Petrobras retoma vigilância na guarita de acesso ao Pico do Caledônia

Serviço acaba de ser retomado pela estatal após acordo com a prefeitura, que teve que recuperar estrada e limpar instalações
sexta-feira, 19 de julho de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)
A guarita após a limpeza (Divulgação PMNF)
A guarita após a limpeza (Divulgação PMNF)

 

Após A VOZ DA SERRA denunciar, em primeira mão, em uma série de reportagens, o péssimo estado de conservação da estrada de acesso ao Pico do Caledônia e o consequente abandono da guarita de segurança do ponto turístico, pouco mais de um mês depois a situação já é outra. A Prefeitura de Nova Friburgo recuperou a estrada e a Petrobras retomou nesta quinta-feira, 18, o trabalho de vigilância no local. Agora o Pico do Caledônia conta novamente com esse importante trabalho, que além de garantir a preservação da natureza e das torres de telecomunicações existentes no local, também dá mais segurança aos montanhistas que visitam o espaço.

Uma reunião entre representantes da Prefeitura de Nova Friburgo e da Petrobras foi realizada no último dia 4, com o intuito de encontrar uma solução para o problema, já que a estatal alegava até então que não continuaria a fazer a vigilância do local porque as péssimas condições da estrada de acesso colocavam em risco a segurança dos seus funcionários. Desde novembro do ano passado não havia qualquer tipo de controle no acesso de visitantes ao Pico do Caledônia.

“Fizemos esse trabalho no Caledônia porque era uma necessidade urgente. Foi uma logística bastante complicada por conta da distância, mas graças a Deus conseguimos recuperar a estrada e dar as devidas condições para que a Petrobras retomasse o trabalho de vigilância. Agora vamos ficar sempre de olho para não deixar que a situação chegue novamente ao ponto em que estava”, disse a subprefeita de Olaria, Cônego e Cascatinha, Priscilla Pitta.

Acordo entre Prefeitura e Petrobras resolveu o impasse

Segundo informações passadas com exclusividade à redação de A VOZ DA SERRA pela subprefeita de Olaria, Cônego e Cascatinha, Priscilla Pitta, que esteve à frente das negociações, ficou acordado com a Petrobras que a Prefeitura de Nova Friburgo recuperaria a pavimentação da estrada e faria a limpeza e manutenção do portão de entrada, da guarita e do imóvel de apoio, já que o espaço estava sofrendo com a ação de vândalos.

A operação tapa-buracos realizada na estrada que leva ao ponto turístico foi finalizada no último dia 3, véspera da reunião entre as partes. A partir daí, os esforços se concentraram na recuperação e limpeza das instalações da Petrobras. Ainda de acordo com Priscilla Pitta, a Subprefeitura de Olaria, Cônego e Cascatinha, com apoio logístico e operacional da empresa de telefonia Oi (que também utiliza as torres de telecomunicações do Altíssimo Caledônia), fez a capina do local, que estava tomado pelo mato, realizou a pintura e a limpeza da casa e da guarita, além de trocar a grade do portão de entrada que havia sido arrombado e a colocou um novo cadeado.

Visitação volta a ser monitorada

A partir de agora, o visitante que for ao Pico do Caledônia encontrará um funcionário da Petrobras fazendo a vigia na guarita de entrada do ponto turístico. Para acessar o local, é preciso ser maior de 18 anos ou estar acompanhado de um adulto, além de apresentar um documento oficial com foto. A vigilância será feita todos os dias, das 6h às 18h, porém o horário para visitação deverá permanecer entre 7h e 15h, o mesmo de antes da interrupção do serviço. Também será limitado o número de pessoas visitando simultaneamente o local, de modo a dar mais segurança e conforto aos montanhistas, além de evitar aglomerações, depredações e acúmulo de lixo.

Falta de vigilância poderia causar apagão nas telecomunicações

Quando A VOZ DA SERRA publicou a primeira reportagem denunciando o péssimo estado de conservação da estrada e o abandono da guarita de acesso ao Pico do Caledônia, a situação era complicada. A quantidade de buracos imensos no caminho praticamente inviabilizava o acesso até mesmo de veículos mais potentes, com tração nas quatro rodas.

Na entrada do ponto turístico o abandono era visível. Apesar do portão fechado, um buraco na grade foi aberto para facilitar a passagem das pessoas. As guaritas da Petrobras e o imóvel de apoio também estavam arrombados e vandalizados, com muito lixo e sujeira espalhados e pichações por toda parte. No cume da montanha, também sem qualquer vigilância, era possível andar livremente pelo lado esquerdo da pedra, que sempre teve o acesso restrito devido ao grande número de torres de telecomunicação no local.

Segundo especialistas ouvidos por A VOZ DA SERRA, além de ser um risco à segurança dos visitantes, a falta de vigilância no Pico do Caledônia também poderia causar um apagão nas telecomunicações de Nova Friburgo e região, já que as torres existentes no local auxiliam na comunicação de grande parte do interior do estado, como as repetidoras das polícias Militar e Civil, Corpo de Bombeiros e Defesa Civil, além de equipamentos de transmissão de dados da Petrobras e antenas das operadoras de telefonia Oi e Vivo e ainda a Marinha do Brasil.

Relembre a história:

- Trilheiros pedem socorro: Pico do Caledônia está abandonado (https://avozdaserra.com.br/noticias/trilheiros-pedem-socorro-pico-do-caledonia-esta-abandonado)

- Torres do Pico do Caledônia podem sofrer apagão (https://avozdaserra.com.br/noticias/torres-do-pico-do-caledonia-podem-sofrer-apagao)

- Biólogo sobe o Caledônia e faz relato impressionante sobre o que viu (https://avozdaserra.com.br/noticias/biologo-sobe-o-caledonia-e-faz-relato-impressionante-sobre-o-que-viu)

- Concluída recuperação da estrada de acesso ao Pico do Caledônia (https://avozdaserra.com.br/noticias/concluida-recuperacao-da-estrada-de-acesso-ao-pico-do-caledonia)

LEIA MAIS

Veículos reforçarão frotas das oito Unidades de Policiamento Ambiental (UPAm) para operar em todas as regiões do estado

Leitores denunciam descarte irregular próximo à Igreja de São Bento Abade

Relatório do Instituto Trata Brasil considera volume de investimentos, acesso a água tratada e a coleta de esgoto

Publicidade