Menos assinantes

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

terça-feira, 06 de fevereiro de 2018

Menos assinantes

O serviço de telefonia fixa terminou 2017 com queda de 2,96% no número de assinantes. No total, nos últimos 12 meses, houve redução de 1,2 milhão de linhas, fazendo com que o número de contratos do serviço terminasse o ano com 40,8 milhões de linhas em operação. Os números, divulgados pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), também mostram que, no ano, as empresas as autorizadas perderam 134,7 mil linhas, uma queda de 0,11%, e as concessionárias tiveram redução de 1,1 milhão de unidades, recuo de 4,48 %.

Mais veículos

Em todo o país, as vendas de veículos novos cresceram 23,14% em janeiro na comparação com o mesmo mês de 2017. Segundo balanço da Federação Nacional da Distribuição dos Veículos Automotores (Fenabrave), foram emplacadas 181,2 mil unidades no primeiro mês de 2018, contra 147,2 mil no ano passado.

*****

O setor de caminhões registrou expansão de 56,26% em janeiro, com a comercialização de 4,6 mil unidades. As vendas de ônibus tiveram alta de 57,71% no período, com 1,1 mil unidades emplacadas. Os automóveis e veículos comerciais leves (como picapes e furgões) acusaram crescimento de 22,29% nas vendas.

Bois no porto

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, afirmou que a  AGU (Advocacia-Geral da União) recorreu ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região da decisão do juiz federal Djalma Moreira Gomes que suspendeu a exportação de gado vivo pelo Brasil. Segundo o ministro, caso o pleito seja negado, a saída será um novo recurso ao STJ (Superior Tribunal de Justiça). Blairo Maggi afirmou que retenção de 25 mil bovinos do Porto de Santos é um risco sanitário para o Brasil

Dinheiro no carnaval

O consumidor brasileiro deve gastar em média R$ 847,35 no carnaval, segundo pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL). A expectativa é que o feriado mobilize 72 milhões de consumidores. O levantamento aponta que o consumo de bebidas é um dos principais gastos dos foliões. Cervejas (57%), refrigerantes (52%) e água (52%) aparecem nos primeiros lugares, seguidos de lanches (51%) e protetor solar (43%).

Devedores

A inadimplência do consumidor medida pela Boa Vista SCPC subiu 1,6% em janeiro ante dezembro já descontados os efeitos sazonais, segundo os dados nacionais da instituição. No confronto mensal, por região, o maior avanço foi verificado no Sul do país, de 5,5%. Norte e Centro-Oeste com 3,9% e Nordeste, 2,2%. Já o Sudeste foi a única região que mostrou retração no período, de 0,2%.

Arrecadação federal

A arrecadação de tributos pode surpreender em 2018. Um estudo do Ministério do Planejamento aponta que a aceleração da arrecadação federal no segundo semestre do ano passado deu maior vigor à coleta de impostos e deve garantir uma "herança" positiva para este ano. Pelos cálculos do governo, a arrecadação poderá ter crescimento de 4,17% por conta do chamado "carregamento estatístico" de um ano para o outro.

Híbridos e elétricos

Taxistas e pessoas com deficiência podem ficar isentas do IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para carros híbridos e elétricos. Em tramitação na CAE (Comissão de Assuntos Econômicos do Senado), o texto do projeto de lei  também libera o financiamento desses veículos do IOF (Imposto sobe Operações Financeiras). Se aprovado, o PLS 780/2015, de autoria do senador Jorge Viana (PT-AC), será encaminhado para a Câmara dos Deputados. Viana argumenta que, além de beneficiar taxistas e pessoas com deficiência, o projeto visa estimular o segmento de híbridos e elétricos.

Publicidade
TAGS:

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.