Série C Estadual terá equipes tradicionais e até escola de samba

Império Serrano também terá seu próprio time de futebol
quarta-feira, 07 de abril de 2021
por Vinicius Gastin
Série C Estadual terá equipes tradicionais e até escola de samba

Mesmo sem muitos investimentos, dificuldades financeiras e estruturais e competindo com o glamour das grandes equipes e arenas, o futebol do interior do Rio de Janeiro ainda resiste. Com o novo formato de divisões, da Série A1 à C, os gramados fluminenses serão povoados por várias equipes tradicionais e históricas do Estado, que tentam retomar os tempos em que brilhavam de forma mais intensa.

Recentemente, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro realizou o arbitral entre os clubes que disputarão a Série C do Rio, que passa a ser, a partir desse ano, a quinta divisão carioca. Na reunião, ficou definida a fórmula de disputa do campeonato: os 17 clubes se enfrentam em turno único, no sistema de pontos corridos. Após as 17 rodadas, os quatro primeiros se classificam para as semifinais. Os dois times que forem para a grande decisão também garantem vaga na Série B2 deste mesmo ano, prevista para iniciar em setembro.

Conforme definido entre os clubes e a Federação, a competição está marcada para começar no dia 22 de maio, enquanto a última rodada do turno está prevista para 18 de agosto. Vão disputar a Série C o Atlético Carioca, Barcelona, Bela Vista, Brasileirinho, Búzios, CAAC Brasil, Canto do Rio, EC Resende, Império Serrano, Independente, Juventus, Paduano, Profute e Santa Cruz. A eles se juntam o recém-filiado Unisouza, União de Marechal (que disputará em parceria com a Sociedade Esportiva Belford Roxo) e União Central.

Esses três últimos cumpriram as exigências da Ferj que incluíam regularização financeira e outros documentos exigidos no Manual de Filiação, disponibilizado no site da entidade no começo do ano. Por outro lado, não será em 2021 que o torcedor do São Cristóvão voltará a ver seu clube no futebol profissional. O time da Rua Figueira de Melo pediu licença à FFERJ e não entrará em campo para a Série C. A razão é a contenção de despesas para se reorganizar internamente até a volta às competições oficiais. O licenciamento vale até 2022, ocasião em que os cadetes deverão voltar a disputar o Campeonato Estadual.

Com isso, a definição das datas, os clubes que disputarão a Quintona Estadual já indicaram os estádios onde pretendem mandar suas partidas. Neste ano, o palco que deve receber mais jogos é o Alzirão, solicitado por três clubes. Outro destaque vai para o União Central, que deseja atuar como mandante no tradicional Estádio Leônidas da Silva, que pertence ao Bonsucesso, e não recebe partidas profissionais há sete anos. Joaquim Flores, Ubirajara Reis, Correão, Conselheiro Galvão, Marrentão, Ferreirão, Moça Bonita e Leão do Sul são outros destaques – estádios onde o Friburguense atuou com certa frequência nessas últimas temporadas.

A primeira rodada da Série C de 2021 reserva os duelos entre Búzios x Império Serrano; CAAC Brasil x UniSouza; Paduano x Brasileirinho; Atlético Carioca x Bela Vista; EC Resende x SE Belford Roxo/União de Marechal; Barcelona x Profute; Independente x União Central e Juventus x Santa Cruz. O Canto do Rio folga.

Destaques

Dentre debutantes e equipes tradicionais no cenário estadual, a Série C atrai atenções antes mesmo de a bola começar a rolar. Um dos assuntos mais comentados até o momento foi a possível contratação de Bruno, ex-goleiro do Flamengo, pelo Atlético Carioca. No último dia 25, porém, o clube anunciou por meio de nota oficial que desistiu de trazer o atleta, que cumpre pena em regime semiaberto após ser condenado a 22 anos de prisão por homicídio triplamente qualificado. A direção alegou que a demora em uma resposta definitiva do jogador fez com que não houvesse mais tempo hábil para planejar ações e marketing para viabilizar a contratação.

Bruno foi anunciado pelo Atlético Carioca no dia 16 de março, após encontro de dirigentes com representantes do jogador em Cabo Frio. No entanto, dias depois, através de um post no Instagram, ele desmentiu o próprio clube – que garantia possuir um acerto verbal – ao dizer que “ainda estava pensando na proposta”.

Outro destaque, sem dúvida alguma, é a estreia do Império Serrano, tradicional escola de samba de Madureira. Com o nome de Império Serrano Esporte Clube, a equipe teve sua filiação aceita pela Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FFERJ) e ganha um braço esportivo oficial pela primeira vez desde sua fundação, em 1947.

O anúncio da filiação foi feito pela Federação, através de um documento assinado pelo presidente da entidade, Rubens Lopes, confirmando a filiação do Império. A escola de samba precisou desembolsar a quantia de R$ 200 mil, exigida pela FFERJ para aceitar novos clubes em seus quadros. A filiação é provisória para todos as equipes que solicitam entrada na entidade e vale por dois anos, podendo se tornar efetiva caso todos os requisitos sejam cumpridos neste período.

O Império Serrano, enquanto escola de samba, é uma das mais tradicionais do Carnaval do Rio. A Verde-e-Branco de Madureira foi campeã em 1948, 1949, 1950, 1951, 1955, 1956, 1960, 1972 e 1982, somando portanto nove títulos, ganhando mais quatro na segunda divisão (1998, 2000, 2008 e 2017).

E a Série B2...

O torcedor de Nova Friburgo aguarda, de fato, a definição da tabela, datas e regulamento da Série A2, o próximo desafio do Friburguense na temporada. A expectativa é que a bola comece a rolar em meados de maio ou junho. O campeão desta competição já se garante na elite do Rio de Janeiro na próxima temporada, sem a necessidade de passar pela Seletiva.

Além do Frizão, Cabofriense, Sampaio Corrêa, América, Americano, Duque de Caxias, Goytacaz, Maricá, Artsul, Angra dos Reis, Gonçalense e o time rebaixado da Série A1 irão lutar pelo acesso.

 

LEIA MAIS

Friburgo voltou a ter a modalidade regularmente, com treinos e participações em jogos e eventos

Derrota para Cabofriense, fora de casa, foi uma das poucas partidas sem ao menos uma polêmica envolvendo arbitragem

Doações de alimentos para a clínica Santa Lúcia serão feitas em pontos de arrecadação a serem divulgados

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol