Quando a compulsão alimentar se torna incontrolável

Mulher do apresentador ­­Tiago Leifert lançou livro para contar seu drama
sexta-feira, 04 de junho de 2021
por Jornal A Voz da Serra
A capa do livro de Daiana Garbin
A capa do livro de Daiana Garbin

Quando a jornalista Daiana Garbin lançou seu primeiro livro “Fazendo as Pazes com o Corpo”, em 2017, o apresentador ­­de TV Tiago Leifert, seu marido, usou as redes sociais para declarar seu total apoio à esposa, que sofria de dismorfia corporal e havia anos lutava contra transtornos alimentares.

“Esse livro conta a história da luta dela contra o próprio corpo, de querer ser extremamente magra e depois se sentir inadequada, de tudo o que ela fez, das dietas malucas, essas coisas que não levam a nada. E do caminho dela para tentar encontrar uma cura”, contou Tiago Leifert, na ocasião, em seu Instastories. 

“Ela fala diretamente para quem sofre com o corpo, para quem se enfia nessas roubadas, nessas dietas estranhas, para quem toma remédio [para emagrecer]. Se não é a sua história, é a de alguém que você conhece, certamente", disse na época o apresentador, que mantém um canal no YouTube para ajudar quem tem transtornos alimentares. 

Segundo Daiana, o marido teve um papel importante na descoberta de seu transtorno alimentar, fato que ela não se cansa de repetir: “Tiago me ajudou a entender que aquilo que eu vivia não era normal. Foi ele que me mostrou que eu estava doente, que precisava de ajuda"

Hoje, aos 39 anos e mãe de Lua, que nasceu em outubro do ano passado, Daiana lembra que teve uma crise durante umas férias em família, há sete anos. "Era para ser um momento de muita alegria: férias, família, todo mundo junto". Eu tinha todos os motivos do mundo para estar muito feliz. Aí comecei, na minha cabeça, a comer descontroladamente. Aquilo foi criando uma angústia,  até que no terceiro ou no quarto dia comecei a chorar descontroladamente", conta.

"Me escondi no banheiro, para ele não ver. Mas Tiago sempre sabia quando eu ia chorar escondida... Ele entrou lá e falou: 'O que está acontecendo?' Eu falei: “Me tira daqui. Me leva embora. Eu não aguento mais. Preciso ir para casa. Não aguento mais ficar perto de tanta comida… Aquilo me mostrou o quanto eu estava doente’", detalhou Daiana, que no ano passado lançou seu segundo livro, outro sucesso de público e crítica: A Vida Perfeita Não Existe.

O que sente o paciente

Daiana comentou que a sua condição era um mix de outros problemas de saúde, como a bulimia e anorexia, dois dos mais comuns entre os transtornos alimentares. A bulimia nervosa consiste em constantes e dolorosos episódios de compulsão alimentar, em que é consumida uma quantidade excessiva de comida, em um pequeno período de tempo, com a nítida sensação de perda de controle. Já a anorexia é quando a pessoa se enxerga muito acima do peso em que está e, desejando emagrecer, começa a recusar comida. 

Papel da família no tratamento

De acordo com os médicos, assim como diversos transtornos mentais, esse tipo de condição não tem uma causa específica, nem cura definitiva, já que recaídas são sempre uma possibilidade. É por isso que o entendimento da família e pessoas próximas sobre a condição e, principalmente apoio são imprescindíveis para bons resultados de tratamento. 

Especialistas em doenças mentais e atenção psicossocial explicam que a ajuda familiar é tão importante quanto a de médicos para que o paciente perceba que tem quem o apoie incondicionalmente em uma fase difícil.

No caso específico dos transtornos alimentares, familiares e amigos devem estar atentos a alguns sinais que podem ajudar a identificar o problema, tais como:

  • Mudanças bruscas de comportamento alimentar;

  • Angústia com a própria aparência;

  • Excesso de preocupação com o corpo e a alimentação, entre outros. 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: