de cada lado avançam para as quartas de final. 

O Friburguense estreia neste sábado, 14, contra o Flamengo, na Gávea. O primeiro jogo em casa será na semana seguinte, dia 21, contra o América. Dentre os grandes, o Botafogo será o único a visitar o Frizão, no dia 11 de abril. 

“O nosso produto é o jogador de futebol, e nós estamos satisfeitos demais com a nossa a base, com a situação. Teremos um ano inteiro com o Sub-20, as categorias Sub-15 e Sub-17 e, depois, Sub-11 e Sub-13. E o legal é que esse mesmo processo vai acontecer novamente em 2021”, completou Siqueirinha.

Com os propósitos de fazer uma boa campanha e encontrar boas peças para servir também ao futebol profissional, o Friburguense está utilizando praticamente toda a comissão técnica principal na categoria Sub-20. A integração entre as categorias também é considerada importante para as disputas da Copa Rio deste ano e da Seletiva para o Campeonato Carioca de 2021.

“A ideia nossa é exatamente manter os profissionais que estão no clube. Começamos o trabalho físico na primeira semana com a Paulinha e o Felizardo, mas logo na seguinte já chegaram o Zé Romário (preparador de goleiros), o Gerson Andreotti, o Cadão e o Sérgio Gomes. Nos reunimos e programamos tudo, mas é lógico que tudo passa pelo lado financeiro para manter esses profissionais”, finaliza Siqueira.

 

Tabela do Frizão Sub-20 - Taça Guanabara

  • Sábado, 14 – Flamengo x Friburguense, Gávea
  • 21 de março - Friburguense x América, Eduardo Guinle
  • 28 de março - Macaé Esporte x Friburguense, a definir
  • 11 de abril - Friburguense x Botafogo, Eduardo Guinle
  • 18 de abril - Americano x Friburguense, CT Americano
  • 25 de abril - Friburguense x Bangu, Eduardo Guinle
  • 9 de maio - Cabofriense x Friburguense, Correão
  • 16 de maio - Friburguense x Boavista, Eduardo Guinle

Taça Rio

  • 20 de junho - Friburguense x Madureira, Eduardo Guinle
  • 4 de julho - Resende x Friburguense, Trabalhador
  • 11 de julho - Portuguesa x Friburguense, Luso Brasileiro
  • 25 de julho - Friburguense x Nova Iguaçu, Eduardo Guinle
  • 1º de agosto - Vasco da Gama x Friburguense, CT Artsul
  • 8 de agosto - Friburguense x Volta Redonda, Eduardo Guinle
  • 15 de agosto - Fluminense x Friburguense, Vale das Laranjeiras

 

LEIA MAIS

Império Serrano também terá seu próprio time de futebol

Friburgo voltou a ter a modalidade regularmente, com treinos e participações em jogos e eventos

Derrota para Cabofriense, fora de casa, foi uma das poucas partidas sem ao menos uma polêmica envolvendo arbitragem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol