Eletroeletrônicos

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

quarta-feira, 14 de março de 2018

Eletroeletrônicos

A comercialização de produtos eletroeletrônicos com o exterior cresceu mais de 15% em janeiro, segundo a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee). As exportações do setor, no primeiro mês do ano, totalizaram US$ 407,9 milhões, um crescimento de 16,8% em relação a janeiro do ano passado. Com o resultado, o déficit da balança comercial dos produtos elétricos e eletrônicos brasileiros somou US$ 2,52 bilhões em janeiro, 15% superior ao computado no mesmo período de 2017 (US$ 2,19 bilhões).

Varejo cresce

O volume de vendas do comércio varejista brasileiro cresceu 0,9% de dezembro de 2017 para janeiro deste ano. A alta veio depois de uma queda de 0,5% de novembro para dezembro. O dado, da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC), foi divulgado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

*****

Também foram registradas altas na média móvel trimestral (0,3%), na comparação com janeiro de 2017 (3,2%) e no acumulado de 12 meses (2,5%). De dezembro para janeiro, cinco dos oito segmentos do varejo tiveram crescimento, com destaque para outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,8%) e equipamento e material para escritório, informática e comunicação (3,7%).

A melhor alta no comércio desde 2014

A alta de 2,5% nas vendas do comércio varejista nos 12 meses encerrados em janeiro foi o melhor desempenho desde novembro de 2014, quando o crescimento acumulado estava em 2,6%. Os dados são da Pesquisa Mensal de Comércio divulgados pelo IBGE  O resultado mantém a trajetória ascendente iniciada em outubro de 2016, quando a taxa em 12 meses recuava 6,8%. Na comparação com janeiro de 2017, o varejo cresceu 3,2%, a décima taxa positiva consecutiva. 

Montadoras querem incentivos

Na tentativa de salvar o Rota 2030, programa automotivo em discussão pelo governo de Michel Temer, o Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviço (Mdic) apresentou proposta reduzindo o valor da renúncia tributária para investimento das montadoras em pesquisa e desenvolvimento. A redução é um aceno à equipe econômica, que se opõe ao programa.

*****

Segundo o secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial, Igor Calvet, a nova proposta prevê renúncia tributária em 2018 e 2019 em torno de R$ 1 bilhão ao ano, ante R$ 1,5 bilhão do Inovar-Auto, programa que acabou em dezembro. Ele foi questionado pela Organização Mundial do Comércio (OMC) por cobrar imposto maior de carros importados, medida não incluída no Rota 2030.

Reforma em discussão

 A Reforma da Previdência continua em discussão entre membros do governo e base aliada, mesmo com a intervenção federal no Rio, que impede votação de emendas à Constituição. O secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, avalia que o debate sobre a reforma vai continuar este ano, independentemente do governo que será eleito no segundo semestre. Segundo ele, a discussão será retomada nos debates eleitorais.

INSS paga atrasados

O INSS pagará em maio atrasados acima de R$ 15 mil para aposentados e segurados da Previdência Social que tiveram benefícios por incapacidade (auxílios-doença e aposentadoria por invalidez) calculados com erro no ato da concessão entre abril de 2002 e agosto de 2009. O instituto confirmou que está mantido o calendário do sexto lote de pagamento. Os valores serão liberados para os segurados prejudicados que tinham 45 anos de idade em abril de 2012.

Publicidade
TAGS:

Antônio Fernando

Blog do Antônio Fernando

Friburguense, jornalista, 65 anos, taurino e vascaíno. Antônio Fernando atuou em diversos veículos de Nova Friburgo e atualmente é redator das colunas Radar e Impressões onde ele deleita o leitor de A VOZ DA SERRA com suas visões peculiares sobre o mundo.

A Direção do Jornal A Voz da Serra não é solidária, não se responsabiliza e nem endossa os conceitos e opiniões emitidas por seus colunistas em seções ou artigos assinados.