Nova onda de golpes pelo WhatsApp em Friburgo agora começa pelo Instagram

Vítimas relatam que recebem promoções de perfis falsos de estabelecimentos como hotéis e restaurantes de renome
segunda-feira, 05 de outubro de 2020
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
A mensagem do golpista usando o perfil falso de um hotel famoso da cidade (Reprodução da web)
A mensagem do golpista usando o perfil falso de um hotel famoso da cidade (Reprodução da web)

Uma nova onda de golpes pelas redes sociais está tentando clonar celulares e fazendo vítimas em Nova Friburgo. Vítimas relatam que, desta vez, as falsas promoções que servem de isca estão sendo enviadas não diretamente através do  WhatsApp, mas  de perfis falsos no Instagram, em nome de estabelecimentos tradicionais da cidade, como hotéis e restaurantes conhecidos.

Os falsos perfis têm aparência de legitimidade e dificilmente levantam suspeitas. Em bom português, sem muitos erros ortográficos, pedem gentilmente o envio de nome completo e celular com DDD, para participação em sorteios de estadas ou refeições. Com o número do celular em mãos, os golpistas tentam clonar o WhatsApp, bastando, para isso, que seja enviado e confirmado um código de seis dígitos por SMS. 

Em muitos casos, o próprio serviço de segurança do WhatsApp consegue bloquear o acesso, enviando ao verdadeiro dono do celular uma confirmação do pedido de envio do código. A autentaticação em dois fatores pode ser uma solução nesses casos (ver abaixo).

Com o número do celular clonado, golpistas conseguem se fazer passar pela pessoa e pedir, por exemplo, dinheiro à sua rede de amigos.

Golpes em aprimoramento

Na forma mais antiga do golpe, as quadrilhas especializadas em clonagem conseguem levantar milhares de reais em poucas horas. O primeiro passo é conseguir o número do WhatsApp da vítima, geralmente em sites de anúncios de compra e venda. Depois a quadrilha entra em contato com a vítima dizendo que há algum problema no cadastro dela no referido site e que, para resolver a situação, é necessário enviar um código de seis dígitos. Mas esse código é, na verdade, são os números para instalar o aplicativo em outro aparelho.

Quando o golpista tem acesso ao código, na mesma hora ele toma conta do WhatsApp da vítima e passa a pedir dinheiro aos contatos como se fosse a pessoa. Quem acredita estar ajudando um conhecido, amigo ou parente faz a transferência para a conta de um "laranja" e provavelmente nunca mais recupera o dinheiro.

Como se proteger?

O WhatsApp lançou o recurso da confirmação em duas etapas, que é opcional e funciona como uma camada extra de segurança para sua conta. Com a confirmação em duas etapas ativada, você precisará digitar o PIN de seis dígitos todas as vezes que quiser confirmar seu número no WhatsApp.

Ao ativar esse recurso, você poderá inserir seu endereço de e-mail. Caso você esqueça seu PIN de seis dígitos, o WhatsApp enviará um link a esse e-mail para desativar a confirmação em duas etapas. Isso também ajudará você a proteger sua conta.

Para lembrar seu PIN, o WhatsApp irá solicitar que você o digite periodicamente. Não há como desativar essa solicitação sem que confirmação em duas etapas também seja desativada. Para ativar a confirmação em duas etapas, no WhatsApp abra: Configurações (Android) / Ajustes (iOS) > Conta > Confirmação em duas etapas > ATIVAR.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: