Polícias Civil e Militar intensificam ações e roubos de cargas têm queda em 2020

Indicador apresentou queda de 34% em relação ao acumulado do ano
sábado, 26 de dezembro de 2020
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Polícias Civil e Militar intensificam ações e roubos de cargas têm queda em 2020

O roubo de carga apresentou queda este ano, em comparação com o mesmo período de 2019. Segundo dados do Instituto de Segurança Pública (ISP), foram 4.196 casos nos dez meses de 2020 e 358 em outubro. Quando comparado ao ano passado, o indicador apresentou queda de 34% em relação ao acumulado do ano e de 38% quando confrontado com outubro.

O ISP realizou um estudo pioneiro para identificar os reflexos do isolamento social, provocado pela pandemia da Covid- 19, na redução de roubos. O Instituto de Segurança Pública cruzou os registros da Polícia Civil com os dados do histórico de localização dos usuários do Google.

Segundo a pesquisa, houve relação direta do isolamento com a redução nos roubos de rua (42%) e nos roubos de veículo (33%), no comparativo de janeiro a setembro.  A exceção é para o roubo de carga, que também apresentou queda este ano, mas não há ligação com o menor número de pessoas nas ruas. A partir do mês de junho, a pesquisa mostra que o nível de distanciamento social começou a diminuir no estado. No mesmo período, houve um leve aumento nos números de roubos de rua e de veículos, fenômeno não observado para o roubo de cargas.

Para o assessor da presidência da Federação do Transporte de Cargas do Estado do Rio de Janeiro (Fetranscarga), Sérgio Viana, o trabalho das polícias tem sido fundamental para coibir o crime.

“Desde o início da pandemia os caminhões continuam circulando. Essa redução do roubo de carga foi fruto do trabalho das polícias militar, civil e rodoviária federal. A Fetranscarga desde 2017 vem trabalhando forte junto com essas instituições, com apoio das lideranças regionais. Este ano a queda é bem significativa, mas mesmo assim, ainda temos prejuízo de valores altos, renovação de seguro, investimentos na área de segurança, empresas que fazem rastreamento. Tudo isso aumenta o custo do nosso serviço. A gente identifica, que aqui no Rio, os pontos cruciais são a Avenida Brasil, e a chegada da Rio-Petrópolis e da Rio-São Paulo na Avenida Brasil. Espero que em 2021, a gente consiga continuar esse trabalho em parceria com as polícias para reduzir ainda mais esse índice”, ressaltou Sérgio Viana.

“Nós atuamos em três frentes principais para coibir o roubo e cargas: repressão por meio de equipes que realizam rondas diárias nas principais rodovias e vias da capital e Região Metropolitana, investigações das principais quadrilhas atuantes nos roubos de cargas e na captura dos principais alvos selecionados através das investigações desta especializada. Os dados do ISP são primordiais para a análise dos locais de abordagem. Assim, a Inteligência da unidade consegue determinar diariamente os locais onde há necessidade de maior policiamento”, destacou o titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), delegado Vinícius Ferreira Domingos.

A Polícia Militar faz patrulhamento em rodovias federais em apoio à Polícia Rodoviária Federal e intensificou o policiamento ostensivo nas rodovias estaduais, especialmente as que cortam áreas importantes da Região Metropolitana, como a RJ-104 e RJ-106. A ação acontece de forma integrada entre o Batalhão de Polícia Rodoviária e os batalhões de área. Além disso, a PM ampliou a presença de policiais nas vias expressas, especialmente Avenida Brasil e linhas Vermelha e Amarela, empregando efetivo de unidades especializadas. Vale destacar o programa Perímetro Verde, que concentra um policiamento ainda maior nas regiões de Acari, Pavuna, Costa Barros, São João de Meriti e Belford Roxo.

“O atual comando da Polícia Militar, que teve a gestão iniciada em 2019, vem concentrando esforços no combate ao roubo de cargas. Seja nas principais vias ou no perímetro urbano como um todo, estratégias como a expansão da presença de nossas equipes e a intensificação de abordagens estão direcionando as ações de nossos batalhões. Consequentemente, estão proporcionando uma diminuição da incidência deste tipo de prática. Os dados compilados pelo ISP apontam essa redução. Iniciativas como o Programa Percurso Seguro, que é focado justamente na movimentação de veículos e em horários de maior fluxo, também fazem parte do pacote de medidas nesse sentido. Vale ressaltar, inclusive, que a diminuição no roubo de cargas afeta não somente o transporte de materiais, mas toda uma movimentação financeira das quadrilhas criminosas, abalando uma de suas fontes de recursos”, disse o porta-voz da Polícia Militar, Major Ivan Blaz.  

O roubo de veículos também apresentou queda. Foram 21.048 ocorrências nos dez meses de 2020 e 1.899 em outubro. Na comparação com o ano passado, o indicador apresentou queda de 37% em relação ao acumulado do ano e em relação a outubro.

 

LEIA MAIS

Queda de 11% é a quarta consecutiva do indicador criminal só este ano

Prejuízo nos cinco primeiros meses deste ano chegou a R$ 153 milhões. Para tentar reduzir esse tipo de crime, entidade aposta no projeto Arco Seguro

Segundo a Secretaria de Polícia Militar, 1.307 alunos estão em treinamento e vão se formar este ano

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Segurança