Vai dar pedal: Dia Nacional do Ciclista é celebrado pela 1ª vez neste domingo

Para comemorar, pedalada Route MTB larga às 10h na Queijaria Suíça, em Conquista
sábado, 18 de agosto de 2018
por Guilherme Alt e Vinicius Gastin
Ciclistas friburguenses:
Ciclistas friburguenses:

Neste domingo, 19, é comemorado, pela primeira vez, o Dia Nacional do Ciclista. O Projeto de Lei da Câmara (PLC) 76/2017, aprovado em novembro do ano passado, de iniciativa do deputado Lúcio Vale (PR-PA), tem a intenção de promover a paz no trânsito, o uso da bicicleta, a cidadania e a mobilidade sustentável.

O dia escolhido para comemorar é uma homenagem ao ciclista Pedro Davison, que morreu em 19 de agosto de 2006, ao ser atropelado enquanto pedalava na faixa central do Eixão Sul, em Brasília. Ao justificar o texto, Lucio Vale relembrou a importância do convívio harmônico entre motoristas, ciclistas e pedestres.

Em Nova Friburgo, o dia do ciclista será celebrado com uma competição, a Route MTB, que vai percorrer 64 km por toda a cidade e Sumidouro. O evento faz parte do calendários dos 200 anos e do Agosto Suíço. A largada será às 10h, da Queijaria Escola, em Conquista.

Uma das principais reivindicações da população friburguense é a construção de uma ciclovia. No final de julho, o secretário nacional de Desenvolvimento Urbano, Gilmar Souza Santos, esteve em Nova Friburgo. Como uma das prioridades do governo municipal é dar mais mobilidade ao trânsito friburguense, principalmente no Centro, foram discutidos projetos e condições para a liberação de recursos para intervenções na área urbana do município. Dentre os anúncios feitos, destaque para a disponibilização de R$ 7,5 milhões para a construção da ciclovia em Nova Friburgo, um desejo antigo dos ciclistas que inclusive já desencadeou movimentos pró-ciclovias pela cidade. A verba é do Ministério das Cidades e sua liberação depende da conclusão do projeto.

Roberto Cláudio, Luiza Stofel e Patrícia Mota são três dos milhares de ciclistas da cidade, que adotaram a bicicleta, não só como fonte de transporte, mas também de lazer. O gosto pelas duas rodas levou os três a participarem de competições pela região e serão presença certa na Route MTB. Confira o depoimento que os três ciclistas deram para A VOZ  DA SERRA, falando da paixão pela bike.

Roberto Claudio, 49 anos

Há exatamente dois anos e meio, meu cunhado me convidou para participar de um passeio de bicicleta. Como eu não tinha nada, ele me emprestou a bike e me deu o capacete e roupa de ciclista. Foi um pedal de 95 km, quase morri de tanta cãibra, mas segui em frente. E na semana seguinte estava pronto para o próximo pedal. Resolvemos criar um grupo, o Elite Serra Bike e somos três responsáveis pelo grupo: eu, Marquinho e Waguinho. Com seis meses de pedal peguei o meu primeiro pódio, um 5º lugar no desafio do galo e no mês seguinte, o 5º lugar no Montanha Cup. Na minha categoria, que é de 45 a 49 anos, fui 4º no desafio do galo.

Participei do Iron Bike em Minas, uma prova com 1800 ciclistas. Neste dia 19 vamos correr o Route, essa é a terceira vez que participo e na primeira edição fiquei em terceiro fazendo dupla com a Pâmela. Este ano vou correr com a Luiza, que está estreando em competições. O mountain bike é uma paixão e mudou a minha vida. Estamos aí batalhando para que seja construída a tão sonhada ciclovia, só depende dos nossos políticos, pois a verba já tem.

Luiza Elena Stofel, 50 anos

Eu ingressei no ciclismo  há dois anos. Me apaixonei por esse esporte logo de cara. Ele nos proporciona qualidade de vida, e, como sempre gostei de atividades em grupo, me identifiquei bastante pela parceria, companheirismo e solidariedade. No decorrer desses dois anos fiz amigos e ainda tivemos oportunidade de organizar ajuda às instituições beneficentes da cidade. Esse esporte nos faz socializar, conhecer lugares lindos e fazer amizades. Estamos na luta para adquirirmos a nossa sonhada ciclovia que irá ajudar os trabalhadores a se locomoverem de Olaria a Conselheiro Paulino. Com a ciclovia ficará muito mais seguro e econômico para os trabalhadores e também para quem gosta de se exercitar e tem a atividade como lazer. Pela primeira vez irei participar de uma competição, estou ansiosa.

Patricia Mota, 42 anos

Não tive muitas oportunidades na infância, por essa razão aprendi a andar de bicicleta há dois anos e meio. Mal conseguia me equilibrar e nas curvas eu descia da bike e empurrava! Conheci a galera do pedal mais ou menos uns seis meses após aprender a andar. Comecei no pedal iniciante, aos poucos fui partindo para um pedal mais forte com a galera do Elite Serra Bike e o grupo Caminhadas e Pedaladas. Como eu sofria, mas se tem uma coisa que carrego dentro de mim é a persistência. O grupo ajudava muito, tanto em técnicas quanto no psicológico e assim, aos poucos, fui pegando gosto, evoluindo, me superando e quando vi estava viciada em pedalar. Confiante, me atrevi a participar de duas competições amadoras, vi que tinha potencial e fui treinar pois sabia que para competir, treino seria fundamental. Participei da minha primeira competição profissional, e não é que deu certo? Consegui um terceiro lugar em minha categoria e olha que o percurso era osso duro de roer. Hoje, estou me preparando para minha primeira prova em dupla mista. Eu e meu parceiro de corrida, Marcos Paulo Silveira, nos entrosamos bem e estamos treinando forte para a Prova do Route. Se me preocupo com pódium? Claro que sim, é o que todos almejam, mas se não vier vai valer mais essa experiência, e tenho certeza que vou terminar a prova com a sensação de dever cumprido e que dei o meu melhor. E que venham outras competições...

Route MTB lembra colonos e integra calendário do Agosto Suíço em Nova Friburgo

Em ano de bicentenário, o esporte não poderia ficar de fora das comemorações em Nova Friburgo. Através das bicicletas, trazidas no final do século 19 para o município, o Route MTB proporciona um verdadeiro passeio pela história da cidade, e integra o calendário do Agosto Suíço. A prova é neste domingo, 19, com largada prevista para 10h, em frente à Casa Suiça, na Queijaria Escola, localizada na RJ-130, na altura do km 18, em Conquista. O evento é coordenado pela Montanha Sports, em parceria com as prefeituras de Nova Friburgo e Sumidouro.

O Route MTB foi criado com o objetivo de relembrar e celebrar os pioneiros da modalidade em Nova Friburgo. A disputa acontece na categoria Mountain Bike Maratona XCM, com cinco opções diferentes de participação: dupla masculina open (idade livre), dupla mista (um homem e uma mulher, com idade livre), DM40 (nenhum atleta com menos de 40 anos), DM50 (nenhum atleta com menos de 50 anos) e DTUR Turismo. Nesta prova, qualquer formação é permitida, e a idade é livre. O objetivo é proporcionar aos bikers que dela participam a possibilidade de passear no percurso da corrida, desfrutando da mesma estrutura, porém sem a pressão da competição. A distância é menor, e por não se tratar de competição, não há pódio, mas todos são premiados com medalhas de finisher.

A prova é disputada em percurso por estradas rurais, com duração máxima de 4h30. Caberá à organização determinar o tempo limite e atribuir cortes ao longo do percurso, podendo, para fazer cumprir o horário de corte, e a qualquer momento que julgar necessário, impedir que o atleta prossiga na prova. O posto de cronometragem da prova encerra os trabalhos às 14h30. As cinco primeiras duplas colocadas de cada uma das categorias recebem troféus. O competidor realiza o percurso completo da prova, passando por todos os pontos de controles (PCs). Caso não percorra o percurso completo ou deixe de passar por algum PC, o competidor é desclassificado. É permitido aos ciclistas utilizar apenas uma bicicleta para percorrer o trajeto, independente do tipo ou modelo. O atleta pode prosseguir o percurso a pé, desde que a bicicleta esteja presente (carregada, arrastada ou empurrada) por ele.

Entre outros caprichos, um dos charmes do trajeto foram os três túneis. Um deles, inclusive, aproveitava a estrutura da formação rochosa, sendo considerado como ponto alto da prova. A criação do evento faz parte de uma série de ações para fortalecer ainda mais o ciclismo na cidade. A refundação do Bicyclete Club Friburguense, que tem Eduardo Salusse como presidente de honra, também é um dos projetos coordenados por Orlando Miele. A Route MTB Fribourg traz como inspiração os colonizadores suíços, e pode se tornar espelho para incentivar o uso das bicicletas. No país europeu, em regiões como Genebra, por exemplo, o número de ciclistas aumenta, em média, 70% a cada cinco anos.

De acordo com registros, a bicicleta chegou a Nova Friburgo no final do século 19. Na tradição de ruas e praças, eram consideradas elementos de modernidade. Muitas delas já circulavam pela cidade, e exigia-se que os ciclistas, à noite, tivessem marcha moderada e a lanterna acesa, pois a população friburguense ainda não havia se acostumado com aquela novidade, assim como os velocípedes, geralmente utilizados pelos meninos.

Com a chegada dos veranistas a Nova Friburgo, geralmente aos finais de ano, já se começava a projetar eventos na cidade. As corridas de bicicleta eram consideradas como um grande momento do verão friburguense. A então Praça 15 de Novembro (atual Getúlio Vargas) era transformada no velódromo friburguense.

Eduardo Salusse, de tradicional família da cidade, criou em 9 de abril de 1899 o Bicyclette Club Friburguense, destinado a competições desse veículo. Além de ser considerado um divertimento, era ainda um exercício físico bastante procurado por quem desejava trabalhar o corpo e a mente.

 

LEIA MAIS

Prazo se encerra no dia 31. Logo após vem a 2ª edição do GP das Montanhas de Ciclismo, até Cachoeiras

Troféu exposto na Praça do Suspiro retoma atividades de clube criado há 120 anos na cidade

Para quem gosta de pedalar, são anos de lutas, projetos e poucos avanços

Publicidade
TAGS: ciclismo