Jornalista lança a obra de ficção científica O Preço de Marte

Publicado na Amazon por João Carlos Leal, o livro foi escrito na área rural de Nova Friburgo, onde o autor mora há quase 20 anos
sábado, 01 de maio de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Jornalista lança a obra de ficção científica O Preço de Marte

Na segunda metade do século 21, um grupo de empresários, políticos e militares decide que é hora de o Brasil queimar etapas. Com algum dinheiro privado, e muitas concessões e licenças públicas, eles prometem fincar a bandeira verde e amarela no solo marciano, reivindicando para o país um quinhão do Planeta Vermelho. 

Dezenas de milhões de famílias investem suas economias no projeto, que garante retornos milionários, enquanto dois mil brasileiros, de diferentes estados, vão além: embarcam de corpo e alma na gigantesca nave construída em órbita da Terra. 

Lançado esta semana, o livro de ficção científica O Preço de Marte acompanha essa aventura espacial impulsionada por frustrações e sonhos – pessoais e coletivos –, intrigas, artimanhas políticas e golpes financeiros. 

Publicado na Amazon pelo jornalista João Carlos Leal, o livro foi escrito na área rural de Nova Friburgo, onde o autor mora há quase 20 anos. Segundo ele, a inspiração veio justamente das excelentes condições de observação de estrelas oferecidas pelo município – considerado um dos dez melhores destinos para admirar o céu noturno no país.

“Eu sempre gostei de ficção científica, mas poder ver, quase toda noite, Marte passar por cima da minha casa, e acompanhar o planeta se aproximar e afastar, indo de um ponto a uma bolinha avermelhada a cada dois anos, foi aumentando o fascínio que eu já tinha pela ideia de uma viagem até lá”, revela Leal.   

O escritor conta que o próprio livro acabou vítima de uma trama típica de ficção científica: o de despertar numa realidade alternativa. É que ao decidir terminar um dos textos que hibernam incompletos em seus arquivos, Leal puxou da gaveta esse projeto que interrompeu 15 anos antes, quando estava perto de completar 100 páginas. Na época, sua visão da jornada de centenas de brasileiros até Marte estava carregada de muito otimismo sobre o futuro do Brasil. Mas, ao ser reanimado no início de 2020, o original tomou um choque. 

“Foi como se ele despertasse em um universo espelho. Sociedade, política, economia, cultura, infelizmente, nada mais parece oferecer motivos para se esperar algo tão grandioso assim do país”, explica. 

Enredo, personagens, trama, desfecho, tudo precisou virar de pernas para o ar. Segundo Leal, restou, porém, a ideia de que se o país sobrevive, mesmo aos trancos e barrancos, é apenas graças ao talento, à energia, à dedicação e ao desapego dos que ainda acreditam que o Brasil tem jeito.

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: