Dia Mundial do Câncer: um alerta nesta quinta para os efeitos do sol na pele

Aumento da expectativa de vida impacta diretamente nos casos da doença
quinta-feira, 04 de fevereiro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
Dia Mundial do Câncer: um alerta nesta quinta para os efeitos do sol na pele

O Brasil deverá registrar 685 mil novos casos de câncer para cada ano do triênio 2020/2022, segundo o Instituto Nacional de Câncer, Inca. Se descontados os casos de câncer de pele não melanoma, serão 450 mil novos registros da doença para cada ano. No constante cenário de informações e conscientização sobre a doença, muito se discute sobre os cânceres de pele do tipo melanoma. No entanto, o tipo não melanoma é justamente o mais diagnosticado ao redor do mundo e corresponde a 30% de todos os tumores malignos registrados no país.

A exposição prolongada e repetida ao sol é um dos fatores que aumenta o risco do desenvolvimento do câncer de pele, sendo a responsável por cerca de 90% dos casos. Muitas vezes a doença demora para se manifestar, já que há um longo período de latência entre a exposição aos raios UV e os sintomas. Com isso, 80% dos diagnósticos ocorrem em pessoas idosas e, à medida que as expectativas de vida aumentam, também cresce a incidência do câncer de pele não melanoma.  

De acordo com estudo realizado em 2020 pela The Economist Intelligence Unit (EUI), a proporção de pessoas com 65 anos ou mais no mundo deve alcançar 21,2% até 2050, e a incidência de diversos tipos de tumor tende a aumentar conforme a idade. No Brasil, a previsão é que o número de idosos chegue a mais de 20% da população até 2050.

Entre os cânceres de pele não melanoma está o carcinoma espinocelular (CEC), o 2º mais comum entre os do tipo, correspondendo a 20% do total de casos. Ao ano, são mais de 33 mil novos casos da doença, dos quais cerca de 5% podem evoluir para a forma avançada e causar forte impacto na vida do paciente. 

Na região sul do Brasil, dados locais indicam que as taxas de incidência de CEC de pele, em geral, variaram de 40 casos em 1980, a 120 casos em 2011, para cada 100 mil habitantes. Nas últimas três décadas, essas taxas aumentaram de 50% a 200% nos Estados Unidos. Os tipos de câncer que mais atacam os brasileiros são: pele, próstata, mama, cólon e reto, pulmão, estômago.

Sobre os tipos de câncer de pele

  • câncer de pele melanoma: tem origem nos melanócitos, as células produtoras de melanina que determinam a cor da pele.

  • câncer de pele não melanoma: apresenta tumores de diferentes tipos e os mais frequentes são o carcinoma basocelular e o carcinoma epidermoide.

LEIA MAIS

Em casos de resultado positivo, o tratamento é integralmente oferecido pelo SUS

No Brasil, estima-se que existam 920 mil pessoas vivendo com o virus HIV

Será aplicada a primeira dose em adolescentes a partir de 12 anos e em adultos a partir dos 18

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: saúde