Escadão no Cordoeira em estado deplorável com lixo, urina e até fezes

Segundo moradores, local foi limpo recentemente, mas a falta de educação e consciência de alguns contribui para a imundície
quinta-feira, 19 de março de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A sujeira na escadaria assusta (Fotos: Henrique Pinheiro)
A sujeira na escadaria assusta (Fotos: Henrique Pinheiro)

Em tempos de avanço do coronavírus em todo o mundo, muito se tem falado sobre a necessidade e a importância da limpeza de objetos, equipamentos, das mãos e do corpo com um todo. Medidas que deveríamos tomar sempre, independente da atual pandemia. No entanto, frequentemente nos deparamos com atitudes contrárias a essas orientações. E não é apenas uma questão de higiene, e sim de consciência social e ambiental.

A VOZ DA SERRA flagrou na última terça-feira, 17, uma situação deplorável e difícil de acreditar. O escadão Dionizio Pinto da Silva, que liga o Cordoeira ao bairro Ypu está em estado deplorável de conservação, no entanto, segundo os próprios moradores da localidade, isso não se deve à falta de ações da prefeitura, e sim à falta de educação de algumas pessoas que descartam uma grande quantidade de lixo e entulhos no local, além de urinarem e até defecarem no local, que está completamente sujo e com um mau cheiro terrível.

“Esse escadão está numa situação deplorável. Passo aqui todos os dias e vejo cada situação absurda. E o pior é que foi tudo limpo recentemente pela prefeitura, inclusive com a capina do mato que estava alto. Mas infelizmente o povo é porco e não sabe preservar o que é de todos. Outro dia vi um rapaz fazendo necessidades aqui, fui chamar a atenção dele e ele quis até brigar comigo. Algumas pessoas contribuem com a imundície. Quando está sujo todo mundo reclama, mas quando está limpo não sabem cuidar. É uma falta de consciência absurda”, disse um morador que preferiu não ser identificado.

No local encontramos grande quantidade de lixo, de todos os tipos, como pacotes de biscoito, copos e garrafas plásticas, garrafas de vidro – algumas quebradas com os cacos espalhados pelo chão – sacolas, maços de cigarro vazios, roupas, cobertores e até um guarda-chuva. Como se isso não bastasse, o local também é utilizado, literalmente, como banheiro por algumas pessoas. O cheiro de urina e fezes é insuportável, o que dá um aspecto ainda mais sujo ao local, bastante utilizado por pedestres durante todo o dia por servir como uma espécie de atalho entre os bairros Ypu e Cordoeira.

Cansado de ver tanto lixo e entulho depositado no local, um morador afixou uma grande placa com a mensagem: “Moradores e outros, por favor não jogar lixo encostado no muro e no mato”. Mas isso não foi suficiente para intimidar ou conscientizar quem comete tais atos. Abaixo da placa, um amontoado de lixo e entulhos.

Como se isso não bastasse, no momento em que a equipe de reportagem de A VOZ DA SERRA fazia essa reportagem e ouvia alguns moradores, um homem, sem se importar com a nossa presença, e depositou uma sacola grande cheia de restos de poda e capina ao lado do muro, bem abaixo da placa que pede para que as pessoas não façam esse tipo de descarte naquele local, como mostra a sequência de fotos abaixo.

O que diz a prefeitura

Procurada por A VOZ DA SERRA para comentar esse atos, a Prefeitura de Nova Friburgo informou, em nota, que “está ciente destes descartes irregulares e que, dentro do possível, atendendo ao cronograma de diversos outros serviços, realiza a limpeza dessas localidades”. A nota ressalta ainda a necessidade da “conscientização dos moradores em não dispensar esse tipo de material nas ruas, além de não descartá-los sem a prévia marcação com a secretaria responsável ou com a contratação do serviço de forma particular”. E finaliza solicitando “que os resíduos normais sejam depositados nas calçadas  próximo aos horários programados para coleta, evitando, assim, que os detritos se acumulem e sejam espalhados por animais”. 

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: