Shoppings centers reabrem as portas em Friburgo

Estabelecimentos poderão funcionar nas bandeiras laranja, amarela e verde
terça-feira, 07 de julho de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
(Fotos: Henrique Pinheiro)
(Fotos: Henrique Pinheiro)

Esta segunda-feira, 6, foi o primeiro dia de abertura dos shoppings Cadima e Friburgo, após quase quatro meses fechados, devido a pandemia do coronavírus. Todas as lojas de ambos os centros comerciais podem funcionar em horário especial (12h às 20h), de acordo com o sistema de bandeiras adotado pela prefeitura.

Pouco antes do meio dia desta segunda-feira, 6, o público fez fila nas calçadas em frente aos dois shoppings. Alguns respeitaram a regra de distanciamento, mas houve quem resolveu ignorar as normas sanitárias e se arriscou posicionando-se bem perto uns dos outros. Logo na entrada dos centros comerciais dois funcionários mediam a temperatura dos clientes e faziam a higienização com álcool. No Cadima, o cliente passava álcool em gel nas mãos enquanto uma funcionária fazia a higiene dos calçados em um tapete sanitizante no acesso. A entrada e saída dos clientes também estava dividida. O Friburgo  Shopping também disponibilizou um funcionário para medir a temperatura e outro para higienizar as mãos dos clientes com álcool 70º líquido.

O artigo 9º do decreto municipal que permite a retomada das atividades estabelece que “Os shoppings poderão retomar suas atividades no horário compreendido entre 12h e 20h, exceto quando atingida a bandeira vermelha, momento em que suas atividades deverão ser suspensas.”

As praças de alimentação podem funcionar obedecendo a seguinte escala: com a bandeira Laranja, até 30% da capacidade instalada de ocupação com distanciamento mínimo de um metro e meio entre as mesas; na bandeira amarela, que está em vigor essa semana, o funcionamento é permitido com até 60% da ocupação, também com distanciamento mínimo de um metro e meio entre as mesas; no caso da bandeira verde, o funcionamento atingirá sua plenitude com a observância obrigatória ao regramento sanitário.

O que determina a cor da bandeira de flexibilização é a taxa média de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid nos hospitais das redes pública e particular do município. A taxa de ocupação dos leitos é aferida toda sexta-feira e a cor da bandeira terá validade a partir da segunda-feira subsequente. Atualmente, Nova Friburgo está com bandeira amarela devido a taxa média de ocupação de leitos de UTI/Covid observada na sexta-feira passada, dia 3, ter sido de 53,32%. Na bandeira amarela, o comércio de rua pode funcionar também aos sábados, e bares e restaurantes podem lotar até 70% da capacidade e fechar às 22h.

Os 59,32% que serviram de parâmetro para esta semana, estão no limite de mudança de faixas. Na bandeira laranja, mais restritiva, como a cidade estava até a tarde da última sexta-feira – antes de ser apurada a média semanal – lojas de rua não podem abrir aos sábados, e  bares e restaurantes têm que fechar mais cedo, às 20h, e lotar até apenas 50% da capacidade. A partir de hoje, 7, A VOZ DA SERRA publica na capa de cada edição a cor da bandeira da flexibilização vigente em Nova Friburgo.

“Próximos na fila”, os templos religiosos poderão voltar a funcionar no município somente quanto estiverem em vigor as bandeiras amarela ou verde, observadas as regras sanitárias e com distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os presentes, e ocupação dos assentos disponibilizados limitada a 50%. A previsão é de que os fiéis possam frequentar as igrejas a partir da próxima segunda-feira, 13.

O que determina cada bandeira 

Vermelha: taxa de ocupação dos leitos de CTI/UTI para Covid acima de 70%; 

Laranja:  taxa entre 60% e 70%; 

Amarela: taxa entre 50% e 59%;

Verde: taxa abaixo de 50%.

 

LEIA MAIS

Avanço do vírus no município não impediu população de circular mais pelas ruas

FEC-NF aponta melhorias para o aumento da capacidade da rede de saúde e pede critérios mais adequados para o sistema de bandeiras

Entidade é contra a inclusão dos leitos particulares na métrica para aferição do sistema de bandeiras e pede que o município aumente a capacidade de testagem

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra