Johnny Maycon limita atividades a partir de quarta para conter avanço da Covid

Novo decreto fecha bares, restaurante e clubes e restringe indústrias, comércio e pousadas na bandeira vermelha
segunda-feira, 18 de janeiro de 2021
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Johnny Maycon (à direita) com o subsecretário da Atenção Hospitalar, Ricardo Fazzoli, na live
Johnny Maycon (à direita) com o subsecretário da Atenção Hospitalar, Ricardo Fazzoli, na live

O prefeito Johnny Maycon decidiu endurecer as regras de flexibilização da economia a partir desta quarta-feira, 20, para enfrentar o recrudescimento da pandemia de coronavírus em Nova Friburgo. Segundo a prefeitura, a decisão foi tomada diante do número crescente de casos e  da "saturação dos leitos de UTI e enfermaria oferecidos pela rede pública de saúde,  ocupados em sua totalidade".

Confira as mudanças:

  • As indústrias terão que reduzir a taxa de ocupação para apenas 20% de sua capacidade total na bandeira roxa e para 40% na bandeira vermelha (hoje vale 65% do total na vermelha)
  • O comércio funcionará com horário reduzido: nas bandeiras vermelha e laranja,  as lojas só poderão abrir de segunda a sexta-feira, das 10h às 18h, e não aos sábados
  • Restaurantes, praças de alimentação e lanchonetes funcionarão de forma excepcional, com suas atividades somente na modalidade delivery, ficando proibida a retirada na local
  • Na bandeira vermelha, os bares permanecerão fechados, apenas com delivery, sem retirada na porta
  • Os shoppings poderão funcionar com redução no horário de funcionamento, e cinemas não funcionarão nas bandeiras roxa, vermelha e laranja
  • Hotéis e pousadas não poderão funcionar na bandeira roxa. Na vermelha, funcionarão apenas com 50% da sua capacidade de ocupação
  • Instituições religiosas não poderão funcionar na bandeira roxa; nas demais bandeiras, fica autorizado o funcionamento com percentuais reduzidos e regramento para ritos
  • Clubes sociais permanecerão fechados nas bandeiras roxa e vermelha;
  • Festas e demais atividades que promovam aglomeração estão proibidas.

A  prefeitura vai intensificar as fiscalizações, com, inclusive, notificações e advertências em caso de descumprimento do novo decreto. As medidas mais restritivas anunciadas pelo prefeito Johnny Maycon são necessárias para "quebrar a taxa de transmissão no município e proteger a população"  segundo a prefeitura, que reforça também a recomendação para que a população faça a higienização das mãos e use máscaras.

“Não entramos na bandeira roxa porque temos que obedecer a todos os critérios epidemiológicos que construíram esse embandeiramento, esse escalonamento. Então, todo o estudo que foi feito até aqui a gente não pode desprezar. Até porque, a qualquer momento, a gente pode sofrer o processo de judicialização, por isso que a gente está fazendo e tomando todas as medidas com embasamento legal. Não estamos fazendo nada de um dia para o outro para que os segmentos e as instituições, de um modo geral, se preparem”, disse  o prefeito Johnny Maycon.

“Esse embandeiramento mostra a realidade que estamos vivendo, nós estamos com os hospitais público e privados lotados. Eu peço à população, encarecidamente, que tomem todos os cuidados que a gente vem alertando desde o início desta pandemia. O município não pode correr o risco de não conseguir atender a nossa população”, disse  o subsecretário da Atenção Hospitalar, Ricardo Fazzoli.

O novo decreto na íntegra, com as devidas atualizações, está disponível no Diário Oficial eletrônico, basta clicar aqui para conferir.

Reunião de urgência

Na tarde deste domingo, 17, o prefeito Johnny Maycon convocou uma reunião de urgência com representantes do Comitê Operativo de Emergência (COE). A decisão foi tomada após receber a informação que os setores de CTI exclusivos para pacientes com Covid-19 do Hospital Municipal Raul Sertã e mais duas unidades privadas estariam lotadas,  e demais unidades perto da superlotação. 

Em uma live no Facebook, Johnny prometeu agir com rigor. “Estamos desenvolvendo uma força-tarefa para fiscalizar in loco o respeito ao novo decreto restritivo, com a promessa de tomar medidas radicais para quem descumpri-lo. Orientação, sanções, multa e até mesmo medidas judiciais como cassação de alvará serão tomadas”, avisou.

O prefeito disse na live que o município atravessa o pior momento da pandemia. “Precisaremos tomar algumas medidas para proteger a população. Alguns vão encarar essas medidas como sendo drásticas, mas é necessário”, disse Johnny. “Não há outra possibilidade que seja rever a questão do decreto de flexibilização para quebrar a taxa de transmissão”, completou Ricardo Fazolli.

Após encerrar a live, o prefeito seguiu para o Hospital Raul Sertã e, na manhã desta segunda-feira, 18, informou que ficou na unidade até de madrugada. O prefeito garantiu à população que, mesmo com o cenário alarmante na unidade, os friburguenses serão atendidos. “Apesar da situação estar preocupante, ela está controlada. Quem precisar se dirigir ao hospital será atendido de forma digna”, garantiu Johnny.

 

LEIA MAIS

Estágio libera aulas presenciais nas escolas particulares e atividades comerciais que estavam restritas como bares e restaurantes

Novo público-alvo foi definido a partir da chegada de 1.500 doses de Coronavac na última quinta

Medida visa a garantir que o município conte com os imunizantes, independentemente do Ministério da Saúde

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra