Sumiço de cachorro leva à descoberta de “sítio macabro” em Cardinot

Husky siberiano ficou 10 dias desaparecido; casa na vizinhança tinha outras covas abertas, ossadas e despojos de animais. OAB reage
quinta-feira, 14 de janeiro de 2021
por Adriana Oliveira (aoliveira@avozdaserra.com.br)
Cão enterrado em cova rasa no sítio em Cardinot (Fotos de leitores)
Cão enterrado em cova rasa no sítio em Cardinot (Fotos de leitores)

Um inquérito aberto na  151ª DP está investigando as denúncias, já de conhecimento da Subsecretaria do Bem-Estar Animal, subordinada à Secretaria Municipal de Meio Ambiente, de maus-tratos a animais em um sítio em Cardinot, bairro do distrito de Campo do Coelho, em Nova Friburgo. 

Tudo começou com o desaparecimento, em 30 de dezembro passado, de um cão da raça husky siberiano, nas vizinhanças do sítio. Toddy, de 10 anos, só foi encontrado dez dias depois, nesta segunda-feira, 11,  enterrado em uma cova rasa no quintal do sítio. Acionada juntamente com a Polícia Militar, a Polícia Civil  realizou perícia no local, onde encontrou, além de Toddy morto, outras covas abertas, ossadas e despojos de animais.

A VOZ DA SERRA recebeu fotos, vídeos e denúncias sobre tudo o que foi encontrado no “sítio macabro”, mas, para não atrapalhar as investigações, manterá preservados os nomes de todos os envolvidos. Conforme as denúncias, o sítio teria  um abatedouro com cerca de  60 porcos, escondido dentro da mata, galinhas presas dentro de caixas d'água e pedaços de carnes de caça, de procedência desconhecida, guardados em freezers.

Segundo informações obtidas na 151ª DP, um dos responsáveis pelo sítio, que seria caçador, chegou a ser levado à delegacia, mas foi liberado diante da falta de provas de ser ele o autor do assassinato do cão Toddy (foto abaixo). Segundo os próprios denunciantes, ele não moraria no sítio.

OAB emite nota de pesar

A notícia provocou grande repercussão entre grupos e entidades de proteção aos animais. A 9ª Subseção da OAB-RJ (Nova Friburgo), através da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais, emitiu nota de pesar.

"Trata-se de crime horrendo que macula o nome de nossa cidade, que sempre prezou pelo bem-estar de seus animais", destaca a nota, lembrando que a lei 14.064 (a “Lei Sansão”) aumentou a pena de reclusão para quem maltratar ou matar cães e gatos.

Assinada pela presidente da Comissão de Defesa dos Direitos dos Animais da OAB-NF, Elisângela Alcina Faustino Rodrigues, a nota informa que o órgão representativo dos advogados indicará membros voluntários para o acompanhamento da tramitação do inquérito policial e do processo criminal sobre o ocorrido.

A VOZ DA SERRA continua apurando mais detalhes do caso. Veja mais fotos na galeria abaixo, com a advertência de que algumas são bastante chocantes.

LEIA MAIS

Novo comandante do 11º BPM, tenente-coronel Holanda vai propor a Johnny Maycon parceria para implantar em Friburgo projeto “Praça do Bem”, de Petrópolis

Seis em cada dez entrevistados acham que suas ações estão ligadas à mudança climática

Detritos recolhidos serão separados e os materiais recicláveis ganharão devida destinação

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: Meio Ambiente | crime | PET