Temporal de sexta deixou rastro de danos no Cônego e Cascatinha

Buracos de grande profundidade foram alguns dos problemas na região. Muro caiu sobre canil e matou um cão
sábado, 22 de dezembro de 2018
por Guilherme Alt (guilherme@avozdaserra.com.br)
Deque totalmente destruído pela enxurrada numa casa no Cônego (Fotos de leitores)
Deque totalmente destruído pela enxurrada numa casa no Cônego (Fotos de leitores)

O forte temporal que desabou na tarde de sexta-feira, 21, causando estragos sobretudo no Cônego e no Cascatinha, deixou um rastro de danos na manhã deste sábado, 22, por Nova Friburgo. Mury também foi afetado.

No Cascatinha, com a força da enxurrada que inundou ruas e deixou pelo menos um carro quase submerso, o muro de uma casa desabou sobre um canil, matando um cão. O imóvel fica na Rua Almirante Carlos da Silveira Carneiro. O animal teve a coluna fraturada na queda do muro e teve de ser resgatado por bombeiros. Deques inteiros foram destruídos. A altura da água ficou marcada nos muros das casas. Os moradores que tiveram residências inundadas tiveram muito trabalho para remover a sujeira, às vésperas do Natal. Os rios Bengalas e Cônego atingiram níveis críticos, mas não transbordaram.

No Cônego, em alguns trechos da Rua D. João VI e outras ruas, como Vital Brasil e a Churchill, o paralelepípedo chegou a afundar, oferecendo perigo para os motoristas. Na Vital Brasil, o buraco está localizado em um trecho onde não há qualquer iluminação e o mato alto invade a pista. Calçadas também foram seriamente danificadas e pela região é possível ver galhos espalhados pela pista e muita sujeira.

Em nota, a Prefeitura de Nova Friburgo informou que, devido os transtornos provocados pela forte, chuva já disponibilizou para a manhã deste sábado, 22, uma equipe para fazer a limpeza das ruas afetadas, retirando galhadas e demais sujeiras. “Somente após a realização deste serviço será possível viabilizar os serviços de obras, como a recuperação de ruas e calçadas, que está prevista para acontecer logo após as festividades de Natal”, completou a nota.

A chuva forte, que começou por volta das 12h50 e durou menos de uma hora, deixou várias ruas alagadas, fez subir o nível dos rios Bengalas e Cônego e provocou quedas de árvores. Segundo a Defesa Civil, não houve alteração do estado de normalidade nem acionamento das equipes.

Em várias partes da cidade houve queda de energia. No Cônego, alguns moradores chegaram a ficar até três horas e meia sem energia.

A queda de uma árvore interditou a RJ-142, na altura do Km, próximo ao Stucky, na Mury-Lumiar, até por volta das 17h. O Corpo de Bombeiros foi acionado, mas precisou aguardar a equipe da Energisa, concessionária responsável pela distribuição de energia elétrica no município, para que fosse cortada a energia da área antes de iniciar o trabalho de remoção da árvore. Segundo os Bombeiros, ninguém ficou ferido. No entanto, a interdição da via causou quase um quilômetro de congestionamento. Dezenas de passageiros ficam presos em ônibus.

 

 

LEIA MAIS

Várias ruas alagaram com a chuvarada da tarde de sexta. Água chegou a invadir parte do térreo da Maternidade

Da fábrica que produz 8 mil picolés por dia à novidade do sorvete artesanal, produtos viram mania todo verão

Água mineral mais antiga de Nova Friburgo tem 29 anos e luta para resistir num mercado inundado por “fakes”

Publicidade
TAGS: Chuva | Clima | verão