Estrada Terê-Fri tem mais de 70 obstáculos ao longo de seus 68 quilômetros

A VOZ DA SERRA contou 57 quebra-molas, 15 radares eletrônicos e duas patrulhas na RJ--130
sexta-feira, 24 de junho de 2022
por Christiane Coelho, especial para A VOZ DA SERRA
A RJ-130: corrida de obstáculos (Foto: Henrique Pinheiro)
A RJ-130: corrida de obstáculos (Foto: Henrique Pinheiro)

Um leitor que não quis se identificar entrou em contato com a nossa redação para passar uma informação curiosa e, ao mesmo tempo, preocupante, pois interfere em vários setores da economia, como turismo, agricultura e transporte. Em uma viagem de Nova Friburgo a Teresópolis, ele e a família ficaram impressionados com a quantidade de equipamentos de redução de velocidade na rodovia RJ-130, que liga Nova Friburgo a Teresópolis.

Diante disso, A VOZ DASERRA foi conferir e identificou nada menos que  74 interrupções no fluxo de tráfego normal de uma rodovia. Contamos, ao logo dos 68 quilômetros da estrada, 57 quebra-molas, 15 radares eletrônicos e duas patrulhas. 

“Além da quantidade absurda, esses obstáculos não seguem nenhuma padronagem, alguns não estão sinalizados e alguns poucos obedecem as normas técnicas. Temos quebra-molas que realmente danificam os carros e fiscalização eletrônica sem sentido”, observou ele.

Além do aumento no tempo de viagem, esses obstáculos também aumentam o consumo de combustível, o desgaste dos veículos e podem até causar acidentes, pois, segundo o leitor, muitos não tem sinalização. A RJ-130 é uma estrada de grande importância para diversos setores, como a agricultura. É através dela que grande parte de hortaliças, chega às mesas dos fluminenses. A RJ-130 faz parte do celeiro agrícola do Estado, responsável por cerca de 90% do hortigranjeiros consumidos em todo o Rio. É, inclusive, nesta estrada que encontra-se o Mercado do Produtor da Região Serrana. A RJ-130 é ainda uma importante área turística, com diversos atrativos em seu percurso, que fazem parte do “Circuito Terê-Fri”.

Além dos obstáculos, a RJ 130 está precária. A obra de recuperação começou no final de janeiro prevendo a revitalização de todo o pavimento, além da instalação de nova sinalização vertical (placas) e horizontal (pinturas de faixas), reinstalação de guarda-corpos, construção de acostamentos e melhoria nos acessos a localidades. Uma empreiteira foi contratada pelo Estado que deu prazo de dez meses para a conclusão. 

O que diz o DER

Entramos em contato com o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) para confirmar o número de equipamentos para redução de velocidade da RJ-130, informar se todos os quebra-molas estão regularizados e se os radares estão funcionando. Também pedimos informações sobre o andamento da obra de revitalização, mas,  até a atualização desta notícia, não obtivemos resposta.

LEIA MAIS

Sub da Smomu fica responsável também pela Guarda Civil Municipal e pelo Departamento de Posturas

Presente ao encontro, presidente do DER-RJ se compromete a dar prosseguimento aos estudos dos traçados

Projeto foi ressuscitado em encontro na Acianf no último dia 15, entre o presidente da Comissão de Obras da Alerj e empresários friburguenses

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 77 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Trânsito