Adaptado ao Brasil e a Friburgo, Toshyia deseja sorte ao ídolo Honda

Há oito anos Frizão também apresentava o seu japonês e iniciava uma parceria inédita para o clube
terça-feira, 10 de março de 2020
por Vinicius Gastin
Registro de Toshyia em 2012, quando chegou a Nova Friburgo: evolução técnica neste período
Registro de Toshyia em 2012, quando chegou a Nova Friburgo: evolução técnica neste período

Japão e Brasil sempre tiveram uma relação especial. Em Nova Friburgo, esses laços são ainda mais próximos, sendo a colônia japonesa uma das mais importantes no processo de formação sócio-cultural do município. No mundo do esporte, não foram poucos os brasileiros que inspiraram os japoneses, especialmente no futebol, onde agora se experimenta uma relação inversa.

A euforia pela chegada de Keisuke Honda ao Botafogo é exemplo dessa troca. Ter o maior jogador da história do futebol daquele país, atuando no Rio de Janeiro, tomou proporção de evento, invadiu as pistas do aeroporto do Galeão, as arquibancadas do estádio Nilton Santos e repercutiu na mídia em todo o mundo. Honda estreia nesta terça-feira, 10, pelo Glorioso, em jogo contra o Paraná, às 19h30, no estádio Nilton Santos, pela terceira fase da Copa do Brasil.

Contudo, o atleta de três Copas do Mundo não é o primeiro japonês a jogar no futebol do Estado. Há exatos oito anos, o Friburguense também apresentava o seu japonês e iniciava uma parceria inédita para o clube.

Revelado pelo Kawazaki Frontale, Toshyia Tojo chegou ao Friburguense em 2012, com 19 anos. Antes de retornar para a disputa da Série B1 no ano passado - e se transformar em um dos principais personagens da campanha -, passou por Avaí e Inter de Lages. Autor de dois gols nas finais contra o América, balançou as redes em nove oportunidades ao todo, nas 26 partidas em que esteve em campo na temporada passada. Além disso, contribuiu com assistências e composição tática, sendo importante também para ajudar na marcação.

Adaptado ao Brasil e a Nova Friburgo, Toshyia se tornou o primeiro estrangeiro a defender o Frizão em toda a história. Quase uma década depois da mudança de país, o atacante de 27 anos comentou sobre a importância de Honda para o futebol do Japão. “É o jogador mais famoso do Japão, e o momento agora é do Honda. Ele é uma referência para todos os jogadores, principalmente do nosso país. Tomara que dê tudo certo pra ele”, deseja Toshyia.

Em um perfil oficial do Friburguense nas redes sociais, inclusive, Toshyia gravou um vídeo – em português – desejando sorte ao compatriota, e revelando o desejo de um dia dividir o mesmo gramado com o ídolo. “Desejo muita sorte a ele no Botafogo. Quem sabe um dia não possamos jogar juntos, ou pelo menos contra. Seria um sonho. Que tenha uma ótima sorte no Botafogo”, desejou.

A chegada do atacante ao Friburguense foi fruto de uma parceria entre e o clube e representantes do jogador no Japão. Toshyia chegou ao Friburguense para realizar um período de testes, e na época, em 2012, participou de vários jogos do campeonato carioca de juniores e alguns amistosos do time profissional. 

O primeiro gol aconteceu no dia 17 de maio daquele ano, em jogo-treino contra o Ascaer, em Nova Friburgo. O japonês voltou a marcar contra o Macaé, no estádio Cláudio Moacyr, e duas vezes em amistoso na cidade de Macuco, vencido pelo Frizão por 7 a 1. 

O bom desempenho rendeu elogios do então técnico Mimi, que comandou a equipe naquela partida. Outro momento marcante de Toshyia nos primeiros meses do tricolor foi a participação no amistoso contra o Botafogo, na Granja Comary, em Teresópolis. Na ocasião, concedeu entrevistas a veículos da capital fluminense e ganhou o reconhecimento do comandante Gerson Andreotti.

O japonês está escrevendo cada vez mais, com destaque, o seu nome na história do Friburguense. Ele foi o autor do gol que garantiu a equipe na Série A do Campeonato Carioca do próximo ano, o da vitória do Frizão diante do Americano, fora de casa, por 2 a 1. 

Toshiya já tinha feito o gol do título da equipe na Série B1 do ano passado, contra o América, também fora de casa. Nas semifinais gerais da competição, fez o segundo gol do Tricolor na vitória por 2 a 0 sobre o Goytacaz, em Campos, praticamente selando o acesso. Ao todo são 59 jogos e 11 gols anotados.

LEIA MAIS

Império Serrano também terá seu próprio time de futebol

Friburgo voltou a ter a modalidade regularmente, com treinos e participações em jogos e eventos

Derrota para Cabofriense, fora de casa, foi uma das poucas partidas sem ao menos uma polêmica envolvendo arbitragem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol