Frizão empata sem gols com o América na Baixada

Tricolor da Serra soma mais um ponto na Série A2 e se mantém invicto há três partidas
sexta-feira, 24 de junho de 2022
por Vinicius Gastin
Retorno de Jorge Luiz foi uma das boas novidades do Friburguense (Foto: Marcos Faria Fotografia):
Retorno de Jorge Luiz foi uma das boas novidades do Friburguense (Foto: Marcos Faria Fotografia):

Um dos clássicos da Série A2 deste ano, o encontro entre América e Friburguense teve poucos momentos de emoção na tarde da última quarta-feira, 22, no Giulite Coutinho, em Edson Passos, no município de Mesquita, na Baixada Fluminense. O Tricolor, estreando Afonso e contando com o retorno de Jorge Luiz ao time titular, deu trabalho nos acréscimos, quando o experiente goleiro Deola evitou o que poderia ser o gol da vitória. A equipe da casa, por sua vez, não aproveitou as oportunidades criadas, em especial nos pés de Guilherme. 

No fim das contas, o empate sem gols é mais interessante para o Tricolor da Serra, que soma um ponto fora de casa e segue sem perder há três partidas – foram dois empates e uma vitória. O Friburguense volta a campo no próximo domingo, 26, quando recebe o Olaria, às 14h45, no Eduardo Guinle.    

O jogo

Afonso está em Nova Friburgo desde muito jovem. Veio de Goiás, diretamente para as divisões de base do clube. Foi peça importante e titular em todas as categorias, até chegar ao profissional, em 2012. Casou e constituiu família no município. Dedicado e exercendo liderança dentro de todos os plantéis montados desde então, soube esperar o seu momento. Foi reserva de Marcos e Luiz Felipe, até ganhar a sua oportunidade e brilhar em inúmeras ocasiões.

    Após interromper a carreira dentro das quatro linhas e criar uma escolinha de goleiros, passou a compor a comissão técnica liderada por Gerson Andreotti. Praticamente a mesma que topou comandar após a ida de Gerson para Portugal. De tudo um pouco Afonso já fez no Eduardo Guinle. Exatamente diante do América, contra quem levantou a taça mais importante pelo Friburguense – a Série B1 de 2019 -, fez a sua estreia à beira do gramado.

    O hiato entre a rodada final da Taça Santos Dumont e a primeira da Corcovado não trouxe apenas essa novidade. O tempo serviu para recuperar dois dos mais importantes e experientes jogadores do plantel. Se Toshyia começou como opção no banco de reservas, Jorge Luiz reassumiu a camisa 10 e o protagonismo no meio-campo, dentro do mantido esquema 3-5-2. Foi com três zagueiros que o Frizão evoluiu e ganhou quatro pontos nas duas rodadas finais do primeiro turno.

O adversário, por sua vez, entrou em campo pressionado, ainda na busca da primeira vitória na competição. O América tentou se impor, e chegou perigosamente com Guilherme, em duas finalizações nos primeiros oito minutos. Passada a empolgação do time mandante, o Friburguense começou a colocar a bola no chão e a se estabilizar na partida. Ainda havia alguma dificuldade com as infiltrações americanas. Guilherme e Rômulo foram parados por Maurício e pelo goleiro Pedro, respectivamente.

De fato, o Tricolor chegou com algum perigo à meta de Deola aos 27 minutos, quando Rodriguinho recebeu entre as linhas de marcação e acionou Renato na grande área. O camisa nove posicionou o corpo, mas bateu mal e errou o alvo. Pouco depois, Rodriguinho tentou de longe, de perna canhota, e chegou mais perto. Num jogo tão truncado e equilibrado, faltou capricho no passe final. 

O Frizão teve possibilidades com Mirral e Rodriguinho, que não conseguiram desmarcar os companheiros. O calor em Mesquita parecia contribuir para o ritmo um pouco mais lento em determinados momentos da partida.

Segundo tempo

O jogo ficou aberto nos primeiros minutos do segundo tempo. O Friburguense sentiu que poderia avançar um pouco mais e passou a frequentar o campo de ataque, embora ainda pecando no passe final. O América, ao encontrar uma brecha para contra-atacar, contou com a velocidade e um bom passe de Andrey para Rafael Carioca ajeitar. Guilherme dominou, limpou a marcação e bateu para a defesa firme de Pedro. 

 O garoto Ryan, que havia sentido lesão na primeira etapa e persistido em campo, não suportou e deu lugar a Lucas Mineiro aos cinco minutos. Com a entrada do lateral, Lucas Mello passou para a posição de origem, o meio-campo. Setor que cochilou aos 12 minutos, oferecendo espaços para o lançamento e a arrancada de Guilherme. O atacante americano chegou a passar por Pedro, mas bateu para fora. Se o Frizão ameaçou com Jorge Luiz – e pediu um pênalti por um suposto toque de mão -, o América respondeu com o chute por cima de Andrey.

    Aos 20 minutos, o Tricolor chegou bem perto de abrir o marcador. Foram duas boas jogadas no mesmo lance, de Rodriguinho e Renato, que foi ao fundo e rolou na altura da pequena área. A tentativa de conclusão do ataque foi travada pela defesa, e Deola ficou com o rebote. José Carlos e Toshyia foram as novidades de Afonso para a metade final no Giulite Coutinho, nas vagas de Renato e Lucas Mello.

Samuel chegou perto pelo lado do América, aos 37 minutos. Pouco depois, Andrey limpou a marcação de dois jogadores e bateu para a intervenção segura de Pedro. O Friburguense, embora mais presente ao campo ofensivo, pouco exigiu de Deola até ali. Israel e Cachoeiras foram as cartadas finais para tornar o Tricolor mais efetivo na frente. A bola que poderia ser a da vitória caiu no pé esquerdo de Jorge Luiz aos 46 minutos, mas Deola fez defesa espetacular para manter o 0 a 0 no placar.

O Friburguense entrou em campo com Pedro, Cris, Jean, Maurício; Lucas Mello (José Carlos), Mirral (Cachoeiras), Ryan (Lucas Mineiro), Jorge Luiz e Barrozo (Israel); Rodriguinho e Renato (Toshyia).

 

Tabela do Friburguense 

Taça Corcovado (2º turno da Série A2)

  • América 0 x 0 Friburguense, Giulite Coutinho
  • 26/ jun – Dom - 14h45 – Friburguense x Olaria, Eduardo Guinle
  • 02/ jul – Sáb - 14h45 – Macaé x Friburguense, Moacyrzão
  • 09/ jul – Sáb - 14h45 – Friburguense x Americano, Eduardo Guinle
  • 16/ jul – Sáb - 14h45 – Angra dos Reis x Friburguense, Jair Toscano
  • 27/ jul – Qua - 14h45 – Friburguense x Cabofriense, Eduardo Guinle    

 

 

LEIA MAIS

Entre os destaques da partida estavam a presença de um grande público e a participação de uma equipe da arbitragem da Ferj

Tricolor não consegue marcar e sai em desvantagem no duelo pela Copa Rio

Próximo desafio garantirá ao campeão e ao vice uma vaga em competições nacionais

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol