Tradição de Cosme & Damião resiste ao tempo

Em Nova Friburgo, dia dos santos foi marcado pela caça aos doces
terça-feira, 27 de setembro de 2016
por Dayane Emrich
Foto de capa
Tradição sobrevive na Chácara do Paraíso (Foto: Henrique Pinheiro)

Se no centro da cidade o costume de dar sacolinhas de doces em 27 de setembro — dia de São Cosme e São Damião — pouco é visto, em alguns bairros a tradição sobrevive. Na manhã de ontem não faltaram animação e, claro, guloseimas por aí. 

Ormy Santos Silva é avó dos gêmeos de oito anos, Arthur e Vinícius, e acompanhou os meninos na caçada pelas sacolinhas no bairro Chácara do Paraíso. “Enquanto puder, vou incentivá-los na brincadeira e também fazer as minhas sacolinhas para distribuir. Dei 150 saquinhos este ano”, disse.

Quem também saiu em busca de guloseimas junto às crianças foi Ana Paula da Silva, mãe de João Pedro e Maria Eduarda, de 9 anos, e de Ana Luiza, de 10. “Cada um já pegou 15 sacolas”, contou.

A distribuição dos doces normalmente é feita por pessoas devotas dos santos, em pagamento de promessas. É o caso de Alailton Sias. Seu genro, Thales, conta que a tradição de dar doces tem mais de 30 anos. “O Alailton fez uma promessa de que daria sacolinhas por sete anos, mas continuou”, disse, destacando que este ano foram 500 saquinhos. Além dos doces, houve distribuição de cachorro-quente, refrigerante e bolo. 

Foto da galeria
Na Chácara do Paraíso, crianças fazem fila para pegar os saquinhos (Foto: Henrique Pinheiro)
Publicidade
Agora Faz
TAGS: