Frizão supera Nova Iguaçu, lesões e segue vivo no Grupo X

Placar de 1 a 0 foi sofrido e conquistado com bastante suor, mas fundamental para manter a equipe nesta fase do Estadual
terça-feira, 18 de fevereiro de 2020
por Vinicius Gastin
Friburguense conquista importante vitória e segue vivo no Grupo X do Estadual
Friburguense conquista importante vitória e segue vivo no Grupo X do Estadual

Um jogo difícil, truncado, tenso e desgastante. Para se ter uma ideia, as três alterações feitas pelo técnico Cadão foram por lesões. Dentro desse cenário típico da luta pela sobrevivência no Grupo X, o gol de Jhonatan, logo no início de partida, definiu a vitória do Friburguense por 1 a 0 sobre o Nova Iguaçu, no último sábado,15, no Eduardo Guinle. Resultado sofrido e conquistado com bastante suor, mas sobretudo fundamental para manter o Tricolor da Serra vivo nesta fase do Estadual.

O Friburguense soma agora oito pontos, ocupa o segundo lugar na tabela de classificação e, com apenas três dias de preparação, já terá o confronto com o Americano. Após vencer o América por 2 a 0, o time de Campos lidera o Grupo X, com dez pontos, e joga por um  empate com o Frizão, que precisa vencer para se garantir na Seletiva de 2021. A partida decisiva acontece nesta quarta-feira, 19, às 15h, no Ferreirão.

O jogo

Mesmo com Magrão novamente disponível, o técnico Cadão optou pelo meia atacante Rodriguinho na lateral direita. Desta forma, o esquema com três zagueiros foi desfeito, e se em tese o Tricolor perdeu um pouco na marcação por aquele setor, ganhou mais uma opção ofensiva para tentar penetrar na defesa do Nova Iguaçu. E foi dele a pressão sobre o adversário que originou o primeiro escanteio da partida, cobrado por Ricardo e finalizado sem direção por Jorge Luiz.

O Nova Iguaçu tentou pressionar a saída de bola do Friburguense, e desta forma que conseguiu recuperar a posse e criar uma situação de perigo. Afonso quase se atrapalhou com Ricardo, e a bola passou perigosamente por cima da meta. Aos cinco minutos, entretanto, o time visitante deixou espaços ao tentar povoar o campo ofensivo, e Lucas recebeu com liberdade para contra atacar pela esquerda e encontrar Jhonatan. O camisa nove teve calma para dominar, limpar a marcação e tocar para o fundo das redes, abrindo o placar para o Frizão.

Em meio a comemoração do gol, Bruno voltou a sentir a lesão que havia o tirado de campo minutos antes, e saiu para entrada de Magrão. Preterido na escalação titular, passou a formar dupla com Raniel. E eles tiveram trabalho depois do erro de Diogo no meio-campo, que gerou contra golpe para o time laranja. Ricardo fechou na grande área e impediu a conclusão de Bruno. Depois de um verdadeiro perde e ganha no meio-campo, dos dois lados, o tempo técnico foi decretado para Cadão e Hermes Júnior conversarem com as equipes.

Se o Nova Iguaçu tentou explorar a velocidade dos atacantes nas costas da defesa tricolor, o Frizão encontrou na bola alta uma possibilidade para buscar o segundo gol. Aos 26 minutos, Raniel subiu mais que a zaga, escorou e a bola foi salva praticamente em cima da linha. A resposta adversária veio na mesma moeda, mas Afonso estava bem colocado para fazer a defesa sem maiores problemas. 

Jorge Luiz merece um parágrafo especial na história do primeiro tempo. Capitão e camisa dez da equipe, desarmou várias jogadas, ganhou divididas na cabeça e distribuiu belos passes. Foram mais 45 minutos de um futebol acima da média, reforçando a já reconhecida importância que tem para o Friburguense. Antes do intervalo, deu tempo para a boa cobrança de falta de Rodriguinho, defendida no canto esquerdo por Zé Carlos.

Segundo tempo

O Friburguense voltou a sofrer com lesões, e o técnico Cadão foi forçado a promover a segunda alteração por este motivo na partida. Diogo até terminou o primeiro tempo, mas não conseguiu voltar para a etapa final e deu lugar a Mancini. 

A dificuldade das duas equipes em trocar passes no meio campo deixou a bola viva, e numa dessas rebatidas, Afonso teve trabalho para defender a finalização de longa distância, no canto direito. Pouco depois, o Tricolor voltou a errar no ataque, e tanto Raniel quanto Magrão não conseguiram parar o ataque do Nova Iguaçu. De forma incrível, Fabinho fechou na pequena área e acertou o travessão, em lance que provocou um ligeiro silêncio no Eduardo Guinle. 

A torcida voltou a gritar aos 14 minutos, quando Mancini descolou bom passe na esquerda para Lucas, que buscou a grande área. Toshyia aproveitou o rebote e bateu de esquerda, com desvio. A bola ganhou altura e pouca força, sendo defendida por Zé Carlos no centro da meta. 

A jogada alta voltou a ser arma aos 22 minutos, quando Jhonatan apareceu no segundo pau e testou para a defesa do goleiro. Quando enfim conseguiu articular um bom lance, o Friburguense voltou a finalizar com Jorge Luiz na entrada da área, sem maiores problemas para Zé Carlos. 

O goleiro laranja apareceu bem aos 27 minutos para encaixar a cabeçada de Magrão, e logo depois, no minuto seguinte, para defender o chute cruzado de Ricardo em dois tempos. 

As contusões, que já haviam forçado duas substituições no Friburguense, voltaram a atormentar o técnico Cadão. Lucas, Ricardo e Toshyia apontaram problemas, restando apenas uma alteração. O lateral esquerdo foi quem apresentou a pior situação, e acabou deixando o campo para a entrada de Estevão. 

Desgastado, o Tricolor viu o Nova Iguaçu crescer na partida e esboçar uma pressão, sobretudo na bola alta. Com a boa e tradicional dose de emoção, o Frizão resistiu aos seis minutos de acréscimos e somou os três pontos.

 

Ficha Técnica 

Friburguense 1 x 0 Nova Iguaçu

 

Campeonato Carioca Série A 2020

Grupo X – 5ª rodada

15/02/2020 - 15h

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

Público: 374 pagantes (444 presentes)

Renda: R$ 5.240

Árbitro: Diego da Silva Lourenço

Assistentes: Carlos Henrique de Souza e Gustavo Correia

 

Friburguense: Afonso; Rodrigunho, Raniel, Bruno Leal (Magrão) e Ricardo; Diogo (Mancini), Jeffinho, Lucas (Estevão), e Jorge Luiz; Toshyia e Jhonatan.

Técnico: Cadão

 

Nova Iguaçu: Zé Carlos; Digão, Gilberto, Raphael Neuhaus, Iago Soares; Filipe Silva, Paulo Henrique, Gabriel Galhardo, Dieguinho; Fabinho Ayres e Bruno Santos.

Técnico: Hermes Júnior

 

LEIA MAIS

Paduano é uma das equipes que seguem na briga pelo título e acesso

Siqueira pontua mudanças no futebol e traça planos para “mudar” a imagem passada pelo time

Com a parte social estável, desafio é apoiar o futebol do clube nos próximos três anos

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol