Prefeitura contrata empresa para informatizar multas de trânsito em Friburgo

Serviço tem, no entanto, até 60 dias para ser implantado e deverá ficar por conta da nova gestão
quarta-feira, 25 de novembro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
Agente de trânsito em ação em Nova Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)
Agente de trânsito em ação em Nova Friburgo (Foto: Henrique Pinheiro)

A Prefeitura de Nova Friburgo já assinou o contrato com a empresa que prestará os serviços de tecnologia da informação para registro de infrações de trânsito e transporte no município. A vencedora da licitação foi a empresa Declink Desenvolvimento e Consultoria de Informática, que ofertou o valor de R$ 62.970,00 por dois anos de contrato. Com a novidade, os agentes de trânsito da Secretaria Municipal de Ordem e Mobilidade Urbana (Smomu) irão deixar de utilizar os tradicionais blocos de papel para aderir à tecnologia adotando uma espécie de ‘talão eletrônico’ para o registro de infrações nas ruas.

A informação já havia sido antecipada por A VOZ DA SERRA na edição do último dia 30 de setembro. Chama a atenção que o valor final da licitação é cerca de R$ 650 mil a menos que a estimativa inicial do pregão, que inicialmente foi orçado em R$ 747.338,00. De acordo com o edital, os serviços serão desenvolvidos e implantados em até 60 dias a partir da assinatura do contrato, ocorrida no último dia 12. Com isso, a efetiva implementação do serviço deverá ficar por conta do futuro prefeito Johnny Maycon, que irá assumir o cargo em 1º de janeiro de 2021.

A empresa contratada permitirá registros on-line e off-line dos autos de infração, bem como a consulta em tempo real de informações de veículos, com acesso virtual à base de dados do Detran-RJ e armazenamento de dados de veículos. Para isso, a empresa vencedora da licitação irá fornecer diversos itens para possibilitar a informatização do sistema de multas do município, como 25 equipamentos PDA (sigla em inglês para ‘assistente pessoal digital’), com câmera fotográfica, cinco impressoras portáteis, entre outros.

Para justificar a substituição do talão de papel pelo talão eletrônico, a prefeitura alega que “o processo de fiscalização de trânsito atualmente praticado no município é burocrático e vagaroso, além de sujeito a falhas”. E que, “diante desse cenário, a utilização de meios tecnológicos disponíveis no mercado têm se mostrado uma das formas mais eficazes no auxílio da gestão e do registro de infrações de trânsito”.

De fato, o aumento da frota de veículos automotores em circulação nas vias urbanas da cidade requer a implementação de tecnologias capazes de aprimorarem a gestão operacional do trânsito, tanto na fiscalização quanto nas demais atividades de apoio. Em suma, com a utilização do talonário eletrônico, o agente de trânsito vai lavrar o AIT (Auto de Infração de Trânsito) utilizando-se do equipamento móvel portátil que, automaticamente, transmitirá as informações registradas, via internet, para a base de dados do Detran-RJ, o que, segundo a prefeitura, trará economia de tempo e recursos, pois não será necessário digitalizar, digitar e arquivar os autos de infração de trânsito, já que os mesmos serão arquivados nos bancos de dados das partes, estando aptos para a emissão da notificação de autuação.

Falando em multas...

O Detran informou nesta terça-feira, 24, que continua realizando operações de fiscalização em municípios que solicitam apoio para realização de blitzes com foco de coibir motos irregulares. E Nova Friburgo está entre essas cidades. Somente entre os últimos dias 16 a 19, o órgão estadual realizou 241 abordagens e 177 infrações de trânsito aplicadas no município. Além das multas, também foram emitidas notificações de encaminhamento ao posto para a regularização das irregularidades.

As queixas de friburguenses quanto ao barulho excessivo provocado por algumas motos é um problema antigo, mas que ficou ainda mais evidente no período inicial da pandemia, quando os serviços de entregas em domicílio aumentaram substancialmente. O problema, inclusive, já foi tema de diversas reportagens em A VOZ DA SERRA.

De acordo com o artigo 230 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), conduzir o veículo com alguma característica alterada, seja ela cor ou até mesmo o escapamento, é uma infração de trânsito grave, gerando ao condutor uma multa no valor de R$ 195,23.

 

LEIA MAIS

Apesar do decreto mais restritivo, Faol alega problemas financeiros para operar com frota total no horário de rush

Comte Bittencourt tentará fazer uma ponte com Secretaria estadual de Saúde para viabilizar pleito

Serviço de iluminação pública tem horário ampliado em todos os bairros de Friburgo

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito | Governo