Campeão do Titan, Victor Dias mira título de outras grandes organizações

O lutador de Nova Friburgo registrou a sua segunda vitória em três tentativas pela promoção
sexta-feira, 16 de abril de 2021
por Vinicius Gastin
O famoso discurso da vitória: Victor Dias celebra momento e estratégia na conquista do cinturão do Titan
O famoso discurso da vitória: Victor Dias celebra momento e estratégia na conquista do cinturão do Titan

Chegar ao topo do Titan FC, uma das grandes organizações de MMA do planeta, ainda é pouco para Victor Dias. A cada vitória, um novo degrau é vencido na busca por conquistar os títulos de eventos ainda maiores. É objetivo, sonho e, pode-se dizer, possibilidade para o friburguense que, aos poucos, vai escrevendo o seu nome na história do MMA internacional.

No último dia 26 de março, Victor, atropelou Wascar numa das lutas principais do Titan FC, evento 68, promovido no InterContinental Miami, na Flórida, nos EUA, e levou o título do peso mosca. O lutador de Nova Friburgo aplicou um mata-leão , e obrigou a batida do adversário na marca de 4:07 do 1º round.

O lutador de Nova Friburgo registrou a sua segunda vitória em três tentativas pela promoção, depois de perder na decisão para Gustavo Balart e se recuperar com uma vitória sobre Cleveland McLean no Titan FC 61. “É importante para todo atleta conseguir chegar cada vez mais próximo de ser o melhor dentro do seu esporte e categoria. Ser campeão do Titan, um dos maiores eventos do mundo, mostra que estou na direção certa. Estava me preparando desde o ano passado para essa luta, logo assim que soube que iria acontecer. Ainda não tenho muita ideia do que vai acontecer na minha carreira agora, mas o que quer que seja, vou estar pronto e disposto a dar o meu melhor.”

Em bate-papo com A VOZ DA SERRA, Victor Dias fala sobre a conquista, a sequência da carreira e projeta chegar ao topo das maiores organizações de lutas do planeta.

A VOZ DA SERRA: O que significa, na carreira do Victor Dias, chegar ao topo de um evento do tamanho do Titan FC?

“É importante para todo atleta conseguir chegar cada vez mais próximo de ser o melhor dentro do seu esporte e categoria. Ser campeão do Titan, um dos maiores eventos do mundo, mostra que estou na direção certa. Isso me dá ainda mais vontade para trabalhar. Sei que agora eu sou um alvo, mas vou seguir trabalhando pelo meu objetivo, que é ser campeão mundial de uma outra grande organização. Creio que subi mais um degrau.”

Conte-nos um pouco sobre como foi a preparação para essa luta que valeu o cinturão.

“Estava me preparando desde o ano passado para essa luta, logo assim que soube que iria acontecer. Treinei bastante no Rio de Janeiro, e depois fui para o México. Foi lá que assinamos o contrato para a luta. Nos EUA eu apenas terminei o camp, aparando as arestas e corrigindo alguns erros para chegar 100% na luta. Graças a Deus foi o que aconteceu. Treinei muito, estava focado, preparado fisicamente e mentalmente.”

Percebemos uma postura bastante agressiva sua, desde os primeiros instantes de combate. Foi realmente uma estratégia ou algo que percebeu no momento da luta?

“A gente já sabia que teria que ser um pouco mais agressivo, se impondo desde o início. Ele era o campeão, e eu queria tomar o cinturão dele. Sabia que teria que andar pra frente, pois ele jogava rodado o joelho. Então, era preciso cortar os ângulos e, ao mesmo tempo, pressionar para que ele pudesse errar. A estratégia era exatamente imprimir o ritmo forte.”

Mais uma vez você vence uma luta utilizando a sua especialidade, o jiu-jítsu. Para a sequência da carreira, a ideia é realmente se firmar como especialista na luta ao chão ou você busca se aprimorar em outras vertentes?

“A gente sempre busca ser o melhor em todas as áreas. É claro que sou oriundo do jiu-jítsu, mas também treino muay thai há mais de dez anos, boxe, wrestling e todas que abrangem o MMA. Tentamos ser o melhor possível, e vou seguir nessa linha, tentando melhorar a trocação, mas aperfeiçoando o meu chão sempre. A ideia é essa, de sempre evoluir em tudo.”

Falando em sequência, já dá para projetar os próximos desafios do Victor Dias na carreira?

“Ainda não tenho muita ideia do que vai acontecer na minha carreira agora, estou esperando a minha equipe, o meu agente. Mas o que quer que seja, defender o cinturão ou ir para outra organização, vou estar pronto e disposto a dar o meu melhor.”

Seu nome começa a aparecer com mais frequência e destaque em sites especializados e debates no mundo do MMA. Algum objetivo para breve?

“Meu grande objetivo é ser a melhor versão do Victor Dias, sem me comparar a ninguém. É o que estou buscando, e fico feliz por meu nome estar circulando. Quero ser a cada dia melhor, em busca ser o primeiro do mundo de outras organizações também. Mas sou muito grato por ser campeão mundial do Titan, que é enorme. Fico muito feliz em representar Nova Friburgo e região, e poder honrar a todos os que torcer por mim.”

  • Marlon Moraes, Anderson França e o time de treinadores que fazem de Victor cada vez mais forte

    Marlon Moraes, Anderson França e o time de treinadores que fazem de Victor cada vez mais forte

  • Objetivos a médio e curto prazo são traçados pelo lutador friburguense

    Objetivos a médio e curto prazo são traçados pelo lutador friburguense

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: