Deam Friburgo bate recorde de prisões em 2019 e se destaca no estado

Em 2019 foram realizadas 53 prisões, número 178% maior que o registrado no ano anterior
quinta-feira, 23 de janeiro de 2020
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A Deam de Friburgo (Fotos: Henrique Pinheiro)
A Deam de Friburgo (Fotos: Henrique Pinheiro)

A Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (Deam) de Nova Friburgo ficou em primeiro lugar no número de prisões em comparação às Deams de mesmo porte no Estado e em terceiro entre todas as Deams fluminenses, em 2019. Ao todo, foram realizadas 53 prisões no período, número 178% maior que o registrado em 2018, quando foram efetuadas 19 prisões na cidade.

No ranking de prisões de 2019 entre as Deams de pequeno porte, Nova Friburgo ficou à frente de Niterói e Campos, segundo e terceiro colocados, respectivamente. São consideradas de pequeno porte as Deams localizadas nas cidades do interior do Estado - Campos, Volta Redonda, Niterói, Angra dos Reis, Cabo Frio, São João de Meriti e Belford Roxo.

Já entre todas as 14 Deams do Estado, que além das de pequeno porte, também inclui as de São Gonçalo, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Centro, Jacarepaguá e Oeste, a Deam friburguense ficou em terceiro lugar, atrás apenas de São Gonçalo (153 prisões) e Nova Iguaçu (115 prisões).

A delegada titular da Deam de Nova Friburgo, Mariana Thomé (foto), à frente da unidade desde janeiro do ano passado, celebra os bons resultados e esclarece que as Deams não focam apenas nos crimes de violência doméstica, mas em todos os crimes que são denunciados à delegacia.

“Esse é o maior número de prisões realizadas pela Deam Nova Friburgo desde sua inauguração, em 2011. É um número recorde que reflete o maior combate à violência doméstica e familiar contra a mulher na cidade e uma maior operacionalidade no combate ao crime. No entanto, essas 53 prisões de 2019 se referem a crimes variados, e não apenas a prisões em flagrante ou referentes à Lei Maria da Penha. Também realizamos cumprimento de mandados de prisão por vários outros crimes”, explicou a delegada.

Mariana Thomé ressalta que a parceria entre a Polícia Civil e a população é fundamental para a diminuição da criminalidade e abriu as portas da Deam à população: “Esses números são resultado não apenas do trabalho policial, mas também da parceria com os friburguenses. É muito importante que a população saiba que pode confiar e contar com a Polícia Civil. A integração entre as forças estatais e os cidadãos é crucial para o combate à criminalidade. A Deam está de portas abertas para a população e este contato pode ser feito pessoalmente, pelo telefone 2533-1694, ou através da nossa página do Facebook. Tudo com anonimato garantido”, destacou a titular da Deam Nova Friburgo.

Violência contra a mulher

De acordo com dados obtidos com exclusividade por A VOZ DA SERRA, em 2019 foram registradas 1.332 ocorrências de violência contra a mulher em Nova Friburgo, o equivalente a 111 casos por mês, ou quase quatro por dia. O número é maior do que o registrado em 2018, quando foram feitas 1.177 notificações. Do total de casos, a maioria (cerca de 80%) se refere a lesão corporal (40%) ou ameaça (40%).

O assassinato da artista plástica Alessandra Vaz e da produtora rural Daniela Mousinho, crime cometido em outubro passado por Rodrigo Marotti, ex-companheiro de Alessandra, foi o único caso de feminicídio na cidade, em 2019. Antes, o último caso consumado havia ocorrido em 2017. Já em 2018, foram seis tentativas de feminicídio.

“A principal motivação desse tipo de crime geralmente é o ciúme, a possessividade e o machismo, alavancados pelo consumo de álcool e outras drogas”, esclareceu a delegada Mariana Thomé, que finalizou: “A nossa orientação é para que as mulheres noticiem o caso à Deam ao primeiro sinal de violência, pois esta só tende a progredir. E nunca se esqueçam: em briga de marido e mulher se mete a colher sim”.

 

LEIA MAIS

Primeiro ano do programa Patrulha Maria da Penha/ Guardiões da Vida atendeu, só na região, 268 vítimas de violência doméstica

ISP divulga dados de violência doméstica no primeiro semestre em Nova Friburgo

Violência ocorreu em frente a uma creche, vazia por causa da quarentena

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: crime | Segurança