Valcir Ferreira faz Nova Friburgo "pegar fogo" com nova música

Lançado recentemente, clipe de sambista da Imperatriz de Olaria já foi visto mais de 15 mil vezes
sábado, 03 de novembro de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)

De sorriso fácil e simpatia inigualável. Assim pode-se classificar o cantor e compositor friburguense Valcir Ferreira. Com uma carreira de sucesso, diversos CDs gravados e parcerias de talentos, Valcir coleciona prêmios a cada concurso que participa.

Atualmente, divulgando seu mais novo trabalho, “Tô pegando fogo” – que divide a composição com Wilson Bisar, o clipe lançado no início de outubro, já foi assistido por milhares de pessoas e traz na canção um apaixonado pela vida.

Valcir e o amigo e também cantor e compositor, Paulinho Mendonça, conheceram o estúdio de A VOZ DA SERRA e concederam uma entrevista.  A dupla falou sobre o clipe, dos anos de amizade e parceria e também deu uma notícia em primeira mão. Confira:

AVS: Valcir, você ainda está pegando fogo?

Vacir Ferreira: Sim (risos). Fizemos esse trabalho maravilhoso, contamos com a participação da excelente modelo Juliana Donelle e junto com o meu amigo e produtor Paulinho Mendonça, que também é compositor, chegamos a um produto de sucesso.

Paulinho, como foi feita a produção do clipe?

O Valcir me apresentou a música “Tô Pegando Fogo” e me perguntou o que eu achava de produzir um clipe. Eu respondi que a música é boa, é comercial, mas que era preciso contar a história dela em vídeo e não só em imagem. Começamos a pensar e desenvolver o projeto. Em um dado momento sentimos a necessidade de trazer alguém para fazer a composição desse projeto e por isso entramos em contato com uma modelo para fazer as cenas e assim começou a surgir o vídeo. Convidamos o cinegrafista o Ubiratan Moraes que foi quem dirigiu o clipe e o produtor Nilton Barroso.

Como vocês já se conhecem, ficou mais fácil fazer toda a produção?

É interessante porque ficou mais fácil, sim. Fizemos tudo com muita tranquilidade. A nossa amizade tornou as coisas mais simples de serem resolvidas. Todas as correções eram bem aceitas e a partir disso começamos a fazer as tomadas de vídeo, já com a participação da Juliana.

Como foi o contato com a modelo?

A Juliana é uma profissional nota dez. Aqui em Friburgo nós tivemos dificuldades com algumas agências. Achamos a Juliana em Santa Maria Madalena, que, inclusive, já foi miss na terra natal de Dercy Gonçalves em 2014. Ela estava cursando psicologia e assim que soube do nosso convite, abraçou o projeto. Foi uma dedicação total. Por isso que o clipe deu certo.

Valcir, o clipe já tem mais de 15 mil acessos em diferentes plataformas, como você encara esse sucesso?

É fruto de um trabalho bem feito e nas escolhas certas dos nossos parceiros. A toda hora o Paulinho estava acompanhando a letra e me dirigindo, falando onde eu poderia ficar diante do cenário, o tipo de gesto e daí saiu esse trabalho bonito que é uma composição minha e do Wilson Bizart.

Em off, você falaram que o trabalho de divulgação do clipe teve uma pegadinha…

Paulinho: Verdade, isso foi uma brincadeira não planejada, mas que deu certo (risos). Pegamos a imagem da Juliana e colocamos o nome da música para ser aquela imagem de pré-visualização do vídeo. Não sei o que o pessoal imaginou quando clicou lá, mas chamou a atenção ver a figura da Juliana com a frase “Tô pegando fogo” ao lado. As pessoas clicavam na imagem e aparecia a cara do Valcir (risos).

Valcir: Acho que é por isso que têm 15 mil acessos. As pessoas viram aquela morena linda, clicaram lá e na hora apareceu cara do negão aqui (risos).

Valcir, nem só de “Tô pegando fogo” se sustenta a carreira de vocês. Nesses mais de 20 anos de amizade, entre composições e apresentações, tem muita história...

Nossa parceria vem de longa data. Desde o primeiro CD o Paulinho inclusive participa com composições. Em um concurso, que agora não lembro qual foi, da então TV Serra Mar, nós fizemos juntos um samba que foi o campeão.

E prêmios já não é novidade pra você.

Verdade. Eu sempre participei dos festivais de música, dos concursos e me saí muito bem. Muitos deles, acompanhado do meu amigo Paulinho Mendonça. Teve um que foi especial. Nós participamos da inauguração do Sesc de Nova Friburgo e lá ganhamos prêmios, também.

Paulinho te ajuda muito nas composições?

Ajuda demais. Inclusive quando eu estou escrevendo uma música e fico “engasgado”, eu dou uma ligada pra ele e falo “Paulinho, não estou conseguindo terminar a música, me ajuda”.Ele prontamente atende ao pedido e as composições ficam sempre ótimas.

E de onde vem a inspiração para compor?

Não sei explicar. Já teve casos que, até dormindo eu senti uma melodia. Eu tenho um gravador sempre ao meu lado e assim que acordei já deixei ali uma anotação para não esquecer. E a melodia é o mais difícil, nenhuma é igual à outra. E a partir daí vou montando a música, que é quando eu ligo para o Paulinho e peço para ele me ajudar com a composição e ele sempre está a postos.

A sua área sempre foi o samba?

Rodamos por muitos estilos, como rock, samba, pagode, bolero, canções populares, até mesmo forró nós temos aí. Tem musicas que compomos juntos que o Paulinho fala para não colocar o nome dele, porque ele quer me ver “voando”.

E tem notícia que vocês vão dar aqui em primeira mão. Qual é?

Paulinho: Nós já estamos pensando no próximo clipe, embora o atual ainda esteja “verde” e precise ser divulgado ainda mais, estamos começando a colocar em prática um novo e importante projeto: uma parceria do Valcir com o Altair Veloso. O Altair foi muito gentil em ceder uma composição, que teve participação do Valcir. A música já está gravada e se você permitir, vamos divulgar aqui em A VOZ DA SERRA.

Então, desde já, estão autorizados. E as novidades não param por aí, fiquei sabendo que tem outra, também, dessa vez valorizando o esporte friburguense. É verdade?

Paulinho: Acabamos de compor o hino do Nova Friburgo Futebol Clube – o clube se fundiu com o Esperança Futebol Clube, e através do Edson Tavares veio o pedido. O Valcir ficou responsável por começar a letra e eu fui auxiliando porque conheço a história do clube.

Valcir: O Paulinho jogou nos dois clubes.

Em que posição?

Paulinho: Meio campo e atacante, um falso camisa 10. Por isso eu conheço a história dos clubes. Levamos o hino pronto para a diretoria e eles aprovaram na hora.

LEIA MAIS

Instrumentistas participaram da 3ª Confaban Eteaas, no Norte Fluminense

Silvana Gym e Campesina Friburguense se apresentam neste sábado no Country

Afinados, os irmãos João e Pedro de Paula têm no sangue familiar o laço que une seus talentos

Publicidade
TAGS: Música