Uber chega a Friburgo derrubando preços de corridas

Simulamos algumas viagens com o app: trajeto do Centro até a Rodoviária Sul sai por R$ 10 e até Olaria, por R$ 12
sexta-feira, 19 de janeiro de 2018
por Alerrandre Barros
Foto de capa
O carrinho visível na tela do aplicativo (Foto: reprodução da internet)

Motoristas do Uber, aplicativo de transporte individual de passageiros, começaram a circular em Nova Friburgo nesta sexta-feira, 19. Conforme a startup informara mais cedo, o app foi ativado às 14h, quando pelo menos dois carros apareceram nos celulares, inaugurando o serviço na cidade. Às 15h40 já não havia carros disponíveis.

Com o aplicativo em mãos, A VOZ DA SERRA simulou algumas viagens com a Uber, partindo do endereço do jornal, na Avenida Comte Bittencourt, 144, no Centro. Os valores podem variar, mas são bem mais em contato que as corridas cobradas por taxistas, como já era esperado.

Do Centro até Conselheiro Paulino, o app calculou R$ 17 a corrida. Até Olaria, R$ 12. De Conselheiro até Olaria, R$ 21. Do Centro a Mury, R$ 21; e até Lumiar, R$ 50. Do Centro a Campo do Coelho, R$ 29, até Amparo R$ 19 e a Riograndina, R$ 21.

A VOZ DA SERRA também simulou corridas a pontos turísticos: do Centro até o Parque Cão Sentado, a viagem sairia por R$ 19. Até a Queijaria Suíça, em Conquista, R$ 35. O passeio até o Jardim do Nêgo, em Campo do Coelho, custaria R$ 21. A corrida até o Parque Municipal Juarez Frotté, no Cascatinha, custaria R$ 11.

A viagem do Centro até a Rodoviária Norte, em Duas Pedras, sairia por R$ 7. E até a Rodoviária Sul, na Ponte da Saudade, R$ 10. Do Centro ao Hospital Raul Sertã, R$ 7. Até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), em Conselheiro, R$ 10. Importante: esse valores variam de acordo com o endereço do usuário do app.

Em Nova Friburgo, o serviço oferecido será o UberX, com preços mais acessíveis que os demais oferecidos pela empresa. A Uber informou ainda, ao anunciar a sua chegada à cidade, que novos usuários que adicionarem o código promocional "novafriburgo" ganharão um desconto de R$ 20 na primeira viagem na cidade.

Para solicitar o motorista, o usuário precisa instalar aplicativo no celular e informar o endereço da viagem. O app identifica o motorista mais próximo e envia o nome e foto do condutor, modelo e placa do carro e também estima o valor da viagem. A viagem só começa quando o usuário e o motorista aceitam a corrida.

Na Região Serrana, Friburgo é a terceira cidade a contar com os serviços da Uber. Em Teresópolis e Petrópolis, a startup está atuando desde o dia último dia 12. Em Friburgo, a startup vai enfrentar a lei municipal, aprovada em dezembro pela Câmara e sancionada pelo prefeito Renato Bravo, que veda o serviço na cidade até regulamentação.

Em nota, a Uber disse que o serviço tem respaldo na Constituição Federal e é previsto pela Política Nacional de Mobilidade Urbana. “Por diversas vezes, os tribunais brasileiros afastaram e consideraram inconstitucionais as tentativas municipais de proibição da Uber, confirmando a legalidade das atividades da empresa e dos motoristas parceiros e garantindo o direito de escolha da população”.

A Prefeitura de Nova Friburgo informou que a Procuradoria Geral já está trabalhando na regulamentação, que deve ser publicada nos próximos dias.

Fenômeno mundial, provindo da tecnologia que tanto tem revolucionado a vida em sociedade, o Uber chegou para "causar". E, possivelmente, ficar.  Mas, afinal, o que é o Uber?

Mas, afinal, o que é o Uber?

Aplicativo que conecta passageiro e motorista, numa relação semelhante ao serviço de táxi,  o Uber divide opiniões desde 2009, ano de seu lançamento nos Estados Unidos. Gerou protestos acalorados na França, foi proibido em Portugal, recebeu reações negativas em seu próprio país de origem e, como não poderia deixar de ser, em 2014, o Uber chegou ao Brasil, mais precisamente n​o Rio de Janeiro. Trazendo com ele toda a polêmica  característica.

​O serviço de transporte remunerado de pessoas não é novidade desde o início do século XIX, quando o alemão Wilhelm Bruhn inventou o taxímetro. E o Uber, pelos taxistas, é visto como um serviço clandestino, que pretende ocupar o já acirrado espaço no mercado e a um custo muito menor — vale lembrar que o táxi, para estar na rua, precisa cumprir ​várias exigências impostas pela Prefeitura, além de arcar com taxas e passar por vistorias constante​s. Ist​o sem falar na licença concedida pelo ​poder ​público, ​cujo valor varia conforme a cidade.

​Em Friburgo, uma licença para atuar no ponto do Centro de Turismo, por exemplo, chega​va​ a ser vendida, em 2015, por R$ 120 mil. Por esse motivo, muitos taxistas alugam os pontos em vez de comprá-los, pagando um valor diário, semanal ou mensal — o aluguel mensal por aqui gira em torno de um salário mínimo. 

Com o slogan “Uber é seu motorista particular”, a intenção é oferecer um serviço de alto padrão para os usuários do aplicativo​. Os motoristas devem passar por uma checagem de antecedentes criminais, devem ter carteira de habilitação que permita a atividade profissional, devem ser donos do próprio carro, entre outros critérios.

 

LEIA MAIS

Objetivo é informar usuários sobre operação da linha; Amparo deve ser próxima região a receber novidade

Valor ainda não foi definido, mas nova tarifa deve entrar em vigor em março

Moradores do Sítio São Luiz reclamam de coletivo menor. Faol promete devolver ônibus maior

Publicidade
Agora Faz
TAGS: uber | Trânsito