Após 18 meses, conclusão de obra no Amparo é prevista para próxima semana

Parte da rua que cedeu em dezembro de 2019 foi interditada. Transporte já foi regularizado.
sexta-feira, 18 de junho de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Demorou, mas está quase pronto: obra no Loteamento Tiradentes perto do fim (Fotos: Evandro Rocha)
Demorou, mas está quase pronto: obra no Loteamento Tiradentes perto do fim (Fotos: Evandro Rocha)

Falta muito pouco para que um dos maiores anseios dos moradores do Loteamento Tiradentes, no distrito de Amparo, chegue ao fim e, o melhor, com um final feliz. A prefeitura informou que as obras de contenção na Rua Jerônimo de Castro e Souza estão perto de ser finalizadas. O prazo para a conclusão das obras está estimado para a próxima sexta-feira, 25. No início deste ano o Governo Federal, através do Ministério do Desenvolvimento Regional, liberou R $416.125,91 para custear o empreendimento.

Após estudos técnicos e projetos de execução, a verba federal foi destinada para a construção de um muro do tipo gabião e uma cortina atirantada, com extensão aproximada de 20 metros, para conter a encosta na rua. Apesar da boa notícia, os moradores da região que acompanharam ativamente todo o imbróglio fazem ressalvas a respeito das obras. Isso porque a queda de parte da rua aconteceu há cerca de 18 meses, após fortes chuvas em 22 de dezembro de 2019. Na mesma época, poucos dias depois, duas grandes crateras se abriram na Rua Raul Veiga, no bairro Olaria, e na Rua Maria José Dutra de Castro, no Vale dos Pinheiros. Na ocasião, os problemas das duas ruas foram resolvidos pela Prefeitura de Nova Friburgo poucos meses depois.

Além da conclusão das obras prevista para a próxima semana, a circulação dos ônibus que ligam o loteamento ao centro de Nova Friburgo foi retomada e após 534 dias os moradores não precisarão mais ter que fazer baldeações nos ônibus da linha Centro-Amparo e um microonibus que atendia a parte alta do Loteamento Tiradentes.

“O anúncio da conclusão da obra trouxe alívio aos moradores e os membros do Coletivo Vozes do Tiradentes perceberam melhor diálogo entre o então secretário de Obras, Bernardo Verly e o secretário municipal de Defesa Civil, major bombeiro Evi Gomes, para atender as exigências do Ministério do Desenvolvimento Regional a fim de permitir que a verba fosse liberada pelo Governo Federal”, ressaltou Evandro Rocha, um dos membros do Coletivo Vozes do Tiradentes.

Uma comemoração está marcada para o dia seguinte à conclusão das obras. De acordo com Evandro, a exemplo do bolo da vergonha - símbolo da manifestação pública em julho de 2020 -, desta vez, os moradores organizaram para o próximo sábado, 26, às 15h, o bolo da vitória, “para simbolizar a união que não permitiu que o assunto caísse no esquecimento”, finalizou.

Relembre o caso

No final de 2019, após uma forte chuva, o distrito de Amparo foi seriamente atingido. A tempestade destruiu boa parte da rodovia RJ-150 (Nova Friburgo-São José do Ribeirão) e provocou o deslizamento de praticamente metade da pista de um trecho da Rua Jerônimo de Castro e Souza, conhecido como Curva da Morte. O incidente prejudicou a operação do transporte coletivo. Por conta da queda de parte da rua, os ônibus da linha Centro-Amparo, que atendem aos moradores do Loteamento Tiradentes, circulam até cerca de 300 metros antes do local do deslizamento. Por meses a população ficou sem transporte público. 

Na véspera do protesto dos moradores, em julho do ano passado, o então prefeito Renato Bravo, anunciou a liberação pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, através da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, de R$ 470 mil para realização de obras na Curva da Morte. Segundo o prefeito, o processo de licitação para escolha da empreiteira que começaria em breve, demorou três meses.

 

LEIA MAIS

Cerca de R$ 43,2 milhões serão investidos em intervenções no bairro Vila Nova, duramente castigado pela tempestade de 2011

Licitação escolhe empreiteira que irá reconstruir instalações; em 2019, alunos foram transferidos devido a problemas estruturais

Seis empresas se habilitaram para concorrer ao edital, mas algumas solicitaram esclarecimentos; nova data é 28 de setembro

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra