Vilage no Samba ganha o segundo bicampeonato

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009
por Jornal A Voz da Serra
Vilage no Samba ganha o segundo bicampeonato
Vilage no Samba ganha o segundo bicampeonato

Os encantos da serra friburguense e sua rica cultura tomaram conta da passarela do samba no desfile da Vilage no Samba. A verde-e-branco fez festa e abusou do luxo e do colorido para ecoar o enredo Os batuques do Morro Queimado, de autoria da comissão de carnaval. Sob a coordenação da coreógrafa Monara Costa, a comissão de frente exaltou a harmonia da natureza nos sertões, com 11 bailarinas, seguidas dos índios puris e coroados luxuosos. Betão e Alexandra, primeiro casal de mestre-sala e porta-bandeira, destacaram a harmonia do Eldorado muito antes da chegada dos suíços. A águia, símbolo da agremiação, veio no abre-alas, marcando o som do tambor nos idos da história com um sobrevoo nos sertões, com direito a alas que representaram o lendário Mão de Luva, os quilombolas e as sementes do samba.

O segundo carro, Negra raiz do samba, destacou a louvação e a cultura africana, o orgulho de um povo que dança e é feliz. O terceiro carro, com muito luxo, mostrou a chegada de D. João VI, com o destaque Júlio Santos, um dos campeões do Concurso Municipal de Fantasias. Monsenhor Miranda ganhou uma ala exclusiva e a bateria com 120 integrantes homenageou os suíços fundadores da antiga Vila de Nova Friburgo. A campeã de 2008 também fez homenagens especiais, com alas que representaram os imigrantes alemães e espanhóis e a pujança da agricultura local, com o trigo e o milho.

Como a história de Nova Friburgo não pode ser contada sem destacar o carnaval, a Vilage rendeu homenagem a todas as co-irmãs dos desfiles, com alas de passistas caracterizadas com as cores das demais agremiações carnavalescas. O encerramento com chave de ouro do desfile cheio de brilho e muita pompa se deu com o carro Nova Friburgo, celeiro de bamba, um verdadeiro reduto do samba exaltando ícones do carnaval friburguense, entre eles, o saudoso Rubem Venezia, Luizinho (Imperatriz de Olaria), Carlinhos (Acadêmicos do Prado), Ernesto Carvalho (Alunos do Samba) e Cláudio Lamblet (Unidos da Saudade).

Publicidade
TAGS: