Árvores e livros

Tereza Malcher

Tereza Cristina Malcher Campitelli

Momentos Literários

Tereza Malcher é mestre em educação pela PUC-Rio, escritora de livros infantojuvenis, presidente da Academia Friburguense de Letras e ganhadora, em 2014, do Prêmio OFF Flip de Literatura.

segunda-feira, 09 de dezembro de 2019

Hoje acordei pensando na relação entre árvores e livros por causa do convite que recebi da montagem e desmontagem da oitava edição da Árvore que dá Livros, que será realizado no Espaço Café da Usina Cultural Energisa, em 15 de dezembro. 

Deixei minhas reflexões e sensações flutuarem sobre as possíveis relações entre o que a natureza gesta e o homem cria. Árvores e livros surgem através de nascimentos que precisam de fecundação e tempo de preparo. 

Ah, árvores e livros não são mágicos, nem surgem ao acaso. O passarinho come a semente do fruto da árvore e vai semeá-la em outros lugares. O escritor ao se sensibilizar com a vida, sente as ideias jorrarem em seu pensamento e vai escrever o que experimentou em vários estilos literários; vai contar histórias, elaborar crônicas ou ensaios e assim por diante. A semente, deixada pela ave, vai penetrando na terra e criando raízes dia após dia. As ideias são vistas e repensadas, vão se aproximando umas das outras e ganhando coerência noite após noite. Para árvores e escritores esse tempo é importante para que as raízes sejam fincadas, e as ideias ganhem sentido. Ambos necessitam de sustança para sobreviverem.

Nasce uma rama; uma palavra é escrita na página em branco. A rama desponta na terra e recebe os raios de sol; o escritor ensaia frases, às vezes tortas, que são apagadas e reescritas. A rama vai se espichando com graça, querendo conhecer o que há no redor e fazendo presença. O texto vai sendo encorpado com cuidados, cujas palavras são tratadas com arte para serem atraentes ao leitor. A árvore desponta silenciosa entre outras e com tamanha exuberância. O texto, ao adquirir inteireza, é diagramado e ganha a forma de livro; a beleza da capa e um título instigante o faz visível em qualquer lugar. A árvore precisa das mãos generosas da natureza; o livro, das mãos criativas das pessoas. Ambos carecem de cultivo e adubo. A árvore precisa de solo fértil, água e sol; o livro de um trabalho editorial, realizado por uma equipe interdisciplinar.

Quando alguém tem a ideia de fazer uma árvore feita de livros, possui a capacidade de unir duas preciosas forças da vida: o verde que oxigena o planeta Terra e as ideias que constroem os modos de viver dos homens que o habitam.

Livros são feitos de árvores. As árvores são preservadas pelas ideias. Livros e árvores atravessam anos e são renovados; as árvores são germinadas ou replantadas, e os livros ganham novas edições. Eles têm identidades.

As árvores feitas de livros logo desaparecem, pois os livros se soltam dos galhos e vão plantar sementes na alma dos leitores. Quem sabem fazedores de livros ou protetores de árvores. 

 

Publicidade
TAGS:
Tereza Malcher

Tereza Cristina Malcher Campitelli

Momentos Literários

Tereza Malcher é mestre em educação pela PUC-Rio, escritora de livros infantojuvenis, presidente da Academia Friburguense de Letras e ganhadora, em 2014, do Prêmio OFF Flip de Literatura.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.