Retirado do ranking dos leves do UFC, Edson Barboza faz duras críticas

Atleta de Nova Friburgo não poupou críticas aos elaboradores de rankings do UFC
terça-feira, 09 de junho de 2020
por Vinicius Gastin
Barboza utilizou as redes sociais para protestar e questionar critérios do Ultimate
Barboza utilizou as redes sociais para protestar e questionar critérios do Ultimate

Não bastasse a recente derrota polêmica para Dan Ige, o friburguense Edson Barboza voltou a ter motivos para criticar o UFC. Apenas alguns dias depois de ter estreado pelos pesos penas (até 65,7 quilos), o lutador foi retirado do ranking dos leves (até 70,3 quilos), pelo qual atuava antes da mudança.

O especialista em muay thai, sempre ativo nas redes sociais, não poupou críticas à organização, e utilizou a conta pessoal no Twitter para protestar contra os responsáveis pela elaboração dos rankings.

“Vocês sabem quem faz o ranking do UFC? Tenho certeza que não são especialistas. Eles não escutam os fãs ou o público. Eu não ligava para isso, mas agora tenho certeza que o ranking é uma piada”, escreveu.

Dentro de seu questionamento sobre os critérios utilizados para avaliação dos profissionais do Ultimate, o atleta de Nova Friburgo também observou que Dan Ige subiu quatro posições no grupo dos penas, mesmo tendo a vitória questionada pelo presidente da organização, Dana White. O chefe da organização, logo após a luta entre Barboza e Ige, havia conferido a vitória ao friburguense.

“Eles me tiraram do ranking dos leves. Ige subiu quatro posições e eu sequer estou ranqueado entre os penas. Ainda mais depois de uma luta em que todos perceberam que eu venci. Não faz sentido nenhum, UFC e Dana White”, finalizou.

Como A VOZ DA SERRA relembrou, esta foi a segunda derrota polêmica consecutiva de Edson Barboza no UFC. Na luta anterior, em setembro do ano passado, pelo UFC 242, acabou perdendo para Paul Felder, em duelo vencido por Barboza na opinião da maioria dos especialistas. Além da questão esportiva e do senso de justiça, o acúmulo de resultados negativos pesa no retrospecto recente, que agora aponta uma vitória nos últimos seis confrontos.

O ranking do UFC é montado com base na análise de jornalistas escolhidos pela própria organização. Após cada compromisso realizado, os profissionais alteram as posições de acordo com considerações pessoais. Logo após a derrota para Dan Ige, no dia 16 de maio, nos Estados Unidos, Barboza concedeu entrevista ao portal Ag.Fight e pediu maior qualificação das pessoas escaladas para julgarem os combates.

“Única maneira de não deixar nas mãos dos árbitros é acabar antes. Tenho feito meu trabalho que é ir lá e lutar, e nas últimas duas vezes, se ouvir todos os especialistas, eu venci. Então é melhor não deixar nas mãos deles, mas quando não dá, como nas últimas duas lutas, eu ganhei. Tem que colocar pessoas mais qualificadas para julgar essas lutas. Não quero me estressar com isso, porque sei que ganhei as lutas. O mais importante para mim não é a Comissão Atlética chegar e falar que eu ganhei as lutas, mas sim o UFC dizer isso e me pagar como se fosse o vencedor. É a coisa certa a se fazer agora pela organização. E como o Dana White falou que eu venci a luta, estou aguardando o UFC falar que eu venci”, destacou Barboza.

O lutador friburguense compete no MMA desde 2009. Desde então soma 20 vitórias e nove derrotas no cartel, sendo 14 triunfos pelo Ultimate, onde atua há quase dez anos. Aos 34 anos de idade, o friburguense amarga, contando com este último, três reveses consecutivos.

 

LEIA MAIS

Sem novo compromisso marcado, o friburguense, número 1 do ranking da categoria, elege Dominick Cruz como alvo na organização

Apesar de ter dominado duelo, atleta friburguense não teve o braço erguido ao final do combate

Atleta friburguense dominou a maioria da luta, mas árbitros entenderam de outra forma

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: UFC