Partida entre Brasil e Argentina é interrompida após intervenção da Anvisa

Quatro jogadores entraram em campo sem cumprir isolamento no hotel
segunda-feira, 06 de setembro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
A partida paralisada (Foto: O Globo)
A partida paralisada (Foto: O Globo)

A  Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) paralisou na tarde do último domingo, 5, o jogo entre Brasil e Argentina pelas eliminatórias da Copa do Mundo, após cinco minutos do início da partida na Neo Química Arena, em São Paulo. O árbitro, então, encerrou o jogo. A decisão foi tomada após quatro jogadores argentinos entrarem em campo, mesmo com a determinação da agência de que teriam de cumprir isolamento no hotel para serem deportados para a Argentina.

Sem citar os nomes dos jogadores, a Anvisa informou que os atletas jogadores teriam descumprido as regras sanitárias brasileiras segundo as quais “viajantes estrangeiros que tenham passagem, nos últimos 14 dias, pelo Reino Unido, África do Sul, Irlanda do Norte e Índia, estão impedidos de ingressar no Brasil”. Diante da situação, há possibilidades de os jogadores serem deportados do país.

A Anvisa informa que considera a situação “risco sanitário grave”, motivo pelo qual orientou as autoridades em saúde locais “a determinarem a imediata quarentena dos jogadores, que estão impedidos de participar de qualquer atividade e devem ser impedidos de permanecer em território brasileiro”. Apesar das identidades não terem sido reveladas, Emiliano Martinez e Emiliano Buendia, do Aston Villa (Inglaterra), entraram em campo contra o Brentford no dia 28 de agosto, enquanto Lo Celso e  Cristian Romero, do Tottenham (Inglaterra) ficaram no banco contra Watford no dia seguinte. Os quatro declararam que não estiveram nos últimos 14 dias no Reino Unido.

O árbitro de Brasil e Argentina e um comissário da partida levarão um relatório à Comissão Disciplinar da Fifa, que determinará quais serão os próximos passos. "As eliminatórias da Copa do Mundo são uma competição da Fifa. Todas as decisões que se tratam da sua organização e o desenvolvimento são poderes exclusivos dessa instituição."

Em nota, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) lamentou profundamente o ocorrido: “A CBF defende a implementação dos mais rigorosos protocolos sanitários e os cumpre na sua integralidade. Porém ressalta que ficou absolutamente surpresa com o momento em que a ação da Anvisa ocorreu, com a partida já tendo sido iniciada, visto que o órgão poderia ter exercido sua atividade de forma muito mais adequada nos vários momentos e dias anteriores ao jogo."

Segundo o jornal O Globo, um documento oficial da Anvisa sobre a confusão diz que um membro da delegação argentina, Fernando Ariel Batista, falsificou informações dos quatro jogadores. Eles tinham passado pelo Reino Unido, o que exigiria cumprimento de quarentena no Brasil, mas não há essa informação nas declarações sanitárias preenchidas por Batista.

Em entrevista à imprensa argentina, Batista negou que tenha preenchido os documentos e afirmou que não estava na delegação argentina que veio para o Brasil. A assinatura desse documento é digital e ele é preenchido remotamente.
Os quatro jogadores argentinos que descumpriram a quarentena contra a disseminação do coronavírus são investigados pela Polícia Federal por falsidade ideológica após infringirem a lei sanitária brasileira.

Alex Machado Campos, diretor da Anvisa, concedeu entrevista ao Seleção SporTV na tarde desta segunda-feira, um dia após a suspensão do jogo entre Brasil e Argentina, em São Paulo. Alex reiterou o descumprimento de normas sanitárias por parte de quatro jogadores (Emiliano Martínez, Romero, Lo Celso e Buendia), além do enfrentamento às autoridades brasileiras pela delegação da Argentina. "É importante esclarecer que foram uma sucessão de atos deliberados em enfrentamento às normas brasileiras. Aquele ato final, que culmina com a ação da Anvisa em campo, que não se destinava em terminar com o espetáculo, ao contrário, foi um episódio que demonstra os reiterados descumprimentos da delegação argentina. Nós não tentamos informar, nós determinamos a quarentena. Pela manhã e tarde, as autoridades esportivas da Argentina estavam completamente cientes do descumprimento. Aliás, a reunião ocorreu com representantes do Ministério da Saúde, da Anvisa, autoridade de saúde local, Conmebol, CBF e um da delegação argentina", disse Alex, segundo O Globo.

 

LEIA MAIS

Equipe tem novo desafio nesta temporada, após boa campanha no Campeonato Estadual

Reforçado por trio de ídolos do Friburguense, equipe do Estrela desponta entre favoritos

São Pedro da Serra, Estádio Guilherme Gripp e Estádio Márcio Branco são os palcos das competições

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol