Susto na bomba: gasolina em Friburgo já custa R$ 5,79, em média

Gasolina sobe pela quarta vez no ano; preço do litro na refinaria chega a R$ 2,48
sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
O preço exorbitamte do litro da gasolina nos postos da cidade (Fotos: Henrique Pinheiro)
O preço exorbitamte do litro da gasolina nos postos da cidade (Fotos: Henrique Pinheiro)

A Petrobras anunciou na última quinta-feira, 18, um novo aumento médio nos preços da gasolina e do diesel em suas refinarias, que chegam a R$ 2,48 e R$ 2,58, o litro, respectivamente. A partir desta sexta-feira, 19, será aplicado um reajuste de R$ 0,23 para o litro da gasolina e de R$ 0,34 para o do diesel. A VOZ DA SERRA percorreu alguns postos da cidade e constatou que o litro do combustível custa agora de R$ 5,59 a R$ 5,79. 

O preço cobrado nas refinarias da Petrobras corresponde a cerca de 33% do preço pago pelos consumidores finais da gasolina e a 51% do preço final do diesel, segundo a estatal. A companhia explica que "até chegar ao consumidor são acrescidos tributos federais e estaduais, custos para aquisição e mistura obrigatória de biocombustíveis, além das margens brutas das companhias distribuidoras e dos postos revendedores de combustíveis".

O friburguense Oswaldo Ferreira conta que ficou assustado com o combustível aumentando cada vez mais e pela rapidez no ajuste de preço em alguns postos da cidade. “É preocupante essa rapidez no aumento da gasolina e também pelo reajuste nas bombas de gasolina em menos de 24 horas. Eu por exemplo, quando saí para trabalhar pela manhã a gasolina estava R$ 5,49, quando retornei do serviço, me deparei com o aumento para R$ 5,69. É inacreditável”, relatou. 

Os preços praticados nas refinarias da Petrobras são reajustados de acordo com a taxa de câmbio e a variação do preço internacional do petróleo, negociado em dólar. Desde janeiro, a Petrobras já reajustou três vezes o preço do diesel e quatro vezes o da gasolina, que tinha o valor médio de R$ 1,84 em 29 de dezembro e chegará a R$ 2,48 com o reajuste que vigora a partir deste sábado, 20. 

Em 18 de janeiro, a estatal anunciou um aumento médio de R$ 0,15 para a gasolina e manteve o preço do diesel. No dia 26 do mesmo mês, um novo reajuste elevou o preço nas refinarias em R$ 0,10 para a gasolina e em R$ 0,09 para o diesel. Já em 8 de fevereiro, foi anunciado um aumento de R$ 0,17 para a gasolina e de R$ 0,13 para o diesel.

Bolsonaro condena aumento e promete mudanças na Petrobras

O presidente Jair Bolsonaro criticou, na quinta-feira, 18, durante uma transmissão na internet, o reajuste dos preços dos combustíveis anunciado pela Petrobras. “Teve um aumento fora da curva da Petrobras. Dez por cento hoje na gasolina e 15% no diesel. É o quarto reajuste no ano. A bronca sempre vem para cima de mim, só que a Petrobras tem autonomia”, justificou.

“Não tem quem não ficou chateado com o reajuste, hoje, de 10% na gasolina e de 15% no diesel. A Petrobras tem essa garantia, liberdade e autonomia, para reajustar os combustíveis, levando em conta o preço do barril do petróleo lá fora e o preço do dólar aqui dentro. E outros fatores pesam negativamente no preço do combustível”, completou.

O presidente ainda disse que, apesar de não interferir na estatal, “alguma coisa vai acontecer lá nos próximos dias”. No entanto, o presidente não deixou claro se a mudança envolve a troca do presidente da estatal, Roberto Castello Branco. “A partir de 1º de março, também não haverá qualquer imposto federal no diesel por dois meses. Nesse período, vamos estudar uma maneira definitiva de tentar zerar esse imposto no diesel. Até para ajudar a contrabalancear esse aumento, no meu entender, excessivo da Petrobras”, observou o presidente. 

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: