Olaria conquista a Série B1 Carioca e será adversário do Frizão em 2022

Tradicional time da Rua Bariri, no Rio, tenta se reerguer no cenário do futebol carioca
sexta-feira, 03 de dezembro de 2021
por Vinicius Gastin
Olaria fatura a Série B1 e será o adversário do Friburguense na próxima temporada (Ascom/Olaria)
Olaria fatura a Série B1 e será o adversário do Friburguense na próxima temporada (Ascom/Olaria)

As camisas tradicionais do futebol do Estado do Rio de Janeiro enfrentam, além dos adversários em campo, as dificuldades financeiras frente às novas forças que surgem a partir de investimentos. Um desses clubes de bastante história conseguiu dar um passo importante em seu processo de reconstrução, e será adversário do Friburguense na Série A2 do Campeonato Carioca em 2022.

O Olaria foi o campeão da Série B1 Carioca ao empatar em 2 a 2 com o Pérolas Negras, na tarde da última quarta-feira, 1º, no Estádio do Trabalhador, em Resende, no sul fluminense. O Azulão da Leopoldina aproveitou a vantagem do jogo de ida, quando venceu por 1 a 0, para ficar com o título e garantir o acesso da única vaga na segunda divisão fluminense. Xadinho marcou duas vezes para o time da Zona Norte, com Davi e Carlão anotando os tentos do Pérolas Negras.

O histórico dos confrontos entre Friburguense e Olaria aponta bastante equilíbrio, com oito vitórias para cada lado e quatro empates nos 20 encontros oficiais registrados entre ambos. O último deles aconteceu em 2019 quando o Tricolor da Serra venceu por 1 a 0 no Eduardo Guinle, com um golaço de voleio de Maycon Douglas, de fora da área – gol este que repercutiu em diversos países. Este também foi o placar do primeiro encontro, em 1984.

As 12 equipes da Série B1 foram divididas em dois grupos com seis times cada, que disputaram dois turnos. O Grupo A conta com 7 de Abril, Carapebus, Duque de Caxias, Pérolas Negras, Rio São Paulo e São Gonçalo. Já o B terá Campo Grande, Goytacaz, Nova Cidade, Olaria, Serra Macaense e Serrano.

O time de Petrópolis, aliás, foi um dos destaques da competição, tanto pela proximidade com Nova Friburgo, como pela rivalidade com o Friburguense. Por lá passaram nomes conhecidos do torcedor tricolor da Serra, à exemplo do goleiro Bruno, do volante Diogo Alves e do supervisor de futebol Alexandre Vaz.

Ricardo, um dos destaques do Frizão na Série A2 deste ano, defendeu o Serra Macaense, enquanto o lateral esquerdo Flavinho jogou pelo Olaria. O goleiro Luiz Felipe e o zagueiro Magrão, campeão da B1 pelo Friburguense, atuaram pelo vice Pérolas Negras.

No primeiro turno, a Taça Maracanã, as equipes enfrentaram as outras de seu próprio grupo, enquanto no segundo, a Taça Waldir Amaral, os times jogaram contra os adversários da outra chave, totalizando seis rodadas. O Pérolas Negras levou os dois turnos, mas não foi a melhor equipe do geral, e sim, o Olaria - caso uma mesma equipe conquiste os dois turnos, ela só não seria campeã da terceirona caso outra agremiação tivesse feito mais pontos na soma geral.

 

LEIA MAIS

Ex-jogadora e agora treinadora vai comandar equipes do projeto na viagem para a Noruega em 2022

Atual campeão, Unidos do Alto é uma das principais forças da competição em 2022

É a oitava gestão consecutiva: clube com finanças e estrutura em dia

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: futebol