Tapetes de sal colorem a Alberto Braune no dia de Corpus Christi

Confecção das 88 peças que abrem passagem para a Procissão do Santíssimo Sacramento atrai fiéis e famílias
quinta-feira, 20 de junho de 2019
por Fernando Moreira (fernando@avozdaserra.com.br)

 

Sol, céu azul e o friozinho típico da serra deram o tom durante toda a manhã e a tarde desta quinta-feira, 20, feriado de Corpus Christi, último dia do outono, em Nova Friburgo. A data é uma celebração da Igreja Católica, a chamada festa da Eucaristia, na qual o corpo e o sangue de Cristo é simbolizado pela hóstia consagrada, e atraiu muita gente ao centro da cidade para a confecção dos tradicionais tapetes de sal que serviu, no fim do dia, para a procissão com a passagem do Santíssimo Sacramento.

Logo cedo, membros de igrejas, escolas, entidades e famílias inteiras uniram religiosidade e arte utilizando nada menos que 33 toneladas de sal grosso, uma pitada de criatividade, paciência e bastante fé. Depois de prontos, os 88 tapetes de sal ficaram em exposição até a procissão atraindo a curiosidade de moradores e turistas que contemplaram as obras de arte.

Òs tapetes foram confeccionados na Praça Dermeval Barbosa Moreira, em frente à Catedral São João Batista, na Avenida Alberto Braune e nas ruas Moisés Amélio e Coronel Zamith, até a igreja de São Bento Abade, onde à tarde, o bispo Dom Edney Gouvêa Mattoso, celebrou a missa solene de Corpus Chriti, com a participação da maioria dos padres que integram as paróquias dos 19 municípios pertencentes à Diocese de Nova Friburgo.

Famílias inteiras mantêm viva a tradição de Corpus Christi  

Darci Bereta Alvim já contabiliza 35 anos ininterruptos participando da confecção dos tapetes e se orgulha de ter conseguido passar a tradição adiante na família (foto abaixo). Há pelo menos seis anos ela reúne filhos, noras e genros, netos e bisnetos para confeccionar os tapetes. Tem gente que vêm todos os anos de Niterói e até de Guarapari, no Espírito Santo, para manter viva essa tradição aqui em Nova Friburgo.

“Todos acordamos cedinho para confeccionar os tapetes. E com eles propagamos a nossa fé. Reforçando que Jesus Cristo é nossa Eucaristia e não podemos viver sem ela. Eucaristia é vida. Nós fazemos os tapetes com toda a fé. Ajoelhamos e fazemos o tapete, desde cedinho até terminar. Sem cansaço, sem reclamações, só com amor”, revelou Darci, que completou: “Se Deus quiser ainda teremos fôlego para confeccionar tapetes por muitos anos. Pedimos sempre ao Senhor muita saúde e força para podermos continuar prestando essa linda homenagem a Jesus”, disse.

Além de renovar a fé católica, a família Bereta Alvim ainda aproveita para matar a saudade de Nova Friburgo fazendo turismo pela cidade, já que alguns parentes de Darci vão aproveitar o feriadão para esticar a estadia no município até este domingo, 23.

A tradição dos tapetes de sal em Nova Friburgo

Os 88 tapetes de Corpus Christi foram confeccionados com ilustrações de símbolos religiosos e a identificação de cada paróquia, movimento católico, pastorais, escolas e instituições. Por orientação da Diocese, não foram utilizados alimentos para compor a decoração dos tapetes, como pó de café, serragem, cascas de ovos, massas de macarrão e cereais.

Segundo a liturgia da Igreja Católica, a solenidade de Corpus Christi ocorre sempre na quinta-feira após a festividade da Santíssima Trindade. O dia de Corpus Christi é feriado nacional.

Veja mais fotos na galeria de fotos abaixo.

Publicidade
TAGS: