Cultura: tema da 7ª pergunta da sabatina do AVS com os 16 candidatos a prefeito

Quais medidas concretas o eleitor pode esperar de sua administração para o resgate cultural e o fomento a novas práticas?
sexta-feira, 16 de outubro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
Cultura: tema da 7ª pergunta da sabatina do AVS com os 16 candidatos a prefeito

O conceito de cultura vai muito além das manifestações artísticas, e engloba também tradições, visão de mundo, forma de se expressar, eventos, e até mesmo a noção de identidade e a autoestima de um povo. Considerando a riqueza histórica da cultura friburguense, quais as medidas concretas que o eleitor pode esperar de sua administração para o resgate cultural, e também de fomento a novas práticas que não apenas mirem no passado, mas ajudem a ampliar este arcabouço cultural com contribuições inovadoras, criativas e atuais?

 

Alexandre Cruz

“A cultura faz parte da formação do ser. E é na infância que começamos a desenvolver o imaginário de todos. A Oficina Escola de Artes, que oferecia cursos das mais diversas modalidades artísticas às crianças e adolescentes de escolas públicas, já não funciona da mesma forma. Vamos voltar com a Oficina Escola de Artes em pleno vapor. É preciso conhecer nossa história para valorizá-la. Temos uma história linda. Somos a única cidade do Brasil criada por decreto real de D.João VI. Nova Friburgo está localizada exatamente no centro do estado. O ponto geodésico fica na Praça Getúlio Vargas. Muitos não sabem dessas e outras peculiaridades da nossa história, que vai ser matéria obrigatória nas nossas escolas. Temos um acervo histórico enorme, na Fundação D. João VI, que será aberto à população. O Centro de Artes, que já foi palco da efervescência cultural e, hoje, encontra-se fechado, vai ser reaberto. Faremos, do trecho entre o prédio da Energisa e o do antigo fórum, um corredor cultural. E, para a cultura chegar a todos, criaremos a Caravana Cultural, que levará artes aos bairros e distritos, com apresentações de nossos artistas friburguenses.”

 

André Montechiari

“ ‘Deixo a saudade vazia, sem medo traço meus lemas, vou fazer a travessia na floração de poemas!’ Ao falar de cultura, eu fico emocionado. Cresci apreciando as obras de minha avó, Dirce Montechiari. Sua arte e sua sensibilidade eram como luz na escuridão. Nova Friburgo tem cuidado muito mal da sua cultura, do seu patrimônio histórico e dos seus artistas. Exemplo disso é o Centro de Artes, fechado desde 2011. Tenho feito poucas promessas ao longo desta campanha, mas um compromisso assumo: reinaugurar, em dez dias, o Centro de Arte. Aquele pequeno porão, onde passei ótimos momentos da minha juventude, não pode continuar fechado. Ele é o berço cultural de Nova Friburgo. Vamos levar a nossa cultura e história para as escolas, associações, escolas de samba e comunidades. Vamos estruturar os pontos de cultura, dotar a Fundação D. João VI da estrutura necessária para o exercício de suas importantes funções, valorizar o Carnaval como importante instrumento cultural de nosso povo, resgatar as bandas marciais, fomentar as novas manifestações culturais, valorizar os nossos artistas, construir o Museu da História de Nova Friburgo e valorizar as nossas colônias.”

 

Arthur Mattar

“Vamos criar e preservar espaços, equipamentos e infraestruturas, eventualmente de multi utilização, onde as expressões culturais e criativas fiquem acessíveis a diferentes e variados públicos. Por isso vamos reabrir o Centro de Arte; vamos estabelecer, no início do ano, um calendário oficial de eventos; vamos criar o Museu Histórico de Nova Friburgo e o da Imigração; vamos revitalizar monumentos, praças, teatros, bibliotecas; vamos ainda recuperar o “Cine Theatro de Amparo”; vamos fortalecer parcerias e convênios com outras instituições para promoção de programas, projetos e ações voltadas à cultura inclusiva proporcionando que pessoas com cegueira, baixa visão, surdez, deficiência mental ou física, autismo, entre outras situações, tenham acesso aos bens, produtos e serviços da cultura, dentro dos princípios de respeito e igualdade; vamos incentivar o pleno funcionamento do Conselho Municipal de Cultura; vamos promover programas e ações que assegurem o acesso aos bens, serviços e produtos da cultura e a liberdade de expressão de grupos minoritários e comunidades em situações de exclusão social ou de vulnerabilidade ou ainda que envolvam questões de gênero, orientação sexual e etnia.”

 

Cacau Rezende

“A questão da identidade cultural pode tocar, inclusive, na questão econômica, pois esta imagem favorece o turismo, por exemplo.  Nossos espaços públicos sofrem um processo de decadência em relação aos patrimônios históricos e culturais. Há uma necessidade de revitalização destes espaços, de resgate da dimensão humana. Galerias de arte, ruas e praças animadas e cheias de gente, permitem mais trocas afetivas, de negócios e promovem a criatividade e a inovação.  O Centro de Artes é um exemplo simbólico para a cultura friburguense. Mas é preciso compreender que a cultura não está circunscrita a um lugar específico. Olhar a cultura de rua, o artista que leva a sua arte a toda parte. Deduzir do imposto municipal do empresário que contratar shows, exposições e peças. A ideia é empoderar a classe artística transformando o Conselho Municipal de Cultura em órgão deliberativo. Quem definirá as prioridades são aqueles que fazem a cultura no dia a dia. Na questão da identidade cultural, somente quando formos capazes de respeitar e valorizar nossa própria história é que teremos condições de fazer progredir Nova Friburgo. Encontrar um caminho para o nosso futuro é também redescobrir o nosso passado.”

 

Cláudio Damião

“A primeira medida será devolver o Centro de Arte para os artistas e para a população. Sou autor da Lei Cultura Viva Municipal, cujo objetivo é apoiar as diversas manifestações artísticas e culturais. Proveremos com recursos o Fundo Municipal de Cultura. Participei do Conselho Municipal de Cultura, sei da sua importância. No nosso governo o Conselho será respeitado. Garantiremos o financiamento para o desenvolvimento da cultura apoiando e fortalecendo o Plano Municipal de Cultura. Criaremos o núcleo técnico de Políticas Culturais e Elaboração e Produção de Projetos para oferecer suporte e assessoria aos interessados em participar de editais e leis de incentivo. Ampliaremos e fortaleceremos as atividades da Oficina Escola de Artes de Nova Friburgo, através da oferta do ensino público de arte a crianças e jovens oriundos das famílias de baixa renda, bolsistas da rede privada de ensino, e pessoas com deficiência. Valorizaremos e promoveremos a diversidade cultural, em ação conjunta das secretarias de Cultura, de Educação e de Comunicação, para disseminar e divulgar as produções culturais dos diversos grupos sociais locais. Promoveremos a economia da cultura e a economia criativa.”

 

Delegada Danielle Bessa

“Nova Friburgo tem um patrimônio cultural imenso que está abandonado, muito mal explorado e pouco divulgado. São todos os bens que representam a memória e a identidade cultural dos grupos que formam a nossa sociedade. A conservação do patrimônio cultural tem que ser de máximo interesse público, visto que ele representa a história dos friburguenses. A cidade é um centro da cultura e o município precisa ser o ator principal no apoio da cultura local. Nas primeiras semanas do meu governo teremos um diagnóstico sobre a realidade cultural local e vamos definir com precisão as potencialidades culturais no município e as dificuldades que podemos enfrentar para sua exploração. A partir desse estudo, vamos planejar os melhores caminhos para a valorização do nosso patrimônio cultural e valorização do cidadão friburguense que vive da arte e da cultura. Vou dar muita atenção às crianças. Quero incentivar visitas na Fundação Dom João VI, Biblioteca Municipal e Teatro Municipal e, ainda, criar um calendário de apresentações das nossas bandas centenárias Euterpe Friburguense e Campesina Friburguense em escolas municipais. Acompanhe: https://delegadadaniellebessa.com.br/nossas-propostas/

 

Dr. Luis Fernando

“Nova Friburgo possui uma das histórias mais ricas e interessantes de todo o Rio de Janeiro e a cultura dos colonos está fortemente ligada à vida local. Vamos estimular a divulgação qualificada de aspectos culturais dos povos fundadores e revitalizar a Praça das Colônias. Divulgar a cidade de modo a que o turista se sinta na Europa sem sair do Estado. Aqui ele poderá desfrutar da culinária, dança e artesanato de diversos países, com nossa hospitalidade e em português! Vamos criar e estimular eventos culturais (música, literatura e dança, por exemplo) que fortalecerão laços locais e atrairão turistas. O artesanato local é variadíssimo, sustentável e de alta qualidade, merece estar mais próximo ao centro para que todos tenham acesso e possam se encantar. O comércio e a exposição de artesanato para venda devem estar disponíveis todos os fins de semana. Nossa cidade possui um dos melhores teatros de toda a região, com um anfiteatro onde o público fica ao ar livre, essencial em tempos pós-pandemia, de reabertura lenta e gradual dos equipamentos culturais. Vamos revitalizar esses equipamentos e manter uma programação permanente, com atrações locais e externas de música, teatro e dança.”

 

Hugo Moreno

“Friburgo Operária suplantará a Doutrina da Ordem Urbana e empreenderá a formação humanística da Guarda Municipal, voltada à promoção da cultura. Assumirá a defesa dos artistas de rua, cujo ofício público será garantido e estimulado. As manifestações populares receberão justa subvenção, atrelada ao custo operacional e reajustável ao longo do tempo em patamares definidos pelo conselho popular. O Fundo de Cultura contará com gestão democrática e participativa, com obrigatória reversão de valores à cultura popular e aos artistas independentes e de rua. Os equipamentos culturais serão abertos às manifestações populares, que contarão com isenção fiscal para o devido uso. O Centro de Arte será reativado e assim como o Teatro Municipal, direcionado aos artistas independentes. Será implementada a “Fábrica de Cultura”, área multiuso adequada a atividades de grande público e integrada ao sistema de mobilidade urbana, com a disponibilização de espaço para a instalação dos barracões das escolas de samba. Na Friburgo Operária, o povo pobre e excluído terá, literalmente, voz por meio do apoio incondicional às manifestações populares de rua. Afinal, “a gente quer comida, diversão e arte” (Titãs).

 

Johnny Maycon

“Na nossa gestão vamos valorizar, estimular e investir nos artistas friburguenses e resgatar os valores históricos de nossa cultura. Para isso, cadastraremos todos os friburguenses que promovem cultura em Nova Friburgo e buscaremos parcerias com os mesmos a fim de desenvolver projetos nas unidades educacionais, nas praças e comunidades. Também buscaremos parcerias com a iniciativa privada para financiar talentos friburguenses a fim dos mesmos realizarem apresentações nos espaços públicos e particulares. Desenvolveremos projetos que visem ampliar a promoção da cultura nos equipamentos públicos como teatro, anfiteatro e outros. Instituiremos o calendário anual de atividades culturais com a participação do Conselho Municipal de Cultura. Articularemos uma rede de cultura e arte com a criação de novos espaços culturais nos bairros e fomentaremos a produção e o consumo de bens culturais em toda a cidade. Vamos aumentar gradativamente o orçamento para investimento direto em cultura para garantir as condições financeiras de programas consistentes e relevantes, pois a cultura é formadora de cidadania e base do desenvolvimento sustentável para todos os friburguenses.”

 

Juvenal Condack

“Para o resgate cultural de Nova Friburgo precisamos valorizar a riquíssima tradição gastronômica, musical e costumes de nossos colonizadores, incentivando artistas locais e realizando eventos públicos alinhados com o setor de turismo. Com base no Plano Mais, vamos criar um calendário anual de eventos, com atividades voltadas para a Praça do Suspiro, Centro de Arte e Teatro Municipal Laercio Ventura.

Vamos reabrir a Praça das Colônias, colocar o anfiteatro para funcionar, construir um moderno Centro de Artes no terreno anexo à Praça do Suspiro e disponibilizar espaços estilizados e padronizados para os artistas locais. Os prédios do entorno receberão iluminação especial e a Fonte da Saudade, do Ciúme e do Amor vai se transformar na fonte da cultura, orgulho e riqueza do povo friburguense. Para os distritos, o Plano Mais prevê revitalizar a Rua Antônio Lugon, em Amparo, com seu Cine Teatro, e estilizar Mury como uma vila suíça-alemã.  Vamos promover e colocar nas ruas e praças as centenárias bandas Campesina, Euterpe Friburguense e Lumiarense, além de cuidar de prédios históricos do centro da cidade, como o antigo fórum e a Fundação D. João VI.”

 

Lucidarlen Novaes

“Nova Friburgo é tradicionalmente um grande celeiro de talentos culturais. Nosso governo terá o compromisso com os profissionais que desempenham trabalhos e projetos culturais, principalmente com crianças e adolescentes. Planejaremos dentro do nosso orçamento e de acordo com os decretos e resoluções criadas no período da pandemia e pós pandemia, cumprir com nosso calendário cultural. Promoveremos encontros, oficinas, workshops na área de dança, teatro, música, artes plásticas. Incentivar feiras de artes juntamente com as escolas municipais. Essas e outras propostas você pode acompanhar em nosso plano de governo, disponível no site do TSE.”

 

Mariozam da Rádio

“Em nossa proposta, a prefeitura vai apoiar e incentivar a valorização da criação de projetos inovadores em parceria com a iniciativa privada para políticas que fortaleçam as atividades culturais em Nova Friburgo. Primeiramente, identificar todas as manifestações culturais existentes na cidade tendo o conhecimento da diversidade da linguagem cultural de cada distrito relacionadas a dança, gastronomia, teatro, oficinas de teatro, literatura, artesanato, música, bandas, contação de histórias, a história da cidade e bairros, a arte circense e tantas outras que se apresentam na cidade. Democratizar o acesso à cultura levando projetos culturais para as escolas. Quantos jovens e crianças nunca foram a uma apresentação teatral, ao cinema? Desenvolver na população o gosto pela cultura desde cedo. A retomada do projeto Arte na Praça, onde as bandas centenárias Campesina e Euterpe e a banda Euterpe Lumiarense se apresentarão, a volta do concurso de fanfarras e outras apresentações culturais, assim como o acesso do povo ao Teatro Municipal; a retomada também do Porão da Arte e a valorização da Praça das Colônias, oportunizando o conhecimento dos colonizadores de nossa cidade.”

 

Renato Bravo

“O caminho à Cultura é o fomento crescente a políticas públicas de geração de oportunidades aos artistas e a valorização do patrimônio cultural, aproximando-a à Educação, decisiva para fortalecer expressões e novos talentos. O setor foi seriamente afetado pela pandemia e retomaremos eventos, equipamentos culturais, pontos de cultura, salas de leitura, biblioteca e a Oficina Escola de Artes. A Secretaria de Cultura, Conselho de Política Cultural e o Fundo de Cultura promoveram o evento ConectArte durante a pandemia, com apresentações on-line de artistas. O edital teve 90 projetos aprovados, cada um recebeu R$ 1 mil. O Mapeamento Cultural para inscrição na Lei Aldir Blanc, que prevê auxílio emergencial à cultura, teve 357 inscrições: para trabalhadores da área, coletivos, instituições e pontos culturais. A cultura pós-pandemia terá agenda nos bairros e distritos, com produções da arte e cultura locais. O Porão de Arte já teve projeto aprovado pelo Corpo de Bombeiros para reforma/adequação, e licitação já iniciada. Vejam que, mesmo com equipamentos fechados, não paramos de trabalhar e nos adequar à realidade, com o firme propósito de encontrar caminhos para valorizar nossos artistas e espaços culturais.”

 

Sérgio Louback

“Nova Friburgo possui um patrimônio histórico cultural imenso. No entanto, essas riquezas precisam estar acessíveis além dos livros, para que façam parte do nosso dia a dia. Em meu governo, quero que tenhamos orgulho do que temos e de quem somos. Creio que precisemos evocar no povo friburguense esse sentimento: democrático, não imposto. Um amor por conhecimento e reconhecimento de quem somos, friburguenses! Um povo formado por gente forte. Colonizadores que, escrevendo sua própria história, nos possibilitaram um presente livre e capaz na condução do futuro. Promoveremos um "calendário de eventos turísticos" para organizar e divulgar festividades tradicionais locais.  Vamos criar o "Museu Municipal de Nova Friburgo", incluir nos bairros o CEC - Centro de Esporte e Cultura, onde ofereceremos, gratuitamente, diversas práticas esportivas e culturais para crianças e adolescentes, implementando o turno integral. Apoiaremos iniciativas como festivais de cinema, música e afins por meio da lei de incentivo fiscal, democratizaremos o Teatro Municipal, e muitas outras propostas de lazer e cultura se encontram em meu site. Acessem: sergiolouback.com.br e acompanhem de perto.”

 

Silvia Faltz

“O PT considera a Cultura um aspecto indissociável da construção da cidadania e da democracia. Já demonstramos isso quando governamos o Brasil. Vamos valorizar o Sistema Municipal de Cultura (Plano, Fundo, Conferência e Conselho). Muita participação popular nas definições de prioridades. Garantir a diversidade das manifestações culturais do nosso povo, das festas religiosas, como a Folia de Reis, passando pelo Carnaval, a um calendário de eventos culturais, como shows, feiras, exposições, festas, prêmios e concursos, não apenas no Centro mas em todos os distritos, com foco em música, literatura, poesia, folclore, teatro, cinema e vídeo, artes plásticas e dança. Programa de Incentivo à Leitura. Fortalecimento da rede local de cine-clubes e de Pontos de Cultura. Atividades com foco na cultura negra. Atualizar o cadastro cultural da cidade (artistas, produtores culturais, técnicos). Políticas inclusivas e afirmativas. Políticas públicas que articulem cultura e educação, cultura e turismo, cultura e arte. Desburocratizar a facilitar o acesso ao Teatro Municipal. Fazer da cadeia produtiva da cultura uma fonte de geração de emprego e renda. Vamos fazer de Nova Friburgo uma cidade que respira cultura, conhecimento e arte!”

 

Wanderson Nogueira

“A política cultural proposta em nosso plano leva em consideração a dimensão simbólica, relacionada às expressões artísticas; a dimensão cidadã, associada aos direitos culturais e aos aspectos do desenvolvimento humano e social; e a dimensão econômica, geradora de emprego e renda. Assim, nosso foco principal é estimular o fazer cultural da população friburguense, de modo que seja resgatada a autoestima e identidade de nosso povo, por meio da construção de um calendário de eventos que abranja tanto artistas friburguenses quanto manifestações tradicionais e divulgá-lo de forma eficiente com o uso da tecnologia; bem como da promoção de circuitos culturais e turísticos, com a integração do patrimônio cultural e eventos culturais; da construção da Casa da Criatividade com o objetivo de integrar equipamentos culturais (teatro, biblioteca, galeria), a Oficina Escola de Artes e um espaço de sociabilidade para jovens e artistas; a revitalização dos espaços culturais como o anfiteatro, o Centro de Arte e outros, e manutenção dos equipamentos já existentes, da democratização e transparência do uso dos espaços públicos, criação de editais e prêmios para fazedores culturais.

 

LEIA MAIS

Iniciativa nas redes sociais visa a estimular ambiente mais saudável de debates nas redes; qualquer cidadão pode aderir

Candidatos responderam a perguntas da entidade, de internautas e de A VOZ DA SERRA

Encontros têm uma hora de duração, sendo 30 minutos reservados à apresentação dos programas de governo e outros 30, a perguntas dos empresários

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: eleições