Monsenhor Mielli tem missa em ação de graças por seu 99º aniversário

Celebração às 19h desta sexta abrirá o ano do centenário daquele que foi responsável pela formação de gerações de friburguenses
quinta-feira, 29 de julho de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Monsenhor Mielli quando mais jovem: vida dedicada a Olaria
Monsenhor Mielli quando mais jovem: vida dedicada a Olaria

Nesta sexta-feira, 30, a Paróquia de Nossa Senhora das Graças celebrará missa às 19h em ação de graças pelos 99 anos de nascimento de seu fundador, o Monsenhor Mielli. A celebração abrirá o ano do centenário daquele que foi responsável pela formação de gerações de friburguenses.

Como mostrou A VOZ DA SERRA no ano passado (RELEMBRE A REPORTAGEM COMPLETA AQUI), antes mesmo dos 30 anos de idade o jovem padre friburguense Caetano Antônio Mielli já tinha tomado para si uma missão visionária e humanista: fundar no bairro operário de Olaria que via crescer não apenas uma paróquia, mas um complexo social, religioso e educacional que oferecesse a milhares de famílias proletárias a chance de crescimento pessoal, profissional e espiritual. Assim foi construído, a partir dos anos 50, o Centro Social Nossa Senhora das Graças, integrado por uma igreja  e um colégio.

Foi uma obra grandiosa para a época, projetada quase ao mesmo tempo que Brasília e, inicialmente, pelo mesmo arquiteto: Lucio Costa. O centro social transformaria para sempre o bairro mais populoso de Nova Friburgo, oferecendo aulas, cursos técnicos como contabilidade, formação de professores, serviços assistenciais, esportes. Alunos tornavam-se professores, fazendo a engrenagem girar.

O renomado parceiro de Oscar Niemeyer conheceu o terreno, doado em 1951 por outro visionário, Cesar Guinle, apenas por fotografias. E não pôde terminar o projeto da igreja devido à sua transferência para a construção de Brasília, delegando-o a outros arquitetos, sob a supervisão dos irmãos engenheiros Heródoto e Ariosto Bento de Mello, da jovem firma Sotec. 

A obra da igreja em concreto armado, em plena construção de Brasília, durou mais de 20 anos e representou um desafio extra para o jovem padre: além de “roubar” os projetistas,  a mudança da capital federal trouxe a dificuldade da obtenção de cimento, que era totalmente consumido pelo Planalto Central.

O empenho do padre - posteriormente Monsenhor - Mielli na obra de sua vida, edificada em fé e concreto, moveu doações, terrenos, cotas extras de cimento e fincou em Olaria um dos legados mais importantes da história de Nova Friburgo. O líder religioso morreu de infarto, em 1979, aos 56 anos.

O corpo de Monsenhor Mielli está sepultado na igreja que ele idealizou e ergueu. Friburguenses se recordam até hoje da missa de corpo presente e do velório que varou a madrugada e encheu várias vezes o templo, com o povo em lágrimas se revezando do lado de dentro e de fora, até o dia seguinte. A prefeitura decretou luto oficial na cidade, o comércio de Olaria funcionou à meia-porta em plena quarta-feira.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: