Rodovias 116 e 142: ritmo lento de obras causam transtornos a motoristas

Encostas deslizaram na serra dos Três Picos e na localidade de Cascata, em Lumiar
quinta-feira, 25 de junho de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
O perigoso desvio na Serramar (Fotos de leitores, de arquivo)
O perigoso desvio na Serramar (Fotos de leitores, de arquivo)

Localizada no centro geodésico (ponto central) do Estado do Rio de Janeiro, o município de Nova Friburgo tem uma importância estratégica no que diz respeito às rodovias fluminenses. No entanto, pelo menos duas das estradas mais importantes para a cidade e o estado apresentam problemas há meses, dificultando a vida de motoristas e oferecendo riscos a quem trafega por elas. São os casos da RJ-116, que liga Nova Friburgo à Região Metropolitana, e da RJ-142 (Nova Friburgo-Casimiro de Abreu), a Estrada Serramar.

No caso da RJ-116 o problema é mais antigo, porém causa menos transtornos aos motoristas. A queda de uma grande barreira no dia 10 de outubro do ano passado –  interrompeu totalmente o tráfego de veículos na altura do quilômetro 53,3, na Serra dos Três Picos, próximo à localidade de Boca do Mato, em Cachoeiras de Macacu. Porém, de lá para cá a situação mudou bastante. Não demorou muito para que a estrada fosse desobstruída e novamente liberada ao tráfego de veículos, no entanto, em sistema de pare e siga para dar mais segurança a quem trafega pelo local.

Mas, passado todo esse tempo, a RJ-116 continua com o tráfego restrito no trecho, o que torna as viagens mais demoradas devido a necessidade de parar nos bloqueios montados pela concessionária Rota 116, empresa responsável pela rodovia. A VOZ DA SERRA tem recebido queixas de leitores sobre a demora em solucionar o problema. Os motoristas alegam que a concessionária estaria “perdendo tempo”, já que nesta época do ano a incidência de chuvas é bem menor, o que facilitaria os trabalhos.

Procurada, a assessoria de comunicação da Rota 116 informou que “realizou os trabalhos preliminares de limpeza e desobstrução de uma faixa da rodovia para liberar o fluxo. Foi realizado o levantamento topográfico, sondagens geotécnicas e elaborado projeto de contenção que foi encaminhado ao Governo do Estado para análise e aprovação. O sistema de pare e siga se mantém e deverá permanecer até a conclusão das obras”. A empresa, no entanto, não deu prazo para a conclusão dos trabalhos.

Serramar ainda interditada

Em situação mais crítica que a RJ-116 está a RJ-142, que liga Nova Friburgo ao litoral. A rodovia foi totalmente interditada após o deslizamento de uma grande encosta no último dia 3 de fevereiro – há pouco mais de quatro meses – próximo à localidade de Cascata, no distrito de Lumiar.

Diferente da RJ-116, que foi parcialmente liberada ao tráfego de veículos dias depois da queda da barreira, na RJ-142 os trabalhos estão em ritmo lento e a via permanece totalmente interditada. Moradores abriram um desvio improvisado para que carros leves e motos pudessem passar pelo local. O Departamento de Estradas de Rodagem (DER-RJ), apesar de não aconselhar os motoristas a utilizarem o desvio, fez uma vistoria no trecho, mas não deu prazo para a liberação da rodovia. A orientação é que os motoristas optem pela  BR-101 e a RJ-116. A Estrada Serramar já estava em meia pista na altura do quilômetro 28, quando, em janeiro, uma imensa cratera se abriu e engoliu parte da pista, na altura do Encontro dos Rios, também no distrito de Lumiar.

Também entramos em contato com o DER em busca de mais informações sobre a atual situação da barreira na RJ-142 e se havia previsão para liberação da estrada, no entanto, até a atualização desta notícia não recebemos nenhuma resposta.

 

LEIA MAIS

Engavetamento deixou tráfego interrompido nos dois sentidos da Ponte Branca, que liga as avenidas Comte Bittencourt e Galdino do Valle

Ainda sem laudo que assegure passagem dos coletivos, prefeitura pede para empresa fazer o transporte

Divisórias estão sendo instaladas entre a ponte da Rua Sete e a esquina com a Rua Padre Yabar

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | obra