Barboza não encaixa jogo e é derrotado por Giga no UFC

Lutador friburguense foi nocauteado a 1m44s do terceiro round
terça-feira, 31 de agosto de 2021
por Vinicius Gastin
Georgiano explorou bem os chutes baixos e na linha de cintura, especialidade de Barboza
Georgiano explorou bem os chutes baixos e na linha de cintura, especialidade de Barboza

Não era um desafio dos mais simples. Se Edson Barboza é um dos maiores strickers da história do UFC, Giga Chikadze, mais recente na organização, vem mostrando que quer entrar para este mesmo hall. Forte fisicamente, técnico e bom de estratégia, o georgiano parece ter feito bem o dever de casa antes da luta. Estudou, impediu o encaixe do melhor jogo de Edson e, por muitas vezes, usou a especialidade do friburguense contra ele próprio.

Giga, no entanto, se impôs na luta em pé, tanto com socos quanto com chutes, e nocauteou Barboza a 1m44s do terceiro round. Após a luta, elogiou o atleta de Nova Friburgo e desafiou o havaiano Max Holloway, ex-campeão da categoria.

A luta      

Assim como era esperado, praticamente não houve tentativas de levar o adversário ao chão. No duelo entre especialistas na trocação, os dois lutadores desferindo chutes baixos, e Chikadze surpreendeu Barboza ao acertar uma joelhada voadora, que não pegou em cheio e foi defendida pelo friburguense. O georgiano conseguia conectar mais golpes, e forçou Edson a andar para trás e se movimentar. Bastante veloz e agressivo para sempre incomodar, Chikadze não deixou Barboza à vontade em praticamente nenhum momento. Estava difícil impor o seu jogo nos dois primeiros rounds.

No terceiro round, Chikadze conseguiu conectar um bom direto de direita, e atingiu em cheio a cabeça de Barboza. Começava então, neste instante, a se desenhar a vitória do georgiano. Edson ainda tentou resistir e responder ao melhor momento do adversário na luta, mas Chikadze não diminuiu o ritmo e seguiu golpeando. Giga seguiu atacando e, após o brasileiro cair, tentou aplicar um triângulo de mão.

Ao não ser bem-sucedido, voltou a golpear Barboza em pé, até que ele caísse e o árbitro encerrasse a luta. O lutador de Nova Friburgo até ameaçou a questionar a decisão da arbitragem, mas as possibilidades de reação já estavam encerradas.

A intensidade do combate fez o chefão do Ultimate, Dana White, entregar ao georgiano o cheque de 50 mil dólares (cerca de R$ 270 mil) pela performance da noite – mesma quantia destinada a outros três atletas vitoriosos deste card. Pat Sabatini, que finalizou Jamall Emmers no 1º round, Abdul Razak Alhassan, que nocauteou Alessio Di Chirico no 1º assalto, e Gerald Meerschaert, que finalizou Makhmud Muradov no 2º assalto, também levaram o prêmio.

Mais veterano que o adversário, o friburguense Edson Barboza tem 35 anos e está desde 2010 no UFC. Recém ingresso na categoria dos pesos-penas, Barboza se recuperou da derrota na estreia para Dan Ige emendando duas vitórias consecutivas diante de Markwan Amirkhani e Shane Burgos. Seu cartel contém 22 vitórias e dez derrotas. Antes do evento, ocupava a nova colocação no ranking da categoria, e expectativa era de vencer e entrar no top-5. Esta foi a terceira vez que o lutador de Nova Friburgo esteve envolvido em uma luta principal de um evento do Ultimate.

“É sempre especial fazer a luta principal, os olhos estão quase todos ali para assistir a luta principal. Fico muito feliz porque os anos passam e continuo sendo bom entretenimento, sempre fazendo boas lutas, sempre proporcionando um show para o pessoal que assiste,” pontuou antes do confronto.

Experiente e perigoso kickboxer, Chikadze tem 32 anos e fez a luta mais importante de sua carreira diante do friburguense. Agora, no MMA, são 14 vitórias e duas derrotas. Assim, o georgiano possui seis vitórias no UFC diante de Brandon Davis, Jamall Emmers, Irwin Rivera, Omar Morales, Jamey Simmons e Cub Swanson, as duas últimas vieram através de nocautes brutais.

 

Os resultados do evento

- Card principal

  • Giga Chikadze venceu Edson Barboza por nocaute técnico a 1m44s do R3
  • Bryan Battle venceu Gilbert Urbina por finalização aos 2m15s do R2
  • Ricky Turcios venceu Brady Hiestand por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)
  • Daniel Rodriguez venceu Kevin Lee por decisão unânime (triplo 29-28)
  • André Petroski venceu Micheal Gillmore por nocaute técnico aos 3m12s do R3
  • Gerald Meerschaert venceu Makhmud Muradov por finalização a 1m49s do R2

 

- Card preliminar

  • Abdul Razak Alhassan venceu Alessio Di Chirico por nocaute aos 17s do R1
  • Wellington Turman venceu Sam Alvey por decisão dividida (28-27, 27-28 e 28-27)
  • Dustin Jacoby venceu Darren Stewart por nocaute técnico aos 3m04s do R1
  • JJ Aldrich venceu Vanessa Demopoulos por decisão unânime (triplo 30-27)
  • Pat Sabatini venceu Jamall Emmers por finalização a 1m53s do R1
  • Mana Martinez venceu Guido Cannetti por decisão dividida (29-28, 28-29 e 29-28)

 

LEIA MAIS

Lutador friburguense terá que cumprir descanso e se afastar de treinos por, no mínimo, um mês

Lutador friburguense amarga sequência ruim, é nocauteado, mas deve seguir prestigiado pelo UFC

Após treinar forte, lutador friburguense promete nocautear o oponente neste sábado em Las Vegas

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: UFC