Governo do estado descarta presídio vertical em Friburgo

Escolha de Gericinó, no Rio, e Volta Redonda para abrigar as primeiras unidades gerou especulações
quinta-feira, 30 de janeiro de 2020
por Jornal A Voz da Serra
O projeto do Conjunto Penal Vertical do governo do estado (Fotos: Divulgação)
O projeto do Conjunto Penal Vertical do governo do estado (Fotos: Divulgação)

A Secretaria estadual de Administração Penitenciária (Seap) esclareceu nesta sexta-feira, 31,  que não há projeto de construção de um presídio vertical em Nova Friburgo. 

Mesmo sem incluir Friburgo, o plano do governo do Estado do Rio de construir conjuntos de presídios verticais está causando polêmica. Ao todo, o projeto prevê a construção de cinco presídios desse tipo, que vão receber até 25 mil detentos (até cinco mil por unidade). Alguns locais já foram escolhidos: três deles serão erguidos no Complexo de Gericinó, na Zona Oeste do Rio, e um em Volta Redonda, no Sul Fluminense. O terceiro ainda não tem local definido, o que gerou muitas especulações, inclusive em Nova Friburgo.

O deputado federal Luiz Lima (PSL), o mais votado em Friburgo, se disse indignado caso o terceiro presídio vertical seja construído na cidade, que ainda espera a conclusão das obras do prometido Hospital de Oncologia. O governo do estado confirma apenas, no entanto, Gericinó e Volta Redonda. 

Segundo disse o próprio governador Wilson Witzel numa rede social, o projeto é inovador e "cria novas oportunidades para detentos mudarem de vida". Ele tem a intenção de licitar cada um dos projetos ainda este ano.

Como antecipou o jornal O Globo, 86 presos da Operação Lava Jato que estão na Cadeia Pública Pedrolino Werling de Oliveira, no Complexo de Gericinó, se encaixam nos requisitos do projeto e serão realocados para os conjuntos. Detentos provisórios também são esperados nos chamados Conjuntos Penais Verticais (CPVs).

Segundo a Secretaria de Administração Penitenciária (Seap), as unidades receberiam presos de baixa periculosidade e que não integram organizações criminosas. Além de um projeto de inserção no mercado de trabalho, essas áreas também contam com escola e atendimento médico.

Segundo informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), cada conjunto custaria, em média, R$ 82 milhões, o dobro de uma unidade prisional horizontal comum, que comporta, no entanto, de no máximo 600 internos.

Segundo o portal de notícias G1, o secretário estadual de Administração Penitenciária, Alexandre Azevedo, disse que o Conjunto Penal Vertical vai proporcionar melhores condições de reabilitação aos detentos. “É um projeto inovador de Direitos Humanos que oferece chances reais aos apenados que realmente desejam mudar de vida e serem reinseridos na sociedade. Vamos trabalhar intensamente para licitar a primeira das cinco unidades já em 2020”, afirmou o secretário ao G1.

A Seap informou que o Conjunto Penal Vertical é uma solução para o desafio de déficit de vagas no sistema penitenciário. Cerca de 1.900 vagas foram criadas em 2019 com a criação de unidades como o Instituto Penal Santo Expedito, em Bangu, na Zona Oeste, e a reforma de andares do Instituto Penal Oscar Stevenson, em Benfica, na Zona Norte.

LEIA MAIS

Ponte ameaça desabar. Moradores têm projeto já aprovado pelo Inea para obra, que só depende da prefeitura

Cinco ruas transversais à Comte Bittencourt foram parcialmente interditadas para os trabalhos, que vão até sexta

Governo municipal informa que todos os bairros serão contemplados, mas não estima nem quantos quilômetros serão recuperados

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra | Segurança