Bom de mira: João Victor se destaca no Circuito Carioca de Dardos

Mais de 25 jogadores disputaram duas baterias diferentes no mesmo dia
sábado, 18 de abril de 2020
por Vinicius Gastin
Friburguense de apenas 18 anos foi à Inglaterra participar de competição internacional
Friburguense de apenas 18 anos foi à Inglaterra participar de competição internacional

Em meio a tantos talentos que surgem aos montes nas mais variadas modalidades em Nova Friburgo, um jovem começa a mostrar as habilidades e a ganhar espaço no dardo. O jovem João Victor, de 18 anos, se destacou na abertura do Circuito Oficial do esporte no Rio de Janeiro, no início do mês. Mais de 25 jogadores disputaram duas baterias diferentes no mesmo dia, sendo o torneio considerado um sucesso pelos organizadores.

Na primeira bateria, Bruno Rangel, atual campeão carioca e morador de Nova Friburgo, se manteve invicto e sagrou-se campeão, após derrotar João Victor na final. Apesar da derrota, a boa performance do jovem revelação ao longo do dia chamou a atenção de todos. Já o experiente Bruno passou por Renata, Vinnie e Bruno Amaro para chegar até a final.

Na segunda bateria, os favoritos Bruno Rangel, Bruno Amaro e João Victor caíram do mesmo lado da tabela, abrindo espaço para outros jogadores chegarem até a final. Após passar por Bruno Amaro, Denise e Bruno Rangel, João Victor chegou a final contra Vinnie, que por sua vez eliminou Reinaldo, Dolinski e Mister.

O garoto, desta vez, levou o título e assumiu a liderança temporária do ranking oficial, já que conta com pontos de uma final e uma vitória - Rangel chegou apenas até as semifinais na segunda bateria. No feminino, Bia Leão ganhou de Denise Barreto na final, atual campeã das finais, para ficar com o título da etapa entre as mulheres.

O regulamento passou por algumas modificações para esta temporada. Em 2020, por exemplo, serão jogados dois torneios por dia (um de manhã e outro de tarde) com eliminação simples e sorteio sem direcionamento. As mulheres podem optar por jogar o feminino separado ou o open incluindo homens.

Com essas mudanças, adaptadas dos torneios europeus, o Rio de Janeiro se tornou o primeiro circuito local à se aproximar do modelo considerado ideal de campeonato, assim como ocorre em países como Inglaterra, Escócia, Alemanha e outros europeus, onde o esporte é profissionalizado.

Logo após a disputa do torneio estadual, João Victor viajou para Manchester, na Inglaterra, onde representou Nova Friburgo e o Brasil no torneio profissional juvenil da PDC - Professional Darts Corporation - o Development Tour.

“O formato estadual mudou muito esse ano, se aproximando bastante do Development Tour que joguei na Inglaterra. Já tive uma pequena ideia de como funciona o profissional, mas na Inglaterra o buraco é mais embaixo”, disse durante entrevista ao portal Na Mosca.

Rangel é nome forte

Além do garoto, que começa a conquistar o seu espaço no mundo do dardo, outro nome famoso de Nova Friburgo na modalidade é o de Bruno Rangel. Carioca, ele reside em Nova Friburgo, onde treina e incentiva a participação de novos atletas durante as atividades no Nova Friburgo Country Clube.

 “Às vezes treino com o João Victor mas acredito que esse novo formato seja mais interessante. Para 2020 penso em mudar minha atitude nos torneios, em relação principalmente à concentração", disse Bruno, em entrevista ao site Na Mosca, especializado na modalidade.

Rangel foi apresentado ao dardo aos 16 anos por um amigo em um pub. O divertimento durou pouco tempo, o ambiente não o atraiu e sequer era pensado como esporte. O foco era nas corridas de automobilismo, que terminaram quase drasticamente quando o atleta capotou de carro durante uma tomada de treino aos 24 anos. A mão direita ficou presa apenas por alguns nervos e tendões, após um dos ossos rasgá-la como se fosse uma navalha. No hospital, houve o diagnóstico de uma amputação. O tio, ortopedista, salvou o carioca de perder o membro. Foram dois meses de internação, três cirurgias para reconstituir a mão e Rangel precisou parar de dirigir.

 Desde 2018 o Brasil está dentro do quadro de países que disputam a World Cup de dardos profissional da PDC (Professional Darts Organization). Os representantes do país podem ser definidos a partir da disputa de um Qualifing na própria América do Sul. Bruno representou o país na Copa do Mundo de Dardos, realizada em Frankfurt, na Alemanha, entre 31 de maio e 3 de junho do ano passado.

A conquista dessa vaga aconteceu através da vitória em uma competição realizada em Palmas, no Tocantins, promovida pela SADC (South América Darts Corporation), a Federação Sul-Americana da modalidade. A final foi disputada contra o brasiliense Alexandre Satin, que na edição passada havia ficado com a vaga.

No primeiro jogo de duplas, Bruno Rangel teve Diogo Portela como parceiro. Profissional do esporte, o companheiro de Rangel mora em Londres, e tornou-se o primeiro brasileiro a se profissionalizar e a viver exclusivamente do esporte. Rangel já defendeu as cores do Brasil em três mundiais da WDF, a Federação Mundial de Dardos Amador, na África do Sul, em 1999, na Holanda, em 2003, e nos Estados Unidos em 2007. Ainda fora do país, acumula três Copas no Caribe e algumas Américas Cup.

Um pouco sobre o dardo

Em uma competição da modalidade, cada jogador começa com 501 pontos, e o objetivo é zerar primeiro que o adversário, sempre somando a pontuação de cada um dos três arremessos por rodada. Com algumas peculiaridades: só é permitido, por exemplo, fechar uma partida fazendo um duplo.

Por isso, nem sempre é a melhor opção buscar o espaço que vale 20 pontos, ou até mesmo 60, em caso de acerto no espaço que triplica a pontuação. Um exercício que exige técnica, muita concentração e inclusive é utilizado por muitas escolas da Europa – onde o esporte atrai milhares de pessoas às partidas.

  • Estadual de Dardos tem friburguenses como destaques

    Estadual de Dardos tem friburguenses como destaques

  • Jovem João Victor começa a trilhar um rumo vitorioso dentro da modalidade

    Jovem João Victor começa a trilhar um rumo vitorioso dentro da modalidade

  • Bruno Rangel representou o Brasil na Copa do Mundo profissional de 2018

    Bruno Rangel representou o Brasil na Copa do Mundo profissional de 2018

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra