Vandalismo e depredação na Praça CEU viram alvo de reclamações

Projeto socioesportivo desenvolvido no local divide espaço com moradores de rua e usuários de drogas
sexta-feira, 17 de novembro de 2017
por Karine Knust
Vandalismo e depredação na Praça CEU viram alvo de reclamações

O espaço denominado Centro de Artes e Esportes Unificados, conhecido como Praça CEU, que ocupa parte da área de eventos da Via Expressa, no bairro Olaria, voltou a ser alvo de reclamações. De acordo com alguns leitores que passam pela construção constantemente e se queixaram nos últimos dias à redação de A VOZ DA SERRA, o vandalismo e o número de moradores de rua e usuários de drogas utilizando as instalações aumentaram.

Na manhã desta quinta-feira, 16, uma equipe do jornal foi ao local conferir as denúncias. Durante a visita, encontramos agentes da Secretaria Municipal de Assistência Social que faziam uma pré-avaliação da situação. De acordo com a equipe, de fato, algumas salas foram invadidas por moradores de rua e usuários de drogas e uma ação está sendo preparada para limpeza e desocupação do imóvel.

Mas não é preciso ter acesso ao interior das salas para perceber o estado de abandono. Grades retorcidas e arrebentadas, cobertores pendurados, pichações e muita sujeira estão entre os problemas vistos por quem passa pelos arredores do imóvel. Exceto pela sala utilizada pelo Projeto Solução - ação socioesportiva que ensina a prática do judô a crianças carentes - os demais ambientes da Praça CEU tem sido depredados.

“A Praça CEU fica em um lugar deserto e escuro durante a noite. Meu filho participa do projeto de judô, mas quando venho trazê-lo fico esperando na calçada até que outras mães cheguem para que possamos subir todas juntas para deixar as crianças na aula. Me sinto mais segura fazendo isso”, declarou a mãe de um aluno do Projeto Solução, que preferiu não se identificar.

Problema que se junta a tantos outros, de acordo com o coronel da Polícia Militar e idealizador do Projeto Solução, Carlos Eduardo Hespanha. “As condições estão realmente muito ruins. Principalmente com relação a ocupação dos mendigos, que sujam o local. Algumas salas, inclusive, são usadas como banheiros, o que causa um odor horrível”, relata Hespanha.

A Praça CEU

Integrante do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, e orçada em mais de R$ 1,5 milhão, a Praça CEU em Nova Friburgo começou a sair do papel em 2012. E, apesar da instalação das atividades do projeto de judô no local no início deste ano, até hoje, o espaço, não foi oficialmente inaugurado.Na última sexta-feira, 10, o prefeito Renato Bravo, declarou estar buscando auxílio para conclusão das intervenções na Praça CEU. A informação foi divulgada em um vídeo de prestação de contas semanal, na página oficial do governo municipal no Facebook.

“Estivemos no Ministério da Cultura, onde pudemos conversar sobre emendas importantes para a valorização do espaços culturais da nossa cidade. Além disso, conversamos para achar uma solução definitiva para este espaço e nós conseguimos resolver e vamos efetivar essa solução”, afirmou Renato. O prefeito não informou, entretanto, quais as soluções encontradas, além de como e quando serão executadas.

Entramos em contato com a prefeitura ontem, 16, para ter informações sobre a visita a Brasília e os problemas apontados pela população, mas até o fechamento desta edição, não obtivemos respostas.

 

LEIA MAIS

Além de pintura nos bancos, canteiros de flores receberam cuidados e árvores foram podadas

Celebração de Corpus Christi mobiliza centenas de pessoas. Confira as fotos

MPF acusa ex-prefeito de descumprir acordo ao abandonar toras cortadas em horto. Ele se defende alegando que não houve inércia

Publicidade
TAGS: praça