Registros de ocorrência caíram 67,5% no mês de maio em Nova Friburgo

Queda pode ter sido motivada pelo distanciamento social e da diminuição dos registros
sexta-feira, 10 de julho de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
(Foto: Henrique Pinheiro)
(Foto: Henrique Pinheiro)

Desde o dia 13 de março, o Estado do Rio de Janeiro tem adotado medidas restritivas para prevenir e combater a propagação da pandemia do coronavírus. Neste período, os registros de ocorrência dos crimes sofreram impacto nos meses de março, abril e maio. Com isso, os indicadores podem apresentar queda por causa do distanciamento social - que ajudou na redução da criminalidade - e da diminuição dos registros das ocorrências, resultando em possíveis subnotificações.

Os dados divulgados pelo Instituto de Segurança Pública (ISP) são referentes aos registros de ocorrência lavrados nas delegacias de Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro. Durante o período de restrições impostas por decretos municipais e estaduais, os serviços da Delegacia Online (https://dedic.pcivil.rj.gov.br/) e da Central 190, assim como o atendimento presencial para medidas de urgência em todas as unidades policiais, inclusive nas Delegacias Especializadas de Atendimento à Mulher (DEAMs), não tiveram os funcionamentos alterados.

Além dos dados estatísticos mensais, o ISP divulga também as informações sobre os crimes possivelmente mais impactados pelo período das restrições. Um exemplo disso foram os crimes violentos letais intencionais (homicídio doloso, roubo seguido de morte e lesão corporal seguida de morte). Ao todo, foram registradas 1.693 vítimas nos cinco primeiros meses de 2020 e 279 em maio. Os números representam o menor para o acumulado e para o mês desde 1999 no Estado do Rio de Janeiro. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 8% em relação ao acumulado do ano e de 23% em relação a maio.

Já os roubos de rua (roubo a transeunte, roubo de aparelho celular e roubo em ônibus) tiveram 33.378 registros nos cinco primeiros meses de 2020 e 3.814 em maio. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 40% em relação ao acumulado do ano e de 66% em relação a maio em todo o território fluminense. A mesma tendência se refletiu nos registros de roubos de veículo. Foram 12.053 ocorrências nos cinco primeiros meses de 2020 e 1.586 em maio. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 35% em relação ao acumulado do ano e de 57% em relação a maio no Estado do Rio.

A realidade em Friburgo

A tese de que a pandemia de Covid-19 pode ter impactado o número de registros de ocorrência em todo o Estado se reflete também em Nova Friburgo. Ainda de acordo com os dados do ISP referentes à 151ª DP, o número de registros de ocorrência caiu 67,5% no mês  de maio em comparação com o mesmo período no ano passado. Enquanto em 2020 foram registradas 173 ocorrências na delegacia friburguense, no ano passado esse número foi bem maior: 532.

Dentre essas, chama atenção a queda no número de registros de furtos pela 151ª DP. Foram 14 em maio deste ano contra 91 no mesmo período de 2019, uma diminuição de quase 85%. O total de roubos também apresentou redução. Caiu de 13 em maio de 2019 para nenhum registro no mesmo período de 2020. Já apreensão de drogas, um dos crimes mais comuns em Nova Friburgo, também apresentou ligeira queda no período. Caiu de 47 em maio de 2019 para 38 no mesmo mês deste ano.

A diminuição no número de registros de ocorrência também pode ser observada na comparação do acumulado do ano – de janeiro a maio. No período, o total de registros caiu de 2.682 em 2019 para 1.573 em 2020 – uma redução de 41,3%. O total de furtos também apresentou queda: de 414 para 171 – uma diminuição de 58,7%. O mesmo se aplica ao total de roubos, que diminuiu de 81 no ano passado para 30 neste ano – redução de 62,9%. As apreensões de drogas também apresentaram queda no acumulado de janeiro à maio. Foi de 266 em 2019 para 214 em 2020 – queda de 19,5%.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra