Audiência pública debate construção de Biblioteca Internacional

Além da apresentação do projeto, dúvidas dos vereadores foram esclarecidas por secretários municipais
terça-feira, 30 de novembro de 2021
por Christiane Coelho, especial para A VOZ DA SERRA
A audiência pública na Câmara (Foto: Marcio Madeira)
A audiência pública na Câmara (Foto: Marcio Madeira)

Na noite da última segunda-feira, 29 de novembro, a Câmara Municipal sediou uma audiência pública sobre o projeto de construção da Biblioteca Internacional Machado de Assis (Bima), no terreno anexo à Praça do Suspiro. Proposta pelo Vereador Zézinho do Caminhão, a audiência teve como objetivo apresentar o projeto à comunidade friburguense e dirimir questionamentos levantados acerca da construção da Bima, que foi assunto de reportagem exclusiva de A VOZ DA SERRA, na edição de 6 a 8 de novembro.  "A proposta da audiência é dar à sociedade o direito de opinar e intervir nas ações de interesse público na cidade, apresentar o contraditório, debater, discutir e apresentar propostas", disse Zezinho do Caminhão, que presidiu a audiência pública.

O projeto da Bima ganhou repercussão na cidade, ao ser divulgada em redes sociais da prefeitura, sua apresentação ao secretário nacional de Cultura, o ator Mário Frias, que, segundo seu idealizador, o secretário municipal da Casa Civil, Pierre Moraes, ofereceu total apoio à aprovação do envio de recursos para sua construção e funcionamento.

A primeira a discursar na audiência foi a jornalista Carla Lessa, que é membro da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) e multiplicadora da Agenda 2030 do Programa das Nações Unidas (ONU). "A Agenda 2030 reúne os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que a ONU contempla e incentiva  dentro dos entes federados, a partir do momento em que se mostre o interesse de implemento dessa agenda. Trabalho junto a ONU para que o ente tenha o aporte necessário para atingir as metas e objetivos desse movimento. A cidade de Nova Friburgo manifesta interesse e já trabalha com essa agenda. Entre todas as cidades do Estado do Rio, com exceção de Maricá, que está bastante avançada, é muito dificil ver confluência desses objetivos dentro de um projeto. Nova Friburgo é a primeira cidade da Região Serrana com essa característica. Dentro desse projeto da Bima, é possivel ver a confluência de 17 ODSs da agenda", explicou ela.

Apresentação do projeto

Em seguida,o secretário da Casa Civil, Pierre Moraes, fez a apresentação do projeto, a mesma feita ao secretário nacional de Cultura, Mário Frias. O projeto arquitetônico da Bima é suntuoso e, de acordo com Pierre, remete ao renascimento e ao movimento que deve gerar na sociedade friburguense. Um prédio de forma elíptica, que se expande, através dos seus quatro andares, os superiores em forma de engrenagem. “O projeto conceitual foi enfaticamente elogiado por um dos principais engenheiros responsáveis pela construção do Museu do Amanhã, no Rio de Janeiro. A Bima será uma engrenagem para Nova Friburgo e referência cultural para o mundo”, disse Pierre.

Em seu primeiro piso, cercado por um espelho d’água em parte turvo e em parte claro, simbolizando o renascimento da cidade justamente numa das localidades mais atingidas pelas chuvas de janeiro de 2011, haverá a Sala Carlos Drummond de Andrade, um auditório, com aproximadamente 70 lugares, onde poderão ser ministradas aulas e palestras, sediar eventos de e-games, como forma de incrementar a receita e atrair jovens para um ambiente literário.

O segundo piso abrigará o Cineteatro Benito di Paula, com capacidade para aproximadamente 100 pessoas, onde ocorrerão apresentações musicais, teatrais e audiovisuais. No mesmo andar também terá uma loja de aparelho eletrônicos e  souvenirs.

A Biblioteca Internacional ocupará o terceiro andar e contará com livros físicos e digitais nas línguas nativas dos 193 países que integram a Organização das Nações Unidas, bem como de seus dois observadores, sem esquecer dos idiomas indígenas brasileiros, dos livros em braile ou dos audiolivros. O projeto prevê piso em led, alternando trechos literários nos mais variados idiomas. Também no terceiro andar terá um espaço dedicado à imprensa escrita e uma réplica da prensa de Johannes Gutenberg. A VOZ DA SERRA, inclusive, será um dos primeiros veículos a ser homenageado naquele espaço”, antecipou Pierre.

No quarto andar haverá uma espaço aberto para leitura e contemplação, margeado pelo Jardim das Primaveras, em homenagem a Casimiro de Abreu, onde haverá um café e serão servidas refeições executivas. O projeto prevê ainda a supressão da rua que atualmente contorna a Praça do Suspiro, dando origem a um grande boulevard com capacidade estimada para acomodar 12 mil pessoas, uma vez que a Bima se prestará também a apresentações de naturezas diversas. A necessidade de vagas para estacionamento será suprida com a construção de um edifício garagem em localidade próxima, cuja receita será parcialmente direcionada ao fundo que reunirá os recursos necessários à manutenção da Bima.

Além das características estruturais da Bima, o projeto também conta com as ações culturais que deverão ser desenvolvidas, não só no local, mas que se estenderão por toda a cidade. Ainda de acordo com Pierre, será um resgate na história da colonização de Nova Friburgo, com um calendário em que a cada mês um dos dez países colonizadores será homenageado. O mês de maio será reservado ao aniversário da cidade e dezembro às comemorações natalinas. “E, claro, tão importante quanto as estruturas físicas são os impactos sobre a rotina da cidade, com destaque para a criação de um calendário anual de eventos relacionado aos povos formadores que envolverá todo o trade turístico, restaurantes, a comunidade artística incluindo as bandas centenárias e também as escolas das redes pública e particular”, complementou Pierre. 

Recursos para o projeto

Em sua fala, a secretária municipal de Finanças, Planejamento, Desenvolvimento Econoômico e Gestão, Juliana Geraldes, explicou que os recursos destinados à Bima são específicos da União para fomentar a cultura. "Os recursos não podem ser usados em nenhuma outra pasta, em outra finalidade, como Saúde e Educação. É um recurso que fica disponível na União e a cidade nunca teve acesso por não ter, até então, apresenado um projeto de magnitude que fizesse saltar os olhos do Governo Federal. A participação do município em investimento financeio será zero. A prefeitura não precisará entrar com contrapartida nesse projeto", explicou ela.

Fundação Pública, de personalidade jurídica privada

Na ocasião, Pierre Moraes, também falou sobre a importância da parceria entre a Câmara de Vereadores e a Prefeitura de Nova Friburgo para a aprovação do projeto de lei, que criará a Fundação Bima, a ser enviada brevemente à Camara para votação, e através da qual, será possível a construção e a manutenção da biblioteca. 

“É importante destacar que a Bima será pública mas terá personalidade jurídica privada. Sua gestão se dará através de uma fundação que terá um fundo próprio, a fim de assegurar a transparência e a autonomia necessárias, evitando que sua continuidade fique condicionada à boa vontade de administrações futuras", finalizou Pierre.

 

LEIA MAIS

Tempo na fila para renegociar tributos municipais chega a mais de 4h; prefeitura presta esclarecimentos

Na estrada da Usina do Asfalto, A VOZ DA SERRA constata grande quantidade de buracos, trechos sem acostamento e falta de capina, entre outros problemas

Prefeito visita terreno às margens da RJ-130 em companhia de secretários e engenheiros

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: obra