Aliviado, Frizão assiste “de camarote” às batalhas do Grupo Z

Ainda nesta temporada, o Friburguense vai disputar a Copa Rio no segundo semestre
quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020
por Vinicius Gastin
Técnico Cadão destaca o lado emocional e vibra com a permanência do Frizão
Técnico Cadão destaca o lado emocional e vibra com a permanência do Frizão

Os últimos seis meses do Friburguense foram intensos. Das incertezas por um primeiro turno de Campeonato Carioca da Série B1 abaixo das expectativas, o Tricolor da Serra passou pelo gosto da conquista da Taça Corcovado, a tensão das decisivas semifinais da segundona e acabou premiado com o acesso e o título da competição. A arrancada deu ao clube o direito de jogar a Seletiva, e cinco jogos que poderiam valer o passaporte para a fase principal da Série A. O começo irregular, entretanto, adiou o sonho do Frizão.

Restava então se manter nesse mesmo estágio, e assim permanecer a apenas cinco jogos do principal objetivo dos últimos anos. Havia duas possibilidades para tanto, nos temidos grupos X e Z. E nesta indigesta sopa de letrinhas, o Friburguense só experimentou o primeiro nível: ao liderar a chave contra a queda, se garantiu na Seletiva de 2021. Foram seis jogos, com três vitórias, dois empates e apenas uma derrota.

Apesar de não ter ficado à frente em nenhum outro momento no decorrer da disputa, a equipe comandada por Cadão tomou a dianteira na rodada final ao vencer o Americano, por 2 a 1, em Cardoso Moreira. Mesmo não tendo conseguido chegar a fase principal do Campeonato Carioca, que era o principal objetivo da temporada, o técnico Cadão afirma que a sensação é de dever cumprido.

“Lógico que o nosso maior objetivo era estar na fase principal, mas infelizmente não foi possível. Mas temos a sensação de dever cumprido, pois nos mantivemos na Seletiva do próximo ano. A gente sabia que iria existir um equilíbrio muito grande, principalmente porque estávamos jogando para não ser rebaixados. Isso mexe muito com emocional de todos, mas a confiança sempre foi muito grande por parte de todos que iríamos conseguir nos livrar do rebaixamento já nesse Grupo X”, avalia o técnico.

Ainda nesta temporada, o Friburguense vai disputar a Copa Rio no segundo semestre. O planejamento para a competição ainda deve ser divulgado pelo clube, mas o problema da perda de peças, por conta de um calendário esvaziado, deve voltar a desafiar a diretoria na montagem de uma equipe competitiva. Aos remanescentes no plantel tricolor, resta levar para a sequência os aprendizados proporcionados pelas competições recentes.

“Acredito que nosso maior mérito tenha sido a atenção e foco em cada jogo. No primeiro jogo do Grupo X, nós sofremos um empate no final da partida contra o America, o que nos fez ficar mais concentrados e atentos a cada partida do início ao fim, errando menos e conseguindo pontos importantes”, avalia o zagueiro Raniel.

Após ser o último colocado da Seletiva, o Friburguense foi considerado por parte da mídia como um dos principais candidatos ao acesso. Contudo, a evolução do desempenho em campo dava mostras de que era possível reagir e se manter entre os seis que vão brigar por duas vagas na fase principal do Estadual de 2021.

“Nós procuramos manter o máximo possível as especulações que vinham de fora longe do nosso grupo. Nós confiávamos na nossa equipe e sabíamos da condição de se livrar do rebaixamento, mesmo tendo feito uma Seletiva muito ruim. Consertamos os erros para o Grupo X e graças a Deus deu tudo certo”, finaliza Raniel.

E vem o grupo Z...

A sensação de alívio em Nova Friburgo se opõe à tensão observada entre os três últimos adversários do Friburguense. O temido Grupo Z chegou, e as três equipes que não resistiram às disputas da Seletiva e do Grupo X lutam por duas vagas na fase preliminar de 2021 e, claro, contra a última colocação, que rebaixará à Série B1 do Campeonato Carioca. América, Americano e Nova Iguaçu vão formar este triangular, baseado em seis rodadas, com jogos de ida e volta.

Na primeira rodada, no próximo sábado, 29, o Americano recebe o Nova Iguaçu, em seguida, o América enfrenta o Americano (dia 4 de março), Nova Iguaçu e América medem forças no dia 7 de março. Pelo returno, o Nova Iguaçu entra em campo com o Americano (14 de março), o clássico Americano e América será o destaque no dia 18 de março. Na última rodada, América e Nova Iguaçu se enfrentam no dia 21 de março.

De acordo com o regulamento deste ano do Campeonato Carioca, classificação geral, o último colocado terá que disputar a Seletiva em 2021, ao lado dos três remanescentes do Grupo X – o Friburguense já é um deles - e dos dois promovidos da Série B1. Será a última edição da fase preliminar, já que para o próximo ano será criada uma nova divisão, a Série A2.

Quanto à fase principal, os tradicionais turnos - Taça Guanabara, vencida pelo Flamengo, e Taça Rio - estão mantidos, sendo que o campeão de cada turno se garante na final. Caso a mesma equipe vença os dois, será campeã carioca, desde que seja também o melhor time na classificação geral (soma de todo o campeonato). Caso contrário, haverá decisão em ida e volta.

Existirão ainda dois torneios paralelos: a Taça Independência (dada ao time que somar mais pontos nos confrontos entre os pequenos) e o Torneio Extra (um mata-mata entre os quatro melhores pequenos, considerando todos os jogos). Os campeões se garantem na Copa do Brasil de 2021. A única maneira de o Friburguense jogar uma competição nacional na próxima temporada é chegar à final da Copa Rio. Caso seja campeão, poderá escolher entre a Série D do Brasileirão ou a Copa do Brasil.

Classificação Final - Grupo X
1º- Friburguense, 11 pts
2º- Americano, 10 pts
3º- América, 6 pts
4º- Nova Iguaçu, 5 pts

Tabela do Frizão
Friburguense 2 x 2 América, Eduardo Guinle
Nova Iguaçu 1 x 2 Friburguense, Laranjão
Friburguense 1 x 2 Americano, Eduardo Guinle
América 2 x 2 Friburguense, Giulite Coutinho
Friburguense 1 x 0 Nova Iguaçu, Eduardo Guinle
Americano 1 x 2 Friburguense, Antonio Medeiros

Números do Frizão
Jogos: 6
Vitórias: 3
Empates: 2
Derrotas: 1
Gols pró: 10
Gols contra: 8
Aproveitamento: 61,1%

  • Peça chave do Friburguense, o zagueiro Raniel faz alertas para as próximas competições

    Peça chave do Friburguense, o zagueiro Raniel faz alertas para as próximas competições

  • Vitória contra o Americano trouxe o alívio final para o Tricolor da Serra

    Vitória contra o Americano trouxe o alívio final para o Tricolor da Serra

Publicidade

Apoie o jornalismo de qualidade

Há 75 anos A VOZ DA SERRA se dedica a buscar e entregar a seus leitores informações atualizadas e confiáveis, ajudando a escrever, dia após dia, a história de Nova Friburgo e região. Por sua alta credibilidade, incansável modernização e independência editorial, A VOZ DA SERRA consagrou-se como incontestável fonte de consulta para historiadores e pesquisadores do cotidiano de nossa cidade, tornando-se referência de jornalismo no interior fluminense, um dos veículos mais respeitados da Região Serrana e líder de mercado.

Assinando A VOZ DA SERRA, você não apenas tem acesso a conteúdo de qualidade, mantendo-se bem informado através de nossas páginas, site e mídias sociais, como ajuda a construir e dar continuidade a essa história.

Assine A Voz da Serra

TAGS: