Rejuvenescimento e harmonização vaginal

Procedimentos realizados através de cirurgia plástica melhoram a estética íntima feminina
sábado, 01 de fevereiro de 2020
por Ana Borges (ana.borges@avozdaserra.com.br)
O médico Márcio Lamblet, ginecologista e obstetra, também tem formação em cirurgias ginecológicas
O médico Márcio Lamblet, ginecologista e obstetra, também tem formação em cirurgias ginecológicas

O médico friburguense Márcio Lamblet, ginecologista e obstetra com formação em cirurgias ginecológicas, e dono de extenso currículo, foi chefe do Departamento de Ginecologia do Instituto Fernandes Figueira (RJ), é médico da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz, Rio) e também atende em clínica particular. Além de acompanhar suas pacientes durante o pré-natal e cuidar de gestações de baixo e alto risco, atua em partos normais humanizados e cesária com indicação. 

Entre suas diversas especializações, destacamos: terapia de reposição hormonal com experiência em implantes hormonais; laserterapia ginecológica para tratamento funcional e estético da área genital; histerectomia vaginal sem prolapso; harmonização vaginal através de procedimentos em regeneração funcional e estética íntima. 

Em relação ao último procedimento acima citado, você sabia que os lábios externos da vulva podem ficar flácidos? De acordo com Lamblet, da mesma forma que a nossa pele perde elasticidade com o passar dos anos, a região íntima também sofre com a ação do tempo, perdendo suas fibras de sustentação. 

“O rejuvenescimento dessa região melhora a elasticidade dos tecidos. O laser na região íntima causa o aumento da temperatura nos tecidos tratados através da emissão de ondas de calor que ativam o metabolismo dos fibroblastos. Com isso aumenta a produção de elastina e colágeno nessa região, favorecendo a remodelação a longo prazo o que diminui a flacidez. Os resultados começam a ser percebidos já a partir da segunda sessão”, explicou.  

O especialista esclareceu que por volta dos 30 anos, a pele da região vulvar começa a perder elasticidade devido à diminuição da produção de colágeno e fibras elásticas, o que leva à extrusão dos pequenos lábios e uma assimetria dos grandes lábios, além de ressecamento, flacidez, perda de volume, dores na relação e escurecimento da região, ocorrências que podem trazer insatisfação na vida sexual da mulher. 

“A harmonização da região genital pode ajudar a mulher a recuperar a autoestima e o prazer nas relações sexuais. Cabe ressaltar que algumas alterações são da idade, ou anatômicas e outras por efeitos de hábitos. Mas há como resolver cada situação”, ressaltou o médico.

Harmonização

Para o especialista, nunca a área genital feminina recebeu tanta atenção. O aumento da expectativa de vida, o empoderamento feminino, a liberdade sexual, entre outras conquistas, expôs mais a área genital e a sua aparência, levando à busca pelo rejuvenescimento e sensação de bem estar. Técnicas não invasivas e realizadas no consultório, resolvem problemas como escurecimento, flacidez e ressecamento vaginal.

Algumas das indicações para os procedimentos em ginecologia regenerativa funcional e estética, são: escurecimento vulvar e perineal (foliculite); flacidez e/ou perda de volume vulvar; gordura localizada (capô de fusca); suor excessivo na virilha; ressecamento/fissura do intróito; aumento dos pequenos lábios; alargamento vaginal; atrofia genital e falta de lubrificação. 

Laser

“O laser Co2  é a opção mais moderna para a recuperação da área genital, através de estímulo da produção de colágeno e fibras elásticas para melhorar a funcionalidade da área tratada”, revelou. Segundo Lamblet, as queixas mais comuns, que muitas vezes não são abordadas por vergonha ou falta de oportunidade, têm solução com o emprego do uso correto do laser fracionado de Co2, um procedimento realizado em consultório médico, sem necessidade de internação. 

O procedimento a laser íntimo pode ser feito em mulheres a partir dos 35 anos que se queixam de pequenos incômodos e insegurança durante a relação sexual. Entre os principais sintomas estão a falta de lubrificação (secura vaginal), sangramento e dor durante e após a relação sexual, pequenas fissuras no intróito vaginal, infecção urinária de repetição, infecção urinária (que não necessita cirurgia), vaginismo e puerpério (período pós parto). 

“Para as mulheres que ainda não chegaram aos 35 anos, o laser é recomendado para o tratamento do ressecamento vaginal por conta do uso prolongado de anticoncepcional ou para melhorar o prazer sexual”, encerrou Márcio Lamblet.  

 

LEIA MAIS

Vivendo plenamente as transformações naturais da idade

A ausência de prazer sexual pode afetar a saúde física e psíquica das mulheres

Mesmo mais forte e empoderada, a mulher de hoje ainda luta pra viver plenamente sua sexualidade

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra