Vitória por 1 a 0 leva o Frizão para a final da Copa Rio

Gol de Dieguinho alavanca o time para a grande decisão, contra o Itaboraí, na quarta que vem
quinta-feira, 13 de setembro de 2018
por Vinicius Gastin
Dieguinho e Bidu celebram o gol da vitória tricolor: vantagem importante (Foto: Úrsula Nery/Agência Ferj)
Dieguinho e Bidu celebram o gol da vitória tricolor: vantagem importante (Foto: Úrsula Nery/Agência Ferj)

Um passo importante, a partir de uma falta cobrada com perfeição por Dieguinho ainda no primeiro tempo. Foi com o belo gol do lateral, aos nove minutos de partida, que o Friburguense venceu por 1x0 e abriu vantagem sobre o Itaboraí nas semifinais da Copa Rio. O primeiro dos dois jogos aconteceu nesta quarta-feira, 12, no estádio Eduardo Guinle. A decisão da vaga na grande decisão da competição estadual será no Alzirão, em Itaboraí, na quarta-feira da semana que vem, dia 19.

O Tricolor da Serra deve se preparar para uma verdadeira guerra. Já em Nova Friburgo houve bastante catimba e muitas tentativas de pressionar a arbitragem por parte dos visitantes, não só durante, como também depois da partida. Um campo com dimensões reduzidas e arquibancadas muito próximas ao gramado esperam pelo time comandado por Cadão.

“O time deles veio para jogar o primeiro tempo por uma bola, e como fizemos o gol, eles saíram pra jogar e foram para o tudo ou nada. Terminaram a partida com três ou quatro atacantes. Conseguimos uma grande vitória, e sabemos que vamos ter um jogo muito difícil em Itaboraí. Temos agora o resultado a favor, e precisamos jogar com inteligência para chegar a essa decisão, que vai ser muito importante pra gente”, avalia o atacante Ziquinha.

Na outra semifinal, o Americano derrotou o Audax por 1x0, em Cardoso Moreira. O jogo de volta é realizado na quarta-feira que vem, no mesmo horário, em Moça Bonita.

Dieguinho marca belo gol

Não há como negar que o desfalque de Vitinho tem um peso. Um dos jogadores mais regulares do Friburguense na temporada, o volante é um dos líderes no quesito desarme, e possui qualidade o suficiente para iniciar a construção das jogadas ofensivas desde o campo de defesa. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, não pode estar em campo na primeira semifinal. O técnico Cadão poderia manter a estrutura com a entrada de outro volante, mas à exemplo do duelo com a Portuguesa, optou por reforçar o sistema ofensivo ao escalar o trio Dedé, Toshyia e Lohan. Jefinho compôs o meio-campo com Damião e Jorge Luiz, de volta à equipe, e um pouco mais recuado para ajudar na transição a partir da defesa.

Do lado do Itaboraí, a surpresa talvez tenha sido a escalação de Douglas na vaga de Edu, artilheiro da equipe visitante na temporada. Pelo menos nos primeiros instantes, o Itaboraí mostrou postura de quem não abriria mão de atacar. Foi de Luiz Felipe a primeira boa defesa, aos seis minutos, a partir de lance oriundo de uma cobrança de lateral. Mas foi outro camisa dois, o do Friburguense, quem começou a escrever a história da semifinal: Dieguinho, em cobrança de falta primorosa, abriu o placar para o Frizão aos nove minutos.

Depois do tempo técnico e das instruções dos treinadores, o Itaboraí chegou na bola parada, e o Friburguense na tentativa de Lohan. Ambos os lances foram bloqueados pelos goleiros sem grandes dificuldades. Aos 26 minutos, Jorge Luiz subiu mais que a zaga após falta cobrada por Jefinho, cabeceou para o chão e a bola subiu demais. A bola parada, de fato, era alternativa para duas equipes que trabalhavam pouco pelo chão nos.

Aos 38 minutos, uma das poucas boas tramas com bola rolando terminou em chute prensado de Jefinho, que não teve a direção do gol. O Frizão chegaria novamente no levantamento de Dieguinho na direção de Lohan, afastado pela zaga antes da conclusão do camisa nove. Faltas, reclamações e cartões amarelos também fizeram parte do roteiro, sempre apimentado pela rivalidade entre os dois times. Mesmo depois do apito para o intervalo, jogadores e comissão técnica do Itaboraí partiram para cima do árbitro para reclamar e pressioná-lo.

Segundo tempo

Assim como na etapa inicial, o Itaboraí não se limitou apenas a defender. Pela direita, através de Ronaldo, ex-jogador do Friburguense, a Águia construiu os principais lances ofensivos. Aos quatro minutos, o lateral recebeu na intermediária e bateu cruzado, com perigo, rente ao ângulo direito de Luiz Felipe. Pouco depois, Douglas disputou o lance com Sergio Gomes, que reclamou de falta não assinalada. A jogada seguiu e Gabriel Galhardo bateu prensado, longe da meta tricolor. Autor do gol no primeiro tempo, Dieguinho sentiu lesão e precisou ser substituído aos 12 minutos. Instantes depois foi a vez de Jefinho deixar o campo contundido e dar lugar a Gleison. O Itaboraí tentou aproveitar o momento de instabilidade e pressionar o Tricolor, mas sem sucesso.

Ao perceber o bom momento, o técnico Rafael Soriano colocou o artilheiro Edu em campo, reforçando a presença ofensiva na área de Luiz Felipe. O Friburguense sentiu a perda dos dois jogadores. Não que Murillo e Gleison tenham entrado mal, mas com o ataque pouco inspirado, os contra ataques foram raros. Já o Itaboraí assustou aos 28 minutos, em cabeçada de Douglas, com liberdade, por cima. Aos 42 a melhor chance: Edu fez boa jogada na meia lua, bateu de canhota, Luiz Felipe voou, defendeu e a bola tocou no travessão. No rebote, Douglas Oliveira balançou as redes, mas a arbitragem flagrou o impedimento. Alívio no Eduardo Guinle e vantagem garantida.

Ficha Técnica: Friburguense 1x0 Itaboraí

 

Copa Rio 2018

Semifinal - Jogo de ida

Estádio Eduardo Guinle, Nova Friburgo-RJ

12/09/2018 – 15h

 

Árbitro: Alexandre Vargas de Jesus

Assistentes: Wallace Muller Santos e Rafael Gomes Rosa

 

Friburguense: Luiz Felipe, Dieguinho (Murillo), Sergio Gomes, Bidu e Ricardo; Damião, Jefinho (Gleison), Jorge Luiz e Dedé; Toshyia (Ziquinha) e Lohan.

Técnico: Cadão

 

Itaboraí: Eduardo; Ronaldo (Diego Macedo), Rodrigão, Victor Silva e Erick Daltro; Gustavo Moura, Junior Pagode, Gabriel Galhardo (Edu) e Nelio; Bruno Santos (Rodriguinho) e Douglas Oliveira.

Técnico: Rafael Soriano

LEIA MAIS

Partida nesta quarta é crucial para o duelo final, no Alzirão, semana que vem

Oito equipes de municípios da região vão brigar pelo título. Jogos acontecem durante todo este mês

Seria nota máxima se não fosse o gol do adversário aos cinco minutos do primeiro tempo, na única bobeada durante todo o jogo

Publicidade
TAGS: futebol