Friburgo Lumi Festival expõe obras de arte na Praça Dermeval Barbosa

Criações são compostas por fios de lâmpadas LED, cabos e lâmpadas comuns
segunda-feira, 06 de setembro de 2021
por Jornal A Voz da Serra
As luminárias na praça (Fotos: Denise Berbert)
As luminárias na praça (Fotos: Denise Berbert)

Nova Friburgo está mais colorida com a primeira edição do Friburgo Lumi Festival. Até o próximo dia 20, espaços públicos da cidade recebem obras de arte compostas por luz e muita criatividade. Quem passa pela Praça Dermeval Barbosa Moreira pode observar criações compostas por fios de lâmpadas LED, cabos e lâmpadas comuns. As obras foram confeccionadas utilizando 200 metros de LED, 44 lâmpadas e uma cortina em LED. O objetivo é proporcionar aos friburguenses e turistas as mesmas experiências dos festivais de luzes pelo mundo, como os de Genebra, na Suíça; Londres, na Inglaterra; e Lyon, na França.

“Diversas cidades no mundo têm realizado seus festivais de luzes, posicionando-se como destinos turísticos e como locais propícios para desenvolvimento das artes”, ressalta o produtor friburguense e organizador do evento, Gustavo Portella. Foram montadas três instalações luminosas e quatro intervenções luminosas com bonecos de luz, além de um letreiro iluminado. As composições são da artista plástica e professora friburguense, Denise Berbert; da arquiteta, professora e artista friburguense, Nubia Gremion; do professor e artista Guto Nóbrega em parceria com a artista visual Patrícia Freire. A novidade tem ainda o apoio do aramista Rafael Turatti. As luzes são ligadas sempre ao anoitecer dando um visual todo especial a um dos espaços públicos mais tradicionais de Nova Friburgo.

“A proposta do Lumi Festival é criar um espaço expositivo em praça pública, iluminando arquiteturas, paisagens e espaços públicos, ao mesmo tempo que valoriza os artistas locais”, acrescenta Gustavo. Ao todo, 18 pessoas estão envolvidas na organização do festival, grande parte são profissionais de Nova Friburgo, como uma forma de estimular a economia local. O investimento estimado é de R$ 50 mil, obtidos por meio da Lei Aldir Blanc.

A contemplação das obras do Friburgo Lumi Festival é gratuita, pois todas estão expostas a céu aberto e não há interatividade durante a visitação. É bem fácil admirar a beleza das luzes sem correr riscos de contágio pelo coronavírus. As obras ficam afastadas uma da outra, e um integrante da organização permanece no local para evitar aglomerações.  Mas, para quem prefere acompanhar de casa, todas as obras também estarão disponíveis nas redes sociais do evento @friburgolumifestival.

“O objetivo é que o público perceba as obras enquanto estiver passando a pé, de carro ou de ônibus e, por isso, foi escolhida a Praça Demerval Barbosa Moreira, no centro da cidade, para ser o local de exibição”, conta Gustavo. Após o fim do Friburgo Lumi Festival, as obras serão levadas para o Museu de Arte Contemporânea (MAC) em Niterói.

Participam do festival: Denise Berbert – Artista plástica e arte educadora; Guto Nóbrega – Artista, educador e pesquisador; Núbia Gremion – Artista, arquiteta e professora; e Pat Freire – Artista plástica e pesquisadora

 

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 76 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: