De onde e como surgiram os nomes das redes sociais

WhatsApp quase foi nomeado "Zap", como é carinhosamente chamado por muitos brasileiros
sábado, 08 de fevereiro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
De onde e como surgiram os nomes das redes sociais

As redes sociais fazem parte do cotidiano de milhões de pessoas em todo o mundo, mas a origem dos nomes dessas plataformas é pouco conhecida dos usuários. Alguns de seus fundadores recorreram às funcionalidades oferecidas pelos serviços para nomeá-las, enquanto outros procuraram inspiração em dicionários para fazer a opção por determinado apelido. Confira a origem da designação dos principais aplicativos:

Facebook

Ganhou esse nome quando seus criadores ainda estavam na faculdade. O então aluno de Harvard, Mark Zuckerberg, criou uma versão online do diretório no próprio quarto da universidade onde morava, com mais dois colegas, além do brasileiro Eduardo Saverin. Era o ‘thefacebook.com’ (livro de rostos, em livre tradução), por se tratar, literalmente, de um livro com os rostos dos estudantes que circulavam no campus da universidade. 

Instagram 

Os criadores do Instagram, um deles o brasileiro Mike Krieger, estudante de Stanford, também usaram o diferencial oferecido pelo app para buscar inspiração para designar a marca. ‘Insta’ vem de ‘instant camera’, que significa câmera instantânea. Já ‘gram’ foi tirado de ‘telegram’, ou seja, telegrama — forma mais rápida de enviar uma mensagem via correio, antigamente.

WhatsApp

Antes de se tornar o mensageiro usado por um bilhão de pessoas em todo o mundo, os criadores do aplicativo, Jan Koum e Brian Acton, pensaram em uma plataforma na qual seria possível descobrir o que as outras pessoas faziam sem precisar perguntar. Em inglês, ‘o que está rolando?’, por exemplo, é ‘what’s up?’. O termo ‘up’ é sonoramente parecida com a redução da palavra application (aplicativo, em português), app, daí o trocadilho "WhatsApp". Curiosamente, o nome ‘zap’, como o programa é carinhosamente chamado por muitos brasileiros, foi considerado, mas não ‘pegou’, digamos assim.

Twitter

O nome da rede social de mensagens curtas foi encontrado no dicionário. Seus co-criadores, Jack Dorsey, Noah Glass, Biz Stone e Evan Williams, queriam desenvolver um serviço que aliava o envio de mensagens curtas, estilo SMS, a um pequeno grupo de pessoas, em tempo real. A princípio, seria chamado ‘Status’, substituída por Twitter, quando a palavra foi encontrada ao acaso. Em inglês, o vocábulo significa "uma breve explosão de informações inconsequentes e cantar dos pássaros", em tradução livre. E pegou com a imagem simbólica de um passarinho, que, oficialmente, se chama Larry, em homenagem ao astro do basquete Larry Bird. Bird, passarinho. 

Pinterest

A ideia para o nome da rede social de compartilhamento de imagens surgiu da junção de palavras. A sugestão foi feita pela namorada de um dos co-fundadores, Ben Silbermann, a partir da união dos conceitos de ‘pin’ (tachinha) ou ‘pinboard’ (quadro de avisos) e ‘interest’ (interesse). O que tem tudo a ver com que o serviço que é oferecido pela plataforma: salvar imagens de coisas que interessam e visualizar aquelas que importam para outras pessoas.

Skype

O Skype foi um dos primeiros serviços a permitir comunicação por voz, como ligação telefônica, através da Internet (VoIP). Por usar um sistema de comunicação peer-to-peer -  diretamente de um ponto a outro -, os criadores do programa resolveram chamá-lo de "sky peer-to-peer". O nome, no entanto, não tinha boa sonoridade e era pouco comercial. Por isso, foi mudado para "Skyper". No entanto, o domínio "skiper.com" já tinha dono, o que fez cair o "r" e se tornou, por fim, Skype.

(Fonte: TechTudo)

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: