"Um iluminado operário da vinha do Senhor"

Artigo do pároco de N.S. das Graças, Luiz Cláudio Azevedo de Mendonça, sobre o Monsenhor Mielli
sexta-feira, 31 de julho de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O busto de Monsenhor Mielli na praça de Olaria (Foto: Henrique Pinheiro)
O busto de Monsenhor Mielli na praça de Olaria (Foto: Henrique Pinheiro)

Celebramos neste dia 30 de julho de 2020 os 98 anos de nascimento do nosso querido Monsenhor Caetano Antônio Mielli, fundador da Paróquia Nossa Senhora das Graças, em Olaria, Nova Friburgo. No último dia 13 de março, completaram-se 41 anos da Páscoa deste grande servo do Senhor.

Ele nasceu em 30/7/1922, em Nova Friburgo. Entrou para o Seminário São José no Rio de Janeiro,em 7/3/1934, onde cursou o antigo ginasial. Cursou Filosofia e Teologia em Belo Horizonte, de 1939 a 1945. Sua Ordenação Sacerdotal foi em Niterói, em 8/12/ 1945. Foi Coadjutor da Paróquia São João Batista em Friburgo, em 1946 , Vice-Reitor do Seminário Diocesano de Niterói, em 1947, capelão das Irmãs Visitandinas em Niterói,em 1947 e do Colégio Nossa Senhora das Dores, de 1947 a 1958.

Em 1947 começou a assistir o bairro de Olaria, a então capela de São Roque. Em  1º de maio de 1953 , organizou o lançamento da  pedra fundamental da Matriz Nossa Senhora das Graças feito Dom João da Matha, Bispo de Niterói, Diocese a que pertencia Nova Friburgo até a criação da nossa Diocese, em 26 de março de 1960.

Em 7 /12/1956, foi nomeado Vigário Ecônomo da paróquia por Dom Carlos  Gouvêa Coelho, Bispo de Niterói, tomando posse no dia seguinte,  8/12 e Pároco em 1964, por Dom Clemente Isnard, OSB, Bispo de Nova Friburgo.  Nomeado Cônego Honorário em 13/04/1958 e Monsenhor durante o pontificado do Papa S.João XXIII em 15 /04/1960.

Fundou a Escola paroquial,em 1958; o Ginásio Nossa Senhora das Graças em 1959 e o Curso Técnico de Contabilidade em 1974. Fundador e construtor da Igreja Matriz e do Centro Social Nossa Senhora das Graças. Preparou, durante o ano de 1954, a Diocese de Niterói para o Congresso Eucarístico realizado no Rio de Janeiro, em 1955, através de uma peregrinação com a imagem de Nossa Senhora de Fátima. Trabalhou na J.E.C (Juventude Estudantil Católica) e na J.O.C. (Juventude Operária Católica).

Foi Consultor Diocesano durante oito anos. Exerceu a função de Presidente do Tribunal Eclesiástico. Fundou a Pia União das Filhas de Maria, a Congregação Mariana e a Cruzada Eucarística, além de reorganizar o Apostolado da Oração. Desde 1975 dedicou-se ao “Encontro de Casais”, que atingiu mais de 600 casais, sendo  realizados 16 encontros, com grande sucesso espiritual, estendido depois ao âmbito diocesano por Dom Clemente. Implantou também este movimento em Cataguases - MG, promovendo nove encontros.

Dedicava-se muito às famílias, à infância e à juventude, seja através da  Pastoral na Escola Paroquial e do Ginásio, também como exímio educador, seja nos outros trabalhos comunitários e  na grande campanha desenvolvida por ele para o casamento religioso de pessoas já unidas civilmente. De uma só vez, em Olaria, foram celebrados 40 matrimônios. 

Pastor zeloso no seu ministério sacerdotal , através do sacramento da Confissão, da Eucaristia e da fervorosa devoção à Nossa Senhora. Realizava também a “Jornada Cristã” para adultos e jovens, com a participação de mais de 200  jovens no movimento e cerca de 250 adultos, aprofundando os ensinamentos da fé. 

Dentre tantas outras obras de ardor missionário e de doação à educação, evangelização,catequese e promoção humana deste entusiasmado apóstolo.

Faleceu em 13/3/1979, vítima de um infarto, o que comoveu toda a população de Olaria e da cidade.

Ficam aqui registradas, com grande justiça, esta breve memória e nossa gratidão a este iluminado operário da vinha do Senhor!

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: